Quantcast
Lugares Anuais 2021/22
You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Lugares Anuais 2021/22
74 Respostas
6438 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 18565
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #60 em: 11 de Outubro de 2021, 13:35 »
Essa diabolização da sport TV é um tiro ao lado, os principais responsáveis pelos inaceitáveis horários tardios dos jogos são os presidentes dos clubes que aquando da negociação dos seus contratos televisivos apenas se preocuparam com valor a encaixar abdicando de todo e qualquer direito a favor do operador televisivo.

Que culpa tem a sport TV, empresa privada, em colocar em prática todos os direitos que as negociações com cada clube lhe conferiram tendo em vista a maximização do seu lucro? Nenhuma e mal gerida seria se não o fizesse.

Como é o Braga que me interessa a responsabilidade dos horários tardios dos nossos jogos (são principalmente os de inverno - 20H, 20:30H, 21H, 21:15H, 21:30H - que me afastam do estádio) é em grande parte de AS pois foi ele que assinou o contrato com a sport TV e lhe conferiu plenos direitos para marcar os jogos às horas que melhor sirvam os seus interesses comerciais, todo a troco de mais uns euros, relegando os sócios e adeptos para um plano  tao secundário que a sua presença no estádio em maior número, directamente relacionada com os horários dos jogos, nunca foi tida em conta nem preocupação nessa negociação.

Tal como o PAF referiu a sport tv não é a causa de todos os males e, em minha opinião, nem sequer causa é e se é consequência é-a porque os clubes, pela mão/caneta dos seus presidentes, assim o quiseram (o actual estado de coisas, horários dos jogos, era previsível, bastante fácil de antever)...as verdadeiras causas são AS e os presidentes dos outros clubes que abdicaram de uma série de direitos, entre eles a marcação dos horários dos jogos em favor do operador de tv (LPFP?), a troco de mais uns "trocos", contribuindo assim para transformar o futebol num jogo cada vez mais de sofá e cada vez menos de bancada...para além de outras coisas - preços, acessibilidades, (des)conforto - as bancadas cada vez mais vazias são consequência directa de algumas alíneas que constam no contrato televisivo que AS assinou e que se saiba nada fez para o tentar modificar à data da sua assinatura (a não ser mais euros), nem sequer à posteriori. 

Esperemos que as consequências nefastas advindas de se ter  permitido ao operador marcar, a seu bel-prazer, as horários dos jogos tenham servido de aprendizagem para se fazer diferente na negociação dos direitos televisivos centralizados... esperemos que desta vez os clubes tenham em consideração os seus sócios/adeptos (os clubes são os seus associados) e os seus direitos, desde logo e principalmente o de poderem assistir aos jogos do(s) clube(s) no(s) seu(s) estádio(s) a horas decentes, que esses direitos não sejam novamente esquecidos e vendidos a troco de mais uns "trocos" (os clubes tem que chegar a um consenso nesta matéria e não ceder na hora da negociação dos direitos televisivos centralizados mesmo que isso signifique menos 5% a 10% do valor total do contrato pois o futebol é dos adeptos e para os adeptos, dos sócios e para os sócios nas bancadas). A esperança não é muita mas o novo contrato de centralização de direitos televisivos não pode conter uma ou mais alíneas que confira à operadora plenos direitos para marcar os jogos às horas, por vezes até o dia, que bem entender.

O problema é que quem tem o dinheiro manda. Ponto. Quando vais a um banco pedir um crédito segues TUDO o que eles te mandam ou então não tens acesso ao dinheiro. Ponto final. A única diferença é que tens concorrência e podes tentar ver se as condições de um banco são melhores que a do outro, mas no fim pias fininho e aceitas tudo o que te metem à frente ou não te dão o dinheiro. No caso da Sport TV é igual com a agravante de até aqui eles terem o monopólio. O Oliveira chega à beira dos clubes e diz "é X e eu controlo os horários. Queres, queres, não queres, não há dinheiro".

É muito fácil vir falar mas no fim é o dinheiro da Sport TV que mantém a SAD (em grande parte) e quem tem a faca e o queijo na mão é a operadora. Os clubes sem o dinheiro das transmissões simplesmente acabam. Para o ter têm que se sujeitar às condições que lhes são impostas.

O comunicado de há uns tempos não foi atirar areia para os olhos, foi mostrar a toda a gente que 1) o Braga tinha, factualmente, os piores horários e 2) não tinha voto na matéria. E foi uma forma de tentar pressionar a operadora.

E isto não é um problema só em Portugal. É assim em todos os campeonatos pela Europa fora. A operadora controla os horários. Por isso é que começam agora a ver jogos do Real Madrid, Barcelona, PSG, etc às 12h ou às 13h, que a operadora força para terem audiências na Ásia. A questão aqui é que em alguns campeonatos, como o inglês ou alemão, a tradição de se jogar ao sábado ao início da tarde é tão grande que se sobrepõe a tudo e aqui não são os clubes que forçam (eles querem é que venha o dinheiro) são os adeptos que têm uma força enorme e a mentalidade das próprias instituições. Jamais a Premier ou a Bundesliga iriam tomar medidas diretamente contra os adeptos (veja-se o celeuma dos jogos da Bundesliga à 2ª feira que levou a que tivessem que voltar a trás devido à pressão dos adeptos ou as críticas ferozes aos jogos da premier ao sábado à noite - para já vão se manter mas há já uma vaga de fundo para os retirar), porque sabem que são eles que dão dinheiro. Infelizmente em Portugal e noutros países latinos (veja-se Espanha com horários de jogos às 22h...) ninguém tem essa mentalidade e a operadora faz o que quer e o que lhe apetece. É um problema de mentalidade e aqui só a própria Liga poderia ter algum poder de regulação junto das operadoras, como acontece com a Premier League. Mas a Liga também não tem dinheiro e é uma instituição sem peso algum, pelo que no fim é outra que vai de mão estendida em direção ao Oliveira.

Isto no fim resume-se a dinheiro. Quem tem dinheiro manda no negócio, quem precisa do dinheiro segue quem manda.

De facto por muito que custe tudo o que escreveste é factual. E acontece tal como referiste. 
Apesar disso esta situação de poder da operadora só acontece porque além de vistas curtas os presidentes de todos os clubes da liga, não é só o nosso, não têm qualquer noção do valor que representam como um todo e cada come o que lhe põe no prato em vez de todos juntos decidirem o menu.

A operadora só existe por causa do futebol da primeira liga, podem "oferecer" ligas estrangeiras, motogp, f1 que sem futebol a grande maioria dos assinantes desiste. Ora sabendo disto o que fizeram os presidentes dos clubes? Andaram na CS a medir pilinhas e ver quem fez o melhor contrato e quem negoceia melhor.

Quem tem dinheiro manda, mas sem produto não há vendas. Sem os jogos de 15 clubes não há operadora. Eram precisos presidentes que soubessem ver para lá dos números e do ego.
Areia para os olhos dos adeptos porque nesse relatório factual (ter os piores horários da Europa) faltou dizer o porquê de assim ser, faltou dizer que o SCB SAD assinou um contrato de cedência de direitos televisivos que permite ao operador marcar os jogos para as horas que bem entender...se temos os piores horários da Europa e arredores é porque o SCB SAD concordou com todos os termos do contrato...que se saiba nada fez para salvaguardar os direitos dos sócios e adeptos poderem ir ao estádio a horas decentes (poderia ter negociado os horários dos jogos em vez de assinar "em branco" a troco de mais euros).
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 3712
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #61 em: 11 de Outubro de 2021, 23:48 »
Essa diabolização da sport TV é um tiro ao lado, os principais responsáveis pelos inaceitáveis horários tardios dos jogos são os presidentes dos clubes que aquando da negociação dos seus contratos televisivos apenas se preocuparam com valor a encaixar abdicando de todo e qualquer direito a favor do operador televisivo.

Que culpa tem a sport TV, empresa privada, em colocar em prática todos os direitos que as negociações com cada clube lhe conferiram tendo em vista a maximização do seu lucro? Nenhuma e mal gerida seria se não o fizesse.

Como é o Braga que me interessa a responsabilidade dos horários tardios dos nossos jogos (são principalmente os de inverno - 20H, 20:30H, 21H, 21:15H, 21:30H - que me afastam do estádio) é em grande parte de AS pois foi ele que assinou o contrato com a sport TV e lhe conferiu plenos direitos para marcar os jogos às horas que melhor sirvam os seus interesses comerciais, todo a troco de mais uns euros, relegando os sócios e adeptos para um plano  tao secundário que a sua presença no estádio em maior número, directamente relacionada com os horários dos jogos, nunca foi tida em conta nem preocupação nessa negociação.

Tal como o PAF referiu a sport tv não é a causa de todos os males e, em minha opinião, nem sequer causa é e se é consequência é-a porque os clubes, pela mão/caneta dos seus presidentes, assim o quiseram (o actual estado de coisas, horários dos jogos, era previsível, bastante fácil de antever)...as verdadeiras causas são AS e os presidentes dos outros clubes que abdicaram de uma série de direitos, entre eles a marcação dos horários dos jogos em favor do operador de tv (LPFP?), a troco de mais uns "trocos", contribuindo assim para transformar o futebol num jogo cada vez mais de sofá e cada vez menos de bancada...para além de outras coisas - preços, acessibilidades, (des)conforto - as bancadas cada vez mais vazias são consequência directa de algumas alíneas que constam no contrato televisivo que AS assinou e que se saiba nada fez para o tentar modificar à data da sua assinatura (a não ser mais euros), nem sequer à posteriori. 

Esperemos que as consequências nefastas advindas de se ter  permitido ao operador marcar, a seu bel-prazer, as horários dos jogos tenham servido de aprendizagem para se fazer diferente na negociação dos direitos televisivos centralizados... esperemos que desta vez os clubes tenham em consideração os seus sócios/adeptos (os clubes são os seus associados) e os seus direitos, desde logo e principalmente o de poderem assistir aos jogos do(s) clube(s) no(s) seu(s) estádio(s) a horas decentes, que esses direitos não sejam novamente esquecidos e vendidos a troco de mais uns "trocos" (os clubes tem que chegar a um consenso nesta matéria e não ceder na hora da negociação dos direitos televisivos centralizados mesmo que isso signifique menos 5% a 10% do valor total do contrato pois o futebol é dos adeptos e para os adeptos, dos sócios e para os sócios nas bancadas). A esperança não é muita mas o novo contrato de centralização de direitos televisivos não pode conter uma ou mais alíneas que confira à operadora plenos direitos para marcar os jogos às horas, por vezes até o dia, que bem entender.

O problema é que quem tem o dinheiro manda. Ponto. Quando vais a um banco pedir um crédito segues TUDO o que eles te mandam ou então não tens acesso ao dinheiro. Ponto final. A única diferença é que tens concorrência e podes tentar ver se as condições de um banco são melhores que a do outro, mas no fim pias fininho e aceitas tudo o que te metem à frente ou não te dão o dinheiro. No caso da Sport TV é igual com a agravante de até aqui eles terem o monopólio. O Oliveira chega à beira dos clubes e diz "é X e eu controlo os horários. Queres, queres, não queres, não há dinheiro".

É muito fácil vir falar mas no fim é o dinheiro da Sport TV que mantém a SAD (em grande parte) e quem tem a faca e o queijo na mão é a operadora. Os clubes sem o dinheiro das transmissões simplesmente acabam. Para o ter têm que se sujeitar às condições que lhes são impostas.

O comunicado de há uns tempos não foi atirar areia para os olhos, foi mostrar a toda a gente que 1) o Braga tinha, factualmente, os piores horários e 2) não tinha voto na matéria. E foi uma forma de tentar pressionar a operadora.

E isto não é um problema só em Portugal. É assim em todos os campeonatos pela Europa fora. A operadora controla os horários. Por isso é que começam agora a ver jogos do Real Madrid, Barcelona, PSG, etc às 12h ou às 13h, que a operadora força para terem audiências na Ásia. A questão aqui é que em alguns campeonatos, como o inglês ou alemão, a tradição de se jogar ao sábado ao início da tarde é tão grande que se sobrepõe a tudo e aqui não são os clubes que forçam (eles querem é que venha o dinheiro) são os adeptos que têm uma força enorme e a mentalidade das próprias instituições. Jamais a Premier ou a Bundesliga iriam tomar medidas diretamente contra os adeptos (veja-se o celeuma dos jogos da Bundesliga à 2ª feira que levou a que tivessem que voltar a trás devido à pressão dos adeptos ou as críticas ferozes aos jogos da premier ao sábado à noite - para já vão se manter mas há já uma vaga de fundo para os retirar), porque sabem que são eles que dão dinheiro. Infelizmente em Portugal e noutros países latinos (veja-se Espanha com horários de jogos às 22h...) ninguém tem essa mentalidade e a operadora faz o que quer e o que lhe apetece. É um problema de mentalidade e aqui só a própria Liga poderia ter algum poder de regulação junto das operadoras, como acontece com a Premier League. Mas a Liga também não tem dinheiro e é uma instituição sem peso algum, pelo que no fim é outra que vai de mão estendida em direção ao Oliveira.

Isto no fim resume-se a dinheiro. Quem tem dinheiro manda no negócio, quem precisa do dinheiro segue quem manda.

De facto por muito que custe tudo o que escreveste é factual. E acontece tal como referiste. 
Apesar disso esta situação de poder da operadora só acontece porque além de vistas curtas os presidentes de todos os clubes da liga, não é só o nosso, não têm qualquer noção do valor que representam como um todo e cada come o que lhe põe no prato em vez de todos juntos decidirem o menu.

A operadora só existe por causa do futebol da primeira liga, podem "oferecer" ligas estrangeiras, motogp, f1 que sem futebol a grande maioria dos assinantes desiste. Ora sabendo disto o que fizeram os presidentes dos clubes? Andaram na CS a medir pilinhas e ver quem fez o melhor contrato e quem negoceia melhor.

Quem tem dinheiro manda, mas sem produto não há vendas. Sem os jogos de 15 clubes não há operadora. Eram precisos presidentes que soubessem ver para lá dos números e do ego.
Areia para os olhos dos adeptos porque nesse relatório factual (ter os piores horários da Europa) faltou dizer o porquê de assim ser, faltou dizer que o SCB SAD assinou um contrato de cedência de direitos televisivos que permite ao operador marcar os jogos para as horas que bem entender...se temos os piores horários da Europa e arredores é porque o SCB SAD concordou com todos os termos do contrato...que se saiba nada fez para salvaguardar os direitos dos sócios e adeptos poderem ir ao estádio a horas decentes (poderia ter negociado os horários dos jogos em vez de assinar "em branco" a troco de mais euros).

Então e qual era a alternativa? Rejeitar? E esse dinheiro depois vem de onde?
Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus.
Anuncios M
Anuncios M
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 18565
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #62 em: 12 de Outubro de 2021, 11:03 »
Essa diabolização da sport TV é um tiro ao lado, os principais responsáveis pelos inaceitáveis horários tardios dos jogos são os presidentes dos clubes que aquando da negociação dos seus contratos televisivos apenas se preocuparam com valor a encaixar abdicando de todo e qualquer direito a favor do operador televisivo.

Que culpa tem a sport TV, empresa privada, em colocar em prática todos os direitos que as negociações com cada clube lhe conferiram tendo em vista a maximização do seu lucro? Nenhuma e mal gerida seria se não o fizesse.

Como é o Braga que me interessa a responsabilidade dos horários tardios dos nossos jogos (são principalmente os de inverno - 20H, 20:30H, 21H, 21:15H, 21:30H - que me afastam do estádio) é em grande parte de AS pois foi ele que assinou o contrato com a sport TV e lhe conferiu plenos direitos para marcar os jogos às horas que melhor sirvam os seus interesses comerciais, todo a troco de mais uns euros, relegando os sócios e adeptos para um plano  tao secundário que a sua presença no estádio em maior número, directamente relacionada com os horários dos jogos, nunca foi tida em conta nem preocupação nessa negociação.

Tal como o PAF referiu a sport tv não é a causa de todos os males e, em minha opinião, nem sequer causa é e se é consequência é-a porque os clubes, pela mão/caneta dos seus presidentes, assim o quiseram (o actual estado de coisas, horários dos jogos, era previsível, bastante fácil de antever)...as verdadeiras causas são AS e os presidentes dos outros clubes que abdicaram de uma série de direitos, entre eles a marcação dos horários dos jogos em favor do operador de tv (LPFP?), a troco de mais uns "trocos", contribuindo assim para transformar o futebol num jogo cada vez mais de sofá e cada vez menos de bancada...para além de outras coisas - preços, acessibilidades, (des)conforto - as bancadas cada vez mais vazias são consequência directa de algumas alíneas que constam no contrato televisivo que AS assinou e que se saiba nada fez para o tentar modificar à data da sua assinatura (a não ser mais euros), nem sequer à posteriori. 

Esperemos que as consequências nefastas advindas de se ter  permitido ao operador marcar, a seu bel-prazer, as horários dos jogos tenham servido de aprendizagem para se fazer diferente na negociação dos direitos televisivos centralizados... esperemos que desta vez os clubes tenham em consideração os seus sócios/adeptos (os clubes são os seus associados) e os seus direitos, desde logo e principalmente o de poderem assistir aos jogos do(s) clube(s) no(s) seu(s) estádio(s) a horas decentes, que esses direitos não sejam novamente esquecidos e vendidos a troco de mais uns "trocos" (os clubes tem que chegar a um consenso nesta matéria e não ceder na hora da negociação dos direitos televisivos centralizados mesmo que isso signifique menos 5% a 10% do valor total do contrato pois o futebol é dos adeptos e para os adeptos, dos sócios e para os sócios nas bancadas). A esperança não é muita mas o novo contrato de centralização de direitos televisivos não pode conter uma ou mais alíneas que confira à operadora plenos direitos para marcar os jogos às horas, por vezes até o dia, que bem entender.

O problema é que quem tem o dinheiro manda. Ponto. Quando vais a um banco pedir um crédito segues TUDO o que eles te mandam ou então não tens acesso ao dinheiro. Ponto final. A única diferença é que tens concorrência e podes tentar ver se as condições de um banco são melhores que a do outro, mas no fim pias fininho e aceitas tudo o que te metem à frente ou não te dão o dinheiro. No caso da Sport TV é igual com a agravante de até aqui eles terem o monopólio. O Oliveira chega à beira dos clubes e diz "é X e eu controlo os horários. Queres, queres, não queres, não há dinheiro".

É muito fácil vir falar mas no fim é o dinheiro da Sport TV que mantém a SAD (em grande parte) e quem tem a faca e o queijo na mão é a operadora. Os clubes sem o dinheiro das transmissões simplesmente acabam. Para o ter têm que se sujeitar às condições que lhes são impostas.

O comunicado de há uns tempos não foi atirar areia para os olhos, foi mostrar a toda a gente que 1) o Braga tinha, factualmente, os piores horários e 2) não tinha voto na matéria. E foi uma forma de tentar pressionar a operadora.

E isto não é um problema só em Portugal. É assim em todos os campeonatos pela Europa fora. A operadora controla os horários. Por isso é que começam agora a ver jogos do Real Madrid, Barcelona, PSG, etc às 12h ou às 13h, que a operadora força para terem audiências na Ásia. A questão aqui é que em alguns campeonatos, como o inglês ou alemão, a tradição de se jogar ao sábado ao início da tarde é tão grande que se sobrepõe a tudo e aqui não são os clubes que forçam (eles querem é que venha o dinheiro) são os adeptos que têm uma força enorme e a mentalidade das próprias instituições. Jamais a Premier ou a Bundesliga iriam tomar medidas diretamente contra os adeptos (veja-se o celeuma dos jogos da Bundesliga à 2ª feira que levou a que tivessem que voltar a trás devido à pressão dos adeptos ou as críticas ferozes aos jogos da premier ao sábado à noite - para já vão se manter mas há já uma vaga de fundo para os retirar), porque sabem que são eles que dão dinheiro. Infelizmente em Portugal e noutros países latinos (veja-se Espanha com horários de jogos às 22h...) ninguém tem essa mentalidade e a operadora faz o que quer e o que lhe apetece. É um problema de mentalidade e aqui só a própria Liga poderia ter algum poder de regulação junto das operadoras, como acontece com a Premier League. Mas a Liga também não tem dinheiro e é uma instituição sem peso algum, pelo que no fim é outra que vai de mão estendida em direção ao Oliveira.

Isto no fim resume-se a dinheiro. Quem tem dinheiro manda no negócio, quem precisa do dinheiro segue quem manda.

De facto por muito que custe tudo o que escreveste é factual. E acontece tal como referiste. 
Apesar disso esta situação de poder da operadora só acontece porque além de vistas curtas os presidentes de todos os clubes da liga, não é só o nosso, não têm qualquer noção do valor que representam como um todo e cada come o que lhe põe no prato em vez de todos juntos decidirem o menu.

A operadora só existe por causa do futebol da primeira liga, podem "oferecer" ligas estrangeiras, motogp, f1 que sem futebol a grande maioria dos assinantes desiste. Ora sabendo disto o que fizeram os presidentes dos clubes? Andaram na CS a medir pilinhas e ver quem fez o melhor contrato e quem negoceia melhor.

Quem tem dinheiro manda, mas sem produto não há vendas. Sem os jogos de 15 clubes não há operadora. Eram precisos presidentes que soubessem ver para lá dos números e do ego.
Areia para os olhos dos adeptos porque nesse relatório factual (ter os piores horários da Europa) faltou dizer o porquê de assim ser, faltou dizer que o SCB SAD assinou um contrato de cedência de direitos televisivos que permite ao operador marcar os jogos para as horas que bem entender...se temos os piores horários da Europa e arredores é porque o SCB SAD concordou com todos os termos do contrato...que se saiba nada fez para salvaguardar os direitos dos sócios e adeptos poderem ir ao estádio a horas decentes (poderia ter negociado os horários dos jogos em vez de assinar "em branco" a troco de mais euros).

Então e qual era a alternativa? Rejeitar? E esse dinheiro depois vem de onde?
Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus.
Na generalidade concordo com o que escreveste no teu primeiro post apenas acho que muito mais deveriamos ter feito relativamente à venda integral dos horários dos jogos à operadora, permitir-lhe ser exclusivamente ela a decidir os horários dos jogos sem qualquer condicionantes...uma negociação não é concordar com todos os termos de um contrato que uma das partes apresenta, é negociar esses termos e procurar que ambas as partes saiam satisfeitas dessa negociação (relembro que a operadora a quem vendemos os direitos televisivos não era a única em campo, tinha concorrência).

Em que dados factuais te baseias  para dizer que "Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus"...o SCB deveria ter lutado com unhas e dentes para se encontrar uma solução que servisse os interesses de ambas as partes e não apenas os interesses da operadora...entre tudo para a operadora e nada para o SCB teria que haver cedência por parte da operadora para que o nada para o SC pudesse ser transformado e algo mais, um meio termo talvez.

Mal estariam as melhores Ligas europeias se tivessem oferecido às operadoras os horários dos seus jogos exclusivamente em função dos interesses comerciais dessas operadoras...os horários dos jogos da  nossa Liga são vergonhosos em comparação com os horários das melhores Ligas europeias (top 5 ou top 6 se nos incluirmos), basta numa pesquisa rápida ver os horários da próxima jornada das Ligas top 6 para se constatar o quão desfasada está a nossa Liga das restantes a esse nível (claro que algumas também beneficiam de bons horários devido ao mercado asiático).
« Última modificação: 12 de Outubro de 2021, 11:10 por Lipeste »
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14206
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #63 em: 12 de Outubro de 2021, 13:24 »
Essa diabolização da sport TV é um tiro ao lado, os principais responsáveis pelos inaceitáveis horários tardios dos jogos são os presidentes dos clubes que aquando da negociação dos seus contratos televisivos apenas se preocuparam com valor a encaixar abdicando de todo e qualquer direito a favor do operador televisivo.

Que culpa tem a sport TV, empresa privada, em colocar em prática todos os direitos que as negociações com cada clube lhe conferiram tendo em vista a maximização do seu lucro? Nenhuma e mal gerida seria se não o fizesse.

Como é o Braga que me interessa a responsabilidade dos horários tardios dos nossos jogos (são principalmente os de inverno - 20H, 20:30H, 21H, 21:15H, 21:30H - que me afastam do estádio) é em grande parte de AS pois foi ele que assinou o contrato com a sport TV e lhe conferiu plenos direitos para marcar os jogos às horas que melhor sirvam os seus interesses comerciais, todo a troco de mais uns euros, relegando os sócios e adeptos para um plano  tao secundário que a sua presença no estádio em maior número, directamente relacionada com os horários dos jogos, nunca foi tida em conta nem preocupação nessa negociação.

Tal como o PAF referiu a sport tv não é a causa de todos os males e, em minha opinião, nem sequer causa é e se é consequência é-a porque os clubes, pela mão/caneta dos seus presidentes, assim o quiseram (o actual estado de coisas, horários dos jogos, era previsível, bastante fácil de antever)...as verdadeiras causas são AS e os presidentes dos outros clubes que abdicaram de uma série de direitos, entre eles a marcação dos horários dos jogos em favor do operador de tv (LPFP?), a troco de mais uns "trocos", contribuindo assim para transformar o futebol num jogo cada vez mais de sofá e cada vez menos de bancada...para além de outras coisas - preços, acessibilidades, (des)conforto - as bancadas cada vez mais vazias são consequência directa de algumas alíneas que constam no contrato televisivo que AS assinou e que se saiba nada fez para o tentar modificar à data da sua assinatura (a não ser mais euros), nem sequer à posteriori. 

Esperemos que as consequências nefastas advindas de se ter  permitido ao operador marcar, a seu bel-prazer, as horários dos jogos tenham servido de aprendizagem para se fazer diferente na negociação dos direitos televisivos centralizados... esperemos que desta vez os clubes tenham em consideração os seus sócios/adeptos (os clubes são os seus associados) e os seus direitos, desde logo e principalmente o de poderem assistir aos jogos do(s) clube(s) no(s) seu(s) estádio(s) a horas decentes, que esses direitos não sejam novamente esquecidos e vendidos a troco de mais uns "trocos" (os clubes tem que chegar a um consenso nesta matéria e não ceder na hora da negociação dos direitos televisivos centralizados mesmo que isso signifique menos 5% a 10% do valor total do contrato pois o futebol é dos adeptos e para os adeptos, dos sócios e para os sócios nas bancadas). A esperança não é muita mas o novo contrato de centralização de direitos televisivos não pode conter uma ou mais alíneas que confira à operadora plenos direitos para marcar os jogos às horas, por vezes até o dia, que bem entender.

O problema é que quem tem o dinheiro manda. Ponto. Quando vais a um banco pedir um crédito segues TUDO o que eles te mandam ou então não tens acesso ao dinheiro. Ponto final. A única diferença é que tens concorrência e podes tentar ver se as condições de um banco são melhores que a do outro, mas no fim pias fininho e aceitas tudo o que te metem à frente ou não te dão o dinheiro. No caso da Sport TV é igual com a agravante de até aqui eles terem o monopólio. O Oliveira chega à beira dos clubes e diz "é X e eu controlo os horários. Queres, queres, não queres, não há dinheiro".

É muito fácil vir falar mas no fim é o dinheiro da Sport TV que mantém a SAD (em grande parte) e quem tem a faca e o queijo na mão é a operadora. Os clubes sem o dinheiro das transmissões simplesmente acabam. Para o ter têm que se sujeitar às condições que lhes são impostas.

O comunicado de há uns tempos não foi atirar areia para os olhos, foi mostrar a toda a gente que 1) o Braga tinha, factualmente, os piores horários e 2) não tinha voto na matéria. E foi uma forma de tentar pressionar a operadora.

E isto não é um problema só em Portugal. É assim em todos os campeonatos pela Europa fora. A operadora controla os horários. Por isso é que começam agora a ver jogos do Real Madrid, Barcelona, PSG, etc às 12h ou às 13h, que a operadora força para terem audiências na Ásia. A questão aqui é que em alguns campeonatos, como o inglês ou alemão, a tradição de se jogar ao sábado ao início da tarde é tão grande que se sobrepõe a tudo e aqui não são os clubes que forçam (eles querem é que venha o dinheiro) são os adeptos que têm uma força enorme e a mentalidade das próprias instituições. Jamais a Premier ou a Bundesliga iriam tomar medidas diretamente contra os adeptos (veja-se o celeuma dos jogos da Bundesliga à 2ª feira que levou a que tivessem que voltar a trás devido à pressão dos adeptos ou as críticas ferozes aos jogos da premier ao sábado à noite - para já vão se manter mas há já uma vaga de fundo para os retirar), porque sabem que são eles que dão dinheiro. Infelizmente em Portugal e noutros países latinos (veja-se Espanha com horários de jogos às 22h...) ninguém tem essa mentalidade e a operadora faz o que quer e o que lhe apetece. É um problema de mentalidade e aqui só a própria Liga poderia ter algum poder de regulação junto das operadoras, como acontece com a Premier League. Mas a Liga também não tem dinheiro e é uma instituição sem peso algum, pelo que no fim é outra que vai de mão estendida em direção ao Oliveira.

Isto no fim resume-se a dinheiro. Quem tem dinheiro manda no negócio, quem precisa do dinheiro segue quem manda.

De facto por muito que custe tudo o que escreveste é factual. E acontece tal como referiste. 
Apesar disso esta situação de poder da operadora só acontece porque além de vistas curtas os presidentes de todos os clubes da liga, não é só o nosso, não têm qualquer noção do valor que representam como um todo e cada come o que lhe põe no prato em vez de todos juntos decidirem o menu.

A operadora só existe por causa do futebol da primeira liga, podem "oferecer" ligas estrangeiras, motogp, f1 que sem futebol a grande maioria dos assinantes desiste. Ora sabendo disto o que fizeram os presidentes dos clubes? Andaram na CS a medir pilinhas e ver quem fez o melhor contrato e quem negoceia melhor.

Quem tem dinheiro manda, mas sem produto não há vendas. Sem os jogos de 15 clubes não há operadora. Eram precisos presidentes que soubessem ver para lá dos números e do ego.
Areia para os olhos dos adeptos porque nesse relatório factual (ter os piores horários da Europa) faltou dizer o porquê de assim ser, faltou dizer que o SCB SAD assinou um contrato de cedência de direitos televisivos que permite ao operador marcar os jogos para as horas que bem entender...se temos os piores horários da Europa e arredores é porque o SCB SAD concordou com todos os termos do contrato...que se saiba nada fez para salvaguardar os direitos dos sócios e adeptos poderem ir ao estádio a horas decentes (poderia ter negociado os horários dos jogos em vez de assinar "em branco" a troco de mais euros).

Então e qual era a alternativa? Rejeitar? E esse dinheiro depois vem de onde?
Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus.
Na generalidade concordo com o que escreveste no teu primeiro post apenas acho que muito mais deveriamos ter feito relativamente à venda integral dos horários dos jogos à operadora, permitir-lhe ser exclusivamente ela a decidir os horários dos jogos sem qualquer condicionantes...uma negociação não é concordar com todos os termos de um contrato que uma das partes apresenta, é negociar esses termos e procurar que ambas as partes saiam satisfeitas dessa negociação (relembro que a operadora a quem vendemos os direitos televisivos não era a única em campo, tinha concorrência).

Em que dados factuais te baseias  para dizer que "Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus"...o SCB deveria ter lutado com unhas e dentes para se encontrar uma solução que servisse os interesses de ambas as partes e não apenas os interesses da operadora...entre tudo para a operadora e nada para o SCB teria que haver cedência por parte da operadora para que o nada para o SC pudesse ser transformado e algo mais, um meio termo talvez.

Mal estariam as melhores Ligas europeias se tivessem oferecido às operadoras os horários dos seus jogos exclusivamente em função dos interesses comerciais dessas operadoras...os horários dos jogos da  nossa Liga são vergonhosos em comparação com os horários das melhores Ligas europeias (top 5 ou top 6 se nos incluirmos), basta numa pesquisa rápida ver os horários da próxima jornada das Ligas top 6 para se constatar o quão desfasada está a nossa Liga das restantes a esse nível (claro que algumas também beneficiam de bons horários devido ao mercado asiático).
Continua te a faltar um ponto essencial: nesta negociação o poder está na operadora. A operadora pode dar se ao luxo de não transmitir jogos do Braga. O Braga precisa do dinheiro transmissão tv. Logo aí inclina a mesa.
Depois não se pode dizer que o Braga não tenha negociado ou negociado mal. Lembro me na altura os espanhóis tinham valores similares mas mais coisas como publicidade estática.
E houve clubes como o Setúbal que iniciaram a época sem qualquer proposta de compra.
Quem não sente não é filho de boa gente.
Anuncios V
Somos Braga! Equipa Principal
  • *****
  • 1839
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #64 em: 12 de Outubro de 2021, 15:26 »
Essa diabolização da sport TV é um tiro ao lado, os principais responsáveis pelos inaceitáveis horários tardios dos jogos são os presidentes dos clubes que aquando da negociação dos seus contratos televisivos apenas se preocuparam com valor a encaixar abdicando de todo e qualquer direito a favor do operador televisivo.

Que culpa tem a sport TV, empresa privada, em colocar em prática todos os direitos que as negociações com cada clube lhe conferiram tendo em vista a maximização do seu lucro? Nenhuma e mal gerida seria se não o fizesse.

Como é o Braga que me interessa a responsabilidade dos horários tardios dos nossos jogos (são principalmente os de inverno - 20H, 20:30H, 21H, 21:15H, 21:30H - que me afastam do estádio) é em grande parte de AS pois foi ele que assinou o contrato com a sport TV e lhe conferiu plenos direitos para marcar os jogos às horas que melhor sirvam os seus interesses comerciais, todo a troco de mais uns euros, relegando os sócios e adeptos para um plano  tao secundário que a sua presença no estádio em maior número, directamente relacionada com os horários dos jogos, nunca foi tida em conta nem preocupação nessa negociação.

Tal como o PAF referiu a sport tv não é a causa de todos os males e, em minha opinião, nem sequer causa é e se é consequência é-a porque os clubes, pela mão/caneta dos seus presidentes, assim o quiseram (o actual estado de coisas, horários dos jogos, era previsível, bastante fácil de antever)...as verdadeiras causas são AS e os presidentes dos outros clubes que abdicaram de uma série de direitos, entre eles a marcação dos horários dos jogos em favor do operador de tv (LPFP?), a troco de mais uns "trocos", contribuindo assim para transformar o futebol num jogo cada vez mais de sofá e cada vez menos de bancada...para além de outras coisas - preços, acessibilidades, (des)conforto - as bancadas cada vez mais vazias são consequência directa de algumas alíneas que constam no contrato televisivo que AS assinou e que se saiba nada fez para o tentar modificar à data da sua assinatura (a não ser mais euros), nem sequer à posteriori. 

Esperemos que as consequências nefastas advindas de se ter  permitido ao operador marcar, a seu bel-prazer, as horários dos jogos tenham servido de aprendizagem para se fazer diferente na negociação dos direitos televisivos centralizados... esperemos que desta vez os clubes tenham em consideração os seus sócios/adeptos (os clubes são os seus associados) e os seus direitos, desde logo e principalmente o de poderem assistir aos jogos do(s) clube(s) no(s) seu(s) estádio(s) a horas decentes, que esses direitos não sejam novamente esquecidos e vendidos a troco de mais uns "trocos" (os clubes tem que chegar a um consenso nesta matéria e não ceder na hora da negociação dos direitos televisivos centralizados mesmo que isso signifique menos 5% a 10% do valor total do contrato pois o futebol é dos adeptos e para os adeptos, dos sócios e para os sócios nas bancadas). A esperança não é muita mas o novo contrato de centralização de direitos televisivos não pode conter uma ou mais alíneas que confira à operadora plenos direitos para marcar os jogos às horas, por vezes até o dia, que bem entender.

O problema é que quem tem o dinheiro manda. Ponto. Quando vais a um banco pedir um crédito segues TUDO o que eles te mandam ou então não tens acesso ao dinheiro. Ponto final. A única diferença é que tens concorrência e podes tentar ver se as condições de um banco são melhores que a do outro, mas no fim pias fininho e aceitas tudo o que te metem à frente ou não te dão o dinheiro. No caso da Sport TV é igual com a agravante de até aqui eles terem o monopólio. O Oliveira chega à beira dos clubes e diz "é X e eu controlo os horários. Queres, queres, não queres, não há dinheiro".

É muito fácil vir falar mas no fim é o dinheiro da Sport TV que mantém a SAD (em grande parte) e quem tem a faca e o queijo na mão é a operadora. Os clubes sem o dinheiro das transmissões simplesmente acabam. Para o ter têm que se sujeitar às condições que lhes são impostas.

O comunicado de há uns tempos não foi atirar areia para os olhos, foi mostrar a toda a gente que 1) o Braga tinha, factualmente, os piores horários e 2) não tinha voto na matéria. E foi uma forma de tentar pressionar a operadora.

E isto não é um problema só em Portugal. É assim em todos os campeonatos pela Europa fora. A operadora controla os horários. Por isso é que começam agora a ver jogos do Real Madrid, Barcelona, PSG, etc às 12h ou às 13h, que a operadora força para terem audiências na Ásia. A questão aqui é que em alguns campeonatos, como o inglês ou alemão, a tradição de se jogar ao sábado ao início da tarde é tão grande que se sobrepõe a tudo e aqui não são os clubes que forçam (eles querem é que venha o dinheiro) são os adeptos que têm uma força enorme e a mentalidade das próprias instituições. Jamais a Premier ou a Bundesliga iriam tomar medidas diretamente contra os adeptos (veja-se o celeuma dos jogos da Bundesliga à 2ª feira que levou a que tivessem que voltar a trás devido à pressão dos adeptos ou as críticas ferozes aos jogos da premier ao sábado à noite - para já vão se manter mas há já uma vaga de fundo para os retirar), porque sabem que são eles que dão dinheiro. Infelizmente em Portugal e noutros países latinos (veja-se Espanha com horários de jogos às 22h...) ninguém tem essa mentalidade e a operadora faz o que quer e o que lhe apetece. É um problema de mentalidade e aqui só a própria Liga poderia ter algum poder de regulação junto das operadoras, como acontece com a Premier League. Mas a Liga também não tem dinheiro e é uma instituição sem peso algum, pelo que no fim é outra que vai de mão estendida em direção ao Oliveira.

Isto no fim resume-se a dinheiro. Quem tem dinheiro manda no negócio, quem precisa do dinheiro segue quem manda.

De facto por muito que custe tudo o que escreveste é factual. E acontece tal como referiste. 
Apesar disso esta situação de poder da operadora só acontece porque além de vistas curtas os presidentes de todos os clubes da liga, não é só o nosso, não têm qualquer noção do valor que representam como um todo e cada come o que lhe põe no prato em vez de todos juntos decidirem o menu.

A operadora só existe por causa do futebol da primeira liga, podem "oferecer" ligas estrangeiras, motogp, f1 que sem futebol a grande maioria dos assinantes desiste. Ora sabendo disto o que fizeram os presidentes dos clubes? Andaram na CS a medir pilinhas e ver quem fez o melhor contrato e quem negoceia melhor.

Quem tem dinheiro manda, mas sem produto não há vendas. Sem os jogos de 15 clubes não há operadora. Eram precisos presidentes que soubessem ver para lá dos números e do ego.
Areia para os olhos dos adeptos porque nesse relatório factual (ter os piores horários da Europa) faltou dizer o porquê de assim ser, faltou dizer que o SCB SAD assinou um contrato de cedência de direitos televisivos que permite ao operador marcar os jogos para as horas que bem entender...se temos os piores horários da Europa e arredores é porque o SCB SAD concordou com todos os termos do contrato...que se saiba nada fez para salvaguardar os direitos dos sócios e adeptos poderem ir ao estádio a horas decentes (poderia ter negociado os horários dos jogos em vez de assinar "em branco" a troco de mais euros).

Então e qual era a alternativa? Rejeitar? E esse dinheiro depois vem de onde?
Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus.
Na generalidade concordo com o que escreveste no teu primeiro post apenas acho que muito mais deveriamos ter feito relativamente à venda integral dos horários dos jogos à operadora, permitir-lhe ser exclusivamente ela a decidir os horários dos jogos sem qualquer condicionantes...uma negociação não é concordar com todos os termos de um contrato que uma das partes apresenta, é negociar esses termos e procurar que ambas as partes saiam satisfeitas dessa negociação (relembro que a operadora a quem vendemos os direitos televisivos não era a única em campo, tinha concorrência).

Em que dados factuais te baseias  para dizer que "Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus"...o SCB deveria ter lutado com unhas e dentes para se encontrar uma solução que servisse os interesses de ambas as partes e não apenas os interesses da operadora...entre tudo para a operadora e nada para o SCB teria que haver cedência por parte da operadora para que o nada para o SC pudesse ser transformado e algo mais, um meio termo talvez.

Mal estariam as melhores Ligas europeias se tivessem oferecido às operadoras os horários dos seus jogos exclusivamente em função dos interesses comerciais dessas operadoras...os horários dos jogos da  nossa Liga são vergonhosos em comparação com os horários das melhores Ligas europeias (top 5 ou top 6 se nos incluirmos), basta numa pesquisa rápida ver os horários da próxima jornada das Ligas top 6 para se constatar o quão desfasada está a nossa Liga das restantes a esse nível (claro que algumas também beneficiam de bons horários devido ao mercado asiático).
Continua te a faltar um ponto essencial: nesta negociação o poder está na operadora. A operadora pode dar se ao luxo de não transmitir jogos do Braga. O Braga precisa do dinheiro transmissão tv. Logo aí inclina a mesa.
Depois não se pode dizer que o Braga não tenha negociado ou negociado mal. Lembro me na altura os espanhóis tinham valores similares mas mais coisas como publicidade estática.
E houve clubes como o Setúbal que iniciaram a época sem qualquer proposta de compra.
O único clube português que conseguiu bater o pé à operadora foi o Benfica. Supostamente representam cerca 50% dos adeptos de futebol em Portugal. Sem eles, a operadora estava fundida! Transmitiram os jogos na BTV, nos melhores horários possiveis. Quanto tempo resistiram até cederem novamente?

Enviado do meu SM-A515F através do Tapatalk

O verdadeiro adepto vê-se nas derrotas!
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 3712
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #65 em: 12 de Outubro de 2021, 15:54 »
Essa diabolização da sport TV é um tiro ao lado, os principais responsáveis pelos inaceitáveis horários tardios dos jogos são os presidentes dos clubes que aquando da negociação dos seus contratos televisivos apenas se preocuparam com valor a encaixar abdicando de todo e qualquer direito a favor do operador televisivo.

Que culpa tem a sport TV, empresa privada, em colocar em prática todos os direitos que as negociações com cada clube lhe conferiram tendo em vista a maximização do seu lucro? Nenhuma e mal gerida seria se não o fizesse.

Como é o Braga que me interessa a responsabilidade dos horários tardios dos nossos jogos (são principalmente os de inverno - 20H, 20:30H, 21H, 21:15H, 21:30H - que me afastam do estádio) é em grande parte de AS pois foi ele que assinou o contrato com a sport TV e lhe conferiu plenos direitos para marcar os jogos às horas que melhor sirvam os seus interesses comerciais, todo a troco de mais uns euros, relegando os sócios e adeptos para um plano  tao secundário que a sua presença no estádio em maior número, directamente relacionada com os horários dos jogos, nunca foi tida em conta nem preocupação nessa negociação.

Tal como o PAF referiu a sport tv não é a causa de todos os males e, em minha opinião, nem sequer causa é e se é consequência é-a porque os clubes, pela mão/caneta dos seus presidentes, assim o quiseram (o actual estado de coisas, horários dos jogos, era previsível, bastante fácil de antever)...as verdadeiras causas são AS e os presidentes dos outros clubes que abdicaram de uma série de direitos, entre eles a marcação dos horários dos jogos em favor do operador de tv (LPFP?), a troco de mais uns "trocos", contribuindo assim para transformar o futebol num jogo cada vez mais de sofá e cada vez menos de bancada...para além de outras coisas - preços, acessibilidades, (des)conforto - as bancadas cada vez mais vazias são consequência directa de algumas alíneas que constam no contrato televisivo que AS assinou e que se saiba nada fez para o tentar modificar à data da sua assinatura (a não ser mais euros), nem sequer à posteriori. 

Esperemos que as consequências nefastas advindas de se ter  permitido ao operador marcar, a seu bel-prazer, as horários dos jogos tenham servido de aprendizagem para se fazer diferente na negociação dos direitos televisivos centralizados... esperemos que desta vez os clubes tenham em consideração os seus sócios/adeptos (os clubes são os seus associados) e os seus direitos, desde logo e principalmente o de poderem assistir aos jogos do(s) clube(s) no(s) seu(s) estádio(s) a horas decentes, que esses direitos não sejam novamente esquecidos e vendidos a troco de mais uns "trocos" (os clubes tem que chegar a um consenso nesta matéria e não ceder na hora da negociação dos direitos televisivos centralizados mesmo que isso signifique menos 5% a 10% do valor total do contrato pois o futebol é dos adeptos e para os adeptos, dos sócios e para os sócios nas bancadas). A esperança não é muita mas o novo contrato de centralização de direitos televisivos não pode conter uma ou mais alíneas que confira à operadora plenos direitos para marcar os jogos às horas, por vezes até o dia, que bem entender.

O problema é que quem tem o dinheiro manda. Ponto. Quando vais a um banco pedir um crédito segues TUDO o que eles te mandam ou então não tens acesso ao dinheiro. Ponto final. A única diferença é que tens concorrência e podes tentar ver se as condições de um banco são melhores que a do outro, mas no fim pias fininho e aceitas tudo o que te metem à frente ou não te dão o dinheiro. No caso da Sport TV é igual com a agravante de até aqui eles terem o monopólio. O Oliveira chega à beira dos clubes e diz "é X e eu controlo os horários. Queres, queres, não queres, não há dinheiro".

É muito fácil vir falar mas no fim é o dinheiro da Sport TV que mantém a SAD (em grande parte) e quem tem a faca e o queijo na mão é a operadora. Os clubes sem o dinheiro das transmissões simplesmente acabam. Para o ter têm que se sujeitar às condições que lhes são impostas.

O comunicado de há uns tempos não foi atirar areia para os olhos, foi mostrar a toda a gente que 1) o Braga tinha, factualmente, os piores horários e 2) não tinha voto na matéria. E foi uma forma de tentar pressionar a operadora.

E isto não é um problema só em Portugal. É assim em todos os campeonatos pela Europa fora. A operadora controla os horários. Por isso é que começam agora a ver jogos do Real Madrid, Barcelona, PSG, etc às 12h ou às 13h, que a operadora força para terem audiências na Ásia. A questão aqui é que em alguns campeonatos, como o inglês ou alemão, a tradição de se jogar ao sábado ao início da tarde é tão grande que se sobrepõe a tudo e aqui não são os clubes que forçam (eles querem é que venha o dinheiro) são os adeptos que têm uma força enorme e a mentalidade das próprias instituições. Jamais a Premier ou a Bundesliga iriam tomar medidas diretamente contra os adeptos (veja-se o celeuma dos jogos da Bundesliga à 2ª feira que levou a que tivessem que voltar a trás devido à pressão dos adeptos ou as críticas ferozes aos jogos da premier ao sábado à noite - para já vão se manter mas há já uma vaga de fundo para os retirar), porque sabem que são eles que dão dinheiro. Infelizmente em Portugal e noutros países latinos (veja-se Espanha com horários de jogos às 22h...) ninguém tem essa mentalidade e a operadora faz o que quer e o que lhe apetece. É um problema de mentalidade e aqui só a própria Liga poderia ter algum poder de regulação junto das operadoras, como acontece com a Premier League. Mas a Liga também não tem dinheiro e é uma instituição sem peso algum, pelo que no fim é outra que vai de mão estendida em direção ao Oliveira.

Isto no fim resume-se a dinheiro. Quem tem dinheiro manda no negócio, quem precisa do dinheiro segue quem manda.

De facto por muito que custe tudo o que escreveste é factual. E acontece tal como referiste. 
Apesar disso esta situação de poder da operadora só acontece porque além de vistas curtas os presidentes de todos os clubes da liga, não é só o nosso, não têm qualquer noção do valor que representam como um todo e cada come o que lhe põe no prato em vez de todos juntos decidirem o menu.

A operadora só existe por causa do futebol da primeira liga, podem "oferecer" ligas estrangeiras, motogp, f1 que sem futebol a grande maioria dos assinantes desiste. Ora sabendo disto o que fizeram os presidentes dos clubes? Andaram na CS a medir pilinhas e ver quem fez o melhor contrato e quem negoceia melhor.

Quem tem dinheiro manda, mas sem produto não há vendas. Sem os jogos de 15 clubes não há operadora. Eram precisos presidentes que soubessem ver para lá dos números e do ego.
Areia para os olhos dos adeptos porque nesse relatório factual (ter os piores horários da Europa) faltou dizer o porquê de assim ser, faltou dizer que o SCB SAD assinou um contrato de cedência de direitos televisivos que permite ao operador marcar os jogos para as horas que bem entender...se temos os piores horários da Europa e arredores é porque o SCB SAD concordou com todos os termos do contrato...que se saiba nada fez para salvaguardar os direitos dos sócios e adeptos poderem ir ao estádio a horas decentes (poderia ter negociado os horários dos jogos em vez de assinar "em branco" a troco de mais euros).

Então e qual era a alternativa? Rejeitar? E esse dinheiro depois vem de onde?
Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus.
Na generalidade concordo com o que escreveste no teu primeiro post apenas acho que muito mais deveriamos ter feito relativamente à venda integral dos horários dos jogos à operadora, permitir-lhe ser exclusivamente ela a decidir os horários dos jogos sem qualquer condicionantes...uma negociação não é concordar com todos os termos de um contrato que uma das partes apresenta, é negociar esses termos e procurar que ambas as partes saiam satisfeitas dessa negociação (relembro que a operadora a quem vendemos os direitos televisivos não era a única em campo, tinha concorrência).

Em que dados factuais te baseias  para dizer que "Jamais uma operadora iria aceitar não controlar os horários. Nenhuma o permite, nem nos maiores campeonatos Europeus"...o SCB deveria ter lutado com unhas e dentes para se encontrar uma solução que servisse os interesses de ambas as partes e não apenas os interesses da operadora...entre tudo para a operadora e nada para o SCB teria que haver cedência por parte da operadora para que o nada para o SC pudesse ser transformado e algo mais, um meio termo talvez.

Mal estariam as melhores Ligas europeias se tivessem oferecido às operadoras os horários dos seus jogos exclusivamente em função dos interesses comerciais dessas operadoras...os horários dos jogos da  nossa Liga são vergonhosos em comparação com os horários das melhores Ligas europeias (top 5 ou top 6 se nos incluirmos), basta numa pesquisa rápida ver os horários da próxima jornada das Ligas top 6 para se constatar o quão desfasada está a nossa Liga das restantes a esse nível (claro que algumas também beneficiam de bons horários devido ao mercado asiático).
Continua te a faltar um ponto essencial: nesta negociação o poder está na operadora. A operadora pode dar se ao luxo de não transmitir jogos do Braga. O Braga precisa do dinheiro transmissão tv. Logo aí inclina a mesa.
Depois não se pode dizer que o Braga não tenha negociado ou negociado mal. Lembro me na altura os espanhóis tinham valores similares mas mais coisas como publicidade estática.
E houve clubes como o Setúbal que iniciaram a época sem qualquer proposta de compra.
O único clube português que conseguiu bater o pé à operadora foi o Benfica. Supostamente representam cerca 50% dos adeptos de futebol em Portugal. Sem eles, a operadora estava fundida! Transmitiram os jogos na BTV, nos melhores horários possiveis. Quanto tempo resistiram até cederem novamente?

Enviado do meu SM-A515F através do Tapatalk

As operadoras têm que controlar os horários porque no fim são elas que definem a agenda com base na perspetiva de audiência. Quanto mais audiência mais dinheiro a operadora faz. A operadora não está aqui a fazer de benemérita dos clubes, está para fazer dinheiro e para isso tem que ter garantia que pode colocar os jogos nos horários que mais lhe convém. Como é óbvio não vão marcar 2 jogos "grandes" à mesma hora, nem jogos importantes nacionais ao mesmo tempo de um grande jogo europeu.

Mas até suponhamos que a operadora diz ao Braga "Sim sr, nós não controlamos os horários, mas pagamos menos X%". Seria isto um bom negócio para a SAD?
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9111
  • Mágico Braga, Amor Eterno
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #66 em: 12 de Outubro de 2021, 20:30 »
Bancada Família no D. Afonso Henriques com lugares gratuitos para filhos de sócios menores de idade e estudantes

A bancada Norte Superior do Estádio D. Afonso Henriques passou a ser denominada como Bancada Família, com preços especiais para famílias e estudantes.

De acordo com o Vitória, na 3.ª fase de venda dos lugares anuais, a partir de 3 de Novembro, serão colocadas à venda cadeiras com o valor unitário de 15 euros para os sócios, sendo que os detentores podem requisitar, gratuitamente, lugar de acompanhante para filhos menores.

Os estudantes, com idades compreendidas entre os 17 e os 23 anos, também terão acesso a lugares anuais gratuitos na Bancada Família, que podem requisitar nos serviços do clube.

Tratam-se de lugares “nominais e intransmissíveis”, esclarece o Vitória, que pretende “com estas condições excecionais alargar à Norte Superior a dinâmica de apoio ao Vitória tradicionalmente sentida em todas as outras bancadas”.

Em Guimarães Digital

Desculpem a referência mas parecem-me medidas interessantes estas feitas em Guimarães. Não que me pareçam inovadoras, penso que por aqui já se sugeriu medidas no mesmo sentido. Realço também a forma como ao que parece procuram soluções para dar “vida” a bancadas mais despidas, do nosso lado vamos continuar com o cenário deprimente da bancada Nascente Supeior deserta?… Ainda por cima a que da na TV, temos de ser melhores a trabalhar a marca Braga e o braguismo, no dia que o começarmos a fazer bem não tenho grandes dúvidas que vamos crescer.
« Última modificação: 12 de Outubro de 2021, 20:47 por Legião »
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
Profect_SCBraga Juniores
  • ***
  • 590
  • You'll never walk alone!
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #67 em: 12 de Outubro de 2021, 20:37 »
Bancada Família no D. Afonso Henriques com lugares gratuitos para filhos de sócios menores de idade e estudantes

A bancada Norte Superior do Estádio D. Afonso Henriques passou a ser denominada como Bancada Família, com preços especiais para famílias e estudantes.

De acordo com o Vitória, na 3.ª fase de venda dos lugares anuais, a partir de 3 de Novembro, serão colocadas à venda cadeiras com o valor unitário de 15 euros para os sócios, sendo que os detentores podem requisitar, gratuitamente, lugar de acompanhante para filhos menores.

Os estudantes, com idades compreendidas entre os 17 e os 23 anos, também terão acesso a lugares anuais gratuitos na Bancada Família, que podem requisitar nos serviços do clube.

Tratam-se de lugares “nominais e intransmissíveis”, esclarece o Vitória, que pretende “com estas condições excecionais alargar à Norte Superior a dinâmica de apoio ao Vitória tradicionalmente sentida em todas as outras bancadas”.

Em Guimarães Digital

Desculpem a referência mas parecem-me medidas interessantes estas feitas em Guimarães. Não que me pareçam inovadoras, penso que por aqui já se sugeriu medidas no mesmo sentido.
A diferença é que o nosso oferece um conforto inegualavel daí os preços aumentarem..
O Braga quer, os Ultras Sonham, a Conquista Nasce!


BL - Guerreiros das Minis
Anuncios M
Anuncios M
bruce Equipa Principal
  • *****
  • 1999
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #68 em: 12 de Outubro de 2021, 20:40 »
Em Guimarães oferecem lugares anuais, aqui aumenta se os preços.
Tem de ser assim, os bónus para a sad não se pagam sozinhos
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14206
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #69 em: 13 de Outubro de 2021, 09:38 »
Bancada Família no D. Afonso Henriques com lugares gratuitos para filhos de sócios menores de idade e estudantes

A bancada Norte Superior do Estádio D. Afonso Henriques passou a ser denominada como Bancada Família, com preços especiais para famílias e estudantes.

De acordo com o Vitória, na 3.ª fase de venda dos lugares anuais, a partir de 3 de Novembro, serão colocadas à venda cadeiras com o valor unitário de 15 euros para os sócios, sendo que os detentores podem requisitar, gratuitamente, lugar de acompanhante para filhos menores.

Os estudantes, com idades compreendidas entre os 17 e os 23 anos, também terão acesso a lugares anuais gratuitos na Bancada Família, que podem requisitar nos serviços do clube.

Tratam-se de lugares “nominais e intransmissíveis”, esclarece o Vitória, que pretende “com estas condições excecionais alargar à Norte Superior a dinâmica de apoio ao Vitória tradicionalmente sentida em todas as outras bancadas”.

Em Guimarães Digital

Desculpem a referência mas parecem-me medidas interessantes estas feitas em Guimarães. Não que me pareçam inovadoras, penso que por aqui já se sugeriu medidas no mesmo sentido.
A diferença é que o nosso oferece um conforto inegualavel daí os preços aumentarem..
E têm desconto. As pessoas adoram descontos.
Quem não sente não é filho de boa gente.
Somos Braga! Equipa Principal
  • *****
  • 1839
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #70 em: 13 de Outubro de 2021, 14:30 »
Em Guimarães oferecem lugares anuais, aqui aumenta se os preços.
Tem de ser assim, os bónus para a sad não se pagam sozinhos
Eu gostava de ver a última tabela de preços (19/20) para verificar se houve realmente um aumento de preços. Alguém a tem?

Tenho esta dúvida se houve mesmo aumento.

Enviado do meu SM-A515F através do Tapatalk

O verdadeiro adepto vê-se nas derrotas!
Anuncios G
Zusco
Zusco Equipa Principal
  • *****
  • 1905
  • Quem não sente não entende
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #71 em: 13 de Outubro de 2021, 17:38 »
O site reutiliza o id das notícias e assim perdeu-se a de 2019. (Mas pelo url da imagem, dá a entender que é a mesma que 2019 pois é datada de 2019-07, levando-me a assumir que são os mesmo preços)

Só encontrei 2008
Citar
Tabela de Preços:
LUGAR CATIVO: 165 Euros
CATIVO FAMÍLIA DUPLO *: 280 Euros
CATIVO FAMÍLIA TRIPLO **: 365 Euros
LUGAR POENTE: 75 Euros
POENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 160 Euros
LUGAR NASCENTE: 50 Euros
NASCENTE FAMÍLIA DUPLO *: 85 Euros
NASCENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 110 Euros
« Última modificação: 13 de Outubro de 2021, 17:44 por Zusco »
Somos Braga! Equipa Principal
  • *****
  • 1839
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #72 em: 13 de Outubro de 2021, 18:29 »
O site reutiliza o id das notícias e assim perdeu-se a de 2019. (Mas pelo url da imagem, dá a entender que é a mesma que 2019 pois é datada de 2019-07, levando-me a assumir que são os mesmo preços)

Só encontrei 2008
Citar
Tabela de Preços:
LUGAR CATIVO: 165 Euros
CATIVO FAMÍLIA DUPLO *: 280 Euros
CATIVO FAMÍLIA TRIPLO **: 365 Euros
LUGAR POENTE: 75 Euros
POENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 160 Euros
LUGAR NASCENTE: 50 Euros
NASCENTE FAMÍLIA DUPLO *: 85 Euros
NASCENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 110 Euros
No meu caso (nascente familia triplo) os preços de 2021 são iguais aos de 2008, sendo que, com o desconto,  ficam 30% mais baratos. Além disso, em 2008, não tinha incluído os jogos da liga europa.

Continuo na dúvida em relação a 2019.



Enviado do meu SM-A515F através do Tapatalk

O verdadeiro adepto vê-se nas derrotas!
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14206
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #73 em: 13 de Outubro de 2021, 19:14 »
O site reutiliza o id das notícias e assim perdeu-se a de 2019. (Mas pelo url da imagem, dá a entender que é a mesma que 2019 pois é datada de 2019-07, levando-me a assumir que são os mesmo preços)

Só encontrei 2008
Citar
Tabela de Preços:
LUGAR CATIVO: 165 Euros
CATIVO FAMÍLIA DUPLO *: 280 Euros
CATIVO FAMÍLIA TRIPLO **: 365 Euros
LUGAR POENTE: 75 Euros
POENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 160 Euros
LUGAR NASCENTE: 50 Euros
NASCENTE FAMÍLIA DUPLO *: 85 Euros
NASCENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 110 Euros
A imagem não é a mesma. Os preços dos packs família não vinham por pessoa mas total.
As regras dos packs também são diferentes.

Em 2019/20 o lugar mais barato era o estudante na lateral nascente a 12,50. Agora é 15.

A acreditar numa notícia do DN de agosto 2019 o pack 3 pessoas nos cativos ficou mais barato: 350 em 2019 e agora 3x90.
Quem não sente não é filho de boa gente.
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14206
  Re: Lugares Anuais 2021/22
« Responder #74 em: 13 de Outubro de 2021, 19:15 »
O site reutiliza o id das notícias e assim perdeu-se a de 2019. (Mas pelo url da imagem, dá a entender que é a mesma que 2019 pois é datada de 2019-07, levando-me a assumir que são os mesmo preços)

Só encontrei 2008
Citar
Tabela de Preços:
LUGAR CATIVO: 165 Euros
CATIVO FAMÍLIA DUPLO *: 280 Euros
CATIVO FAMÍLIA TRIPLO **: 365 Euros
LUGAR POENTE: 75 Euros
POENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 160 Euros
LUGAR NASCENTE: 50 Euros
NASCENTE FAMÍLIA DUPLO *: 85 Euros
NASCENTE FAMÍLIA TRIPLO **: 110 Euros
No meu caso (nascente familia triplo) os preços de 2021 são iguais aos de 2008, sendo que, com o desconto,  ficam 30% mais baratos. Além disso, em 2008, não tinha incluído os jogos da liga europa.

Continuo na dúvida em relação a 2019.



Enviado do meu SM-A515F através do Tapatalk
2008 ou 2018?
Quem não sente não é filho de boa gente.
 

Anuncios M
Anuncios M