You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios
Mensagens recentes
Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10
1
Esperemos que o possivel negócio do estádio não seja outro igual ao das acções do Braga.

Aí já não se importou de perder 800 mil em papel. É um negócio "sportingado" ao contrário. Explico. Os lagartos beneficiaram e muito com a tal desvalorização das VMOCS. Aqui a CMB, e nós por arrasto, vendeu por 200 mil (não sabemos tudo) o que tinha custado 1 milhão.
Ou se calhar alguém gastou 1 milhão quando nunca o deveria ter feito, e agora a CMB recuperou 200k de um investimento ruinoso.

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

2
Lista de convocados:

Guarda-redes: Tiago Sá, Matheus e Eduardo;
Defesas: Esgaio, Bruno Viana, Pablo Santos, Sequeira, Wallace, Diogo Viana e Caju;
Médios: João Novais, Agbo, Palhinha e André Horta;
Avançados: Wilson Eduardo, Rui Fonte, Paulinho, Trincão, Ricardo Horta e Galeno.
3
Esperemos que o possivel negócio do estádio não seja outro igual ao das acções do Braga.

Aí já não se importou de perder 800 mil em papel. É um negócio "sportingado" ao contrário. Explico. Os lagartos beneficiaram e muito com a tal desvalorização das VMOCS. Aqui a CMB, e nós por arrasto, vendeu por 200 mil (não sabemos tudo) o que tinha custado 1 milhão.

4
Referendo para o ano? Está previsto em que mês? É que se for para Nov. ou Dez. nem vale a pena estarmos a perder tempo para já.
Por tudo o que já foi dito e demonstrado aqui no fórum, este estádio parece que nunca vai ser uma oportunidade para o SCB ( e nós sócios incluídos).
Por isso, sim, neste momento eu votaria a favor da venda daquele autêntico mausoléu. É inadequado para a modalidade e tudo o que a envolve, frio, escuro, inacessível (pelo menos para os mais incapacitados), coberto mas não parece, etç...tem uma coisa que eu gosto, a Natureza em todo o seu esplendor  :D Mas como aquilo devia ter como destino final um estádio de futebol e não uma selva, a verdura não vem nada a propósito. Só a relva!
5
E as obras na alameda como ficam? Vamos gastar dinheiro para depois deitar abaixo ou ir para um amigo? A não ser que estejam a fazer a tramóia do clube comprar o estádio pinhões, porque se for o meu voto é contra.
6
E a cidade desportiva, vai junto com o estádio para a nova localização?
Quantos clubes com dimensão conheces com as academias à porta do estádio? Não é por aí que se vai tomar a decisão.

Em relação ao futuro do estádio, para mim, o problema do estádio não é tanto o sítio (já foi mais, agora nem tanto). Os problemas que o sítio ainda traz podem ser mitigados com um ou dois acessos e mais carreiras de transportes públicos.
O principal problema é o conceito, passo a expor.
É a forma como foi pensado, como se fosse para ver uma ópera em que apenas se pensou no ponto de visão do espectador. Nesse aspeto, o estádio é eficaz. Vê-se bem de quase qualquer sítio. Melhor que atrás das balizas sem dúvida. Mas... O futebol é mais que isso. É também ambiente, é fervor, é gritos , é cânticos e muito mais. Nos moldes atuais, quem for para a bancada superior ver um jogo, parece que está a ver um velório, salvo raras exceções. Uma pessoa sente-se desnecessariamente "afastada" da ação. Estamos longe do relvado e está pouca gente (por norma) nas superiores. Mais valia ir para o café, que o ambiente vibra mais.
Há motivos para os estádios terem 4 bancadas. Além de todos os motivos do parágrafo anterior, construir em altura sai sempre MUITO mais caro. Não há necessidade de termos um estádio mais alto que o de Alvalade quando só temos 55% da lotação do mesmo.
Quatro bancadas permitem "isolar" um pouco melhor o estádio das intempéries. O nosso estádio faz túnel de vento por lhe faltarem dois tampões. Já é numa zona mais fria que a cidade, mas o que torna mesmo mau é a maneira como estamos desprotegidos do clima.
Outro motivo, a segurança. 4 Bancadas permitem separar os grupos de adeptos muito mais facilmente, e não termos de recorrer a caixas de segurança e colocar os visitantes por cima dos nossos. Além do desconforto que isso provoca, aqui neste caso ainda tem o benefício de uma pala enorme que lhes dá uma muleta vocal do piorio. Qualquer grupo de mais de 100 pessoas consegue parecer que está a jogar em casa quando vai para a caixa de segurança, e isso é um problema sério em termos de "marketing" da nossa massa adepta aos demais. Os espanhóis construiram toda uma marca à volta dos adeptos, dá dinheiro e puxa mais gente ao estádio num efeito "bola de neve". Nós temos este handicap gigante.

Se pudéssemos construir um estádio, de forma ponderada, responsável, a pensar na sustentabilidade futura do mesmo, sem manias de grandeza e de novo-riquismo era o ideal. O sítio até poderia ser o mesmo, desde que melhor aproveitado. O estádio novo a ser construido, ou este a ser reabilitado têm de ter o adepto e o consumidor final como ponto fulcral do conceito. O atual EMB teve o objetivo de ganhar prémios, pouco mais.
A arquitetura é para o utilizador, não é para o crítico de arte.

Vender é uma questão mais complexa. Primeiro porque ninguém o vai querer só pelos encargos, segundo porque como já temos todo o investimento na cidade desportiva naquela zona é complicado estar a introduzir terceiros com potenciais interesses nefastos ao clube. A cidade não tem interesse em manter o estádio, mas também não tem interesse em que o Braga saia e aquilo fique ao abandono. É um caso muito complicado em que ninguém está satisfeito neste momento.

7
Uns serão contra outros a favor, mas o fulcral aqui será mesmo o valor da possível venda. É que dar legitimidade para vender e depois ser vendido por tostões, em vez de um negócio ruinoso fazíamos dois. Faz-me lembrar os ingleses e o Brexit, que votaram para sair sem saber bem os termos e o que isso implicava.
O debate podia ser feito nas próximas autárquicas, com os candidatos a apresentarem propostas e a tomarem posição sobre isto, mas são só daqui a 2 anos.
Se sair por 1€ já se poupa na manutenção.
O dinheiro metido no estádio é dinheiro perdido, nunca vais recuperar.
Vender? se houvesse alguém, mas quem?
8
1 - Futebol / Clube / SAD / Re: Estádio Municipal de Braga
« Última mensagem por rpo.castro em Hoje às 15:16 »
Em 2000 no estádio 1ªmaio dava para fazer o que se quisesse! E ainda hoje dá se assim houver interesse, mesmo sendo monumento nacional.
Convém referir que os valores apresentados são do estádio, mas não só, também da sua envolvência, incluindo por exemplo os terrenos, e até o campo de treinos e estradas. Valores grande parte que também já estavam englobados quando se falou nos valores de construção do estádio, que penso no início seria de 65milhões. No entanto o estádio sozinho teve um custo pornográfico. (alguém devia estar preso). Estamos a falar de juros no valor de 25milhões de euros por exemplo, dava para pagar um estádio. (o do Gil acho que custou metade disso)
Quanto às comparações servem apenas para se ter noção do que se poderia ter feito (e continuar a fazer no futuro) pela cidade, embora face ao circo dos últimos anos penso que nesta altura eram dispensáveis vindo da Câmara.

Não que interesse para o tema, mas em 1º lugar este assunto só surgiu agora porque a CDU pediu à Câmara para de uma vez por todas para esclarecer o assunto estádio, e finalmente isso foi feito. Houve hoje reunião de Câmara onde foi discutido o assunto. Quanto ao Firmino Marques por ser deputado não vai deixar de se apresentar perante a justiça, obviamente, nem sei de onde é que foram tirar essa ideia mirabolante. (tal como acontece com qualquer deputado), nem vejo que interesse isso possa ter para este tema.
Pois, se calhar Imunidade Parlamentar não significa Imunidade Parlamentar conforme Lei 7/93, mas como os nomes são parecidos fiz confusão.

E o facto de o tema custos do estádio vir à baila no dia em que sai uma notícia desfavorável para este executivo camarário deve ser só coincidência como existem tantas no mundo da política e futebol.

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk
Outra vez arroz!! Não me digas que perdeste tempo a ler a lei e não viste que a imunidade parlamentar é levantada em casos de justiça semelhantes e por norma sempre a pedido do arguido ou acusado. Por isso essa tua teoria tem um fundamento vazio de conteúdo e acho que nem fazes a mínima ideia do que estás a dizer neste caso, mais ainda em relação à pessoa em causa. (não digo mais porque  isto nem é assunto que interesse para aqui).

Quanto aos valores saírem hoje, como disse isto saiu após um pedido da CDU e a reunião de hoje acontece de 15 em 15 dias... por isso o que disseste faz tanto sentido como batatas. Ou seja há uma reunião de 15 em 15 dias, havia 14 dias livres para sair a noticia, mas saiu hoje e curiosamente tu achas que a coincidência é os valores terem saído hoje. (e já agora porque não saíram os valores há 15 dias ou 3 semanas quando saíram noticias sobre Firmino Marques, mesmo na véspera das eleições?)
Se a noticia saísse amanhã ou tivesse saído ontem já não havia reunião. Estás a perceber o vazio da argumentação...
Sei qual é a lei mas não a conheço em detalhe, mas já que a conheces tão bem fico mais descansado. É que a imunidade parlamentar só pode ser levantada pela AR em casos de crimes graves ou de flagrante delito, fora nestes casos os deputados não podem ser sequer constituído arguidos mas enfim.

As noticias saiem em resposta a mais uma exposição/apresentação do Souto Mouro. Mas até me referia no geral. No dia em que sai a noticia das constituição dos elementos da CMB como arguidos, RR publicava mais uma intervenção sobre os custos do estádio.
9
E a cidade desportiva, vai junto com o estádio para a nova localização?
10
Uns serão contra outros a favor, mas o fulcral aqui será mesmo o valor da possível venda. É que dar legitimidade para vender e depois ser vendido por tostões, em vez de um negócio ruinoso fazíamos dois. Faz-me lembrar os ingleses e o Brexit, que votaram para sair sem saber bem os termos e o que isso implicava.
O debate podia ser feito nas próximas autárquicas, com os candidatos a apresentarem propostas e a tomarem posição sobre isto, mas são só daqui a 2 anos.
Páginas: [1] 2 3 4 5 ... 10