Quantcast
SC Braga B na Liga 3: 2022/23
You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
SC Braga B na Liga 3: 2022/23
560 Respostas
86767 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
RuberAlbus
RuberAlbus Equipa Principal
  • *****
  • 2813
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #100 em: 11 de Dezembro de 2021, 12:03 »
Golo!
RuberAlbus
RuberAlbus Equipa Principal
  • *****
  • 2813
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #101 em: 11 de Dezembro de 2021, 12:10 »
0-3
Anuncios M
Anuncios M
RuberAlbus
RuberAlbus Equipa Principal
  • *****
  • 2813
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #102 em: 11 de Dezembro de 2021, 13:01 »


Liderança e vantagem no confronto directo. Uma grande vitória.
Olho Vivo Equipa Principal
  • *****
  • 10147
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #103 em: 11 de Dezembro de 2021, 13:05 »
2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Há um jogador de que gosto muito e que se estreou hoje na equipa B, o Rodrigo Beirão - que até saiu lesionado (e a equipa acusou a sua saída). Tem jogado (e bem) nos sub23 e tem o perfil para jogar na defesa aobre a esquerda, embora seja central de formação. A primeira equipa precisa de um jogador com este perfil. Seria importante avalia-lo de perto. Ainda é muito novo, é  verdade, mas...

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
« Última modificação: 11 de Dezembro de 2021, 13:09 por Olho Vivo »
100%SCB Equipa Principal
  • *****
  • 7403
  • Quando o erro for só erro o SC Braga será campeão!
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #104 em: 11 de Dezembro de 2021, 13:08 »
2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
FORÇA BRAGA
andromeda123 Equipa Principal
  • *****
  • 1004
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #105 em: 11 de Dezembro de 2021, 13:26 »
Vi o jogo, e apesar da vitória de facto, o estilo de jogo é muito directo mas lá está, talvez seja essa a estratégia necessária para levar a melhor sobre estas equipas, e também o objectivo pode ser claramente tentar a subida, se isso benefecia ou não o crescimento dos atletas é de facto um ponto de vista a ter em conta, de qualquer forma também os prepara para serem pragmáticos, coisa que ás vezes falta á equipa principal.
RuberAlbus
RuberAlbus Equipa Principal
  • *****
  • 2813
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #106 em: 11 de Dezembro de 2021, 14:54 »
Acho que o estado do relvado também não ia permitir jogar de outra forma.
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 24253
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #107 em: 11 de Dezembro de 2021, 15:57 »
Não tem cabeça (?) mas tem pés!!!
Anuncios M
Anuncios M
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 24253
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #108 em: 11 de Dezembro de 2021, 16:03 »
2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
E ainda há quem continue a sugerir o Artur Jorge para a equipa principal.

A falta de projecto é transversal a todo o futebol e não apenas ao da SAD (equipa principal).

Temos excelentes instalações, miúdos cheios de talento mas infelizmente não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal.

joaoPC Equipa Principal
  • *****
  • 1496
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #109 em: 11 de Dezembro de 2021, 16:19 »
2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
E ainda há quem continue a sugerir o Artur Jorge para a equipa principal.

A falta de projecto é transversal a todo o futebol e não apenas ao da SAD (equipa principal).

Temos excelentes instalações, miúdos cheios de talento mas infelizmente não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal.
Falta de projeto enorme mas no entanto estamos em 1° na liga 3, em 1° nos sub-23 e em 2° nos sub-19.
Temos ainda no plantel principal e que são opções regulares (uns mais que outros obviamente) jogadores como o Moura, Bruno Rodrigues, Fabiano, Vitinha, Carmo.
O que seria do Braga se tivesse um projeto?
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 24253
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #110 em: 11 de Dezembro de 2021, 17:17 »
2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
E ainda há quem continue a sugerir o Artur Jorge para a equipa principal.

A falta de projecto é transversal a todo o futebol e não apenas ao da SAD (equipa principal).

Temos excelentes instalações, miúdos cheios de talento mas infelizmente não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal.
Falta de projeto enorme mas no entanto estamos em 1° na liga 3, em 1° nos sub-23 e em 2° nos sub-19.
Temos ainda no plantel principal e que são opções regulares (uns mais que outros obviamente) jogadores como o Moura, Bruno Rodrigues, Fabiano, Vitinha, Carmo.
O que seria do Braga se tivesse um projeto?

Imagina que o SCB escolhia o seu  treinador em função de um modelo de jogo e de uma identidade que, enquanto equipa pretendia implementar...imagina ainda que quando esse treinador acabasse por sair seria contratado outro que se identificasse com o mesmo modelo de jogo e identidade de equipa para lhe dar continuidade...imagina também que a equipa B e os sub 23 trabalhavam de acordo com o modelo de jogo, princípios de jogo, sistema táctico e rotinas da equipa principal... mediante esse cenário imagina só o quão mais fácil seria para os miúdos da formação se imporem na equipa principal e ao mesmo tempo o quão mais forte poderia ser a equipa principal em virtude de os seus treinadores serem escolhidos em função do referido modelo de jogo e identidade enquanto equipa e clube.
Quando disse que não temos um projecto com um fio condutor entre a formação e a equipa principal era precisamente a tudo isso que  pretendia referir-me (ainda que a falta de projecto do SCB SAD, equipa principal, vá muito além disso, algo que já foi várias vezes debatido neste fórum).
Anuncios G
joaoPC Equipa Principal
  • *****
  • 1496
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #111 em: 11 de Dezembro de 2021, 17:18 »




2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
E ainda há quem continue a sugerir o Artur Jorge para a equipa principal.

A falta de projecto é transversal a todo o futebol e não apenas ao da SAD (equipa principal).

Temos excelentes instalações, miúdos cheios de talento mas infelizmente não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal.
Falta de projeto enorme mas no entanto estamos em 1° na liga 3, em 1° nos sub-23 e em 2° nos sub-19.
Temos ainda no plantel principal e que são opções regulares (uns mais que outros obviamente) jogadores como o Moura, Bruno Rodrigues, Fabiano, Vitinha, Carmo.
O que seria do Braga se tivesse um projeto?

Imagina que o SCB escolhia o seu  treinador em função de um modelo de jogo e de uma identidade que, enquanto equipa, pretendia implementar, imagina ainda que quando esse treinador acabasse por sair seria contratado outro que se identificasse com o mesmo modelo de jogo e identidade de equipa para lhe dar continuidade, imagina ainda que a equipa B e os sub 23 trabalhavam de acordo com o modelo de jogo, princípios de jogo, sistema táctico e rotinas da equipa principal... mediante esse cenário imagina o quão mais fácil seria para os miúdos da formação se imporem na equipa principal e ao mesmo tempo imagina também o quão mais forte poderia ser a equipa principal em virtude de os seus treinadores serem escolhidos em função do referido modelo de jogo e identidade enquanto equipa e clube.
Quando disse que não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal era precisamente isto que queria dizer.

Isso é uma utopia para uma equipa como o Braga. Aliás, a única que deve ter tido sucesso nesse formato é o Barça.

Vamos supor que essa estratégia tinha começado com o Carvalhal. Tínhamos de ter escolhido para a equipa B e restantes da formação um treinador que use um sistema híbrido entre 4 e 5 defesas? Não consegues arranjar um treinador com esses princípios e tu queres 3 ou 4? Na formação não é isso que interessa.

Agora vamos chegar ao final do contrato do Carvalhal. Como é que tinhamos de proceder? Tínhamos todas as equipas da formação a trabalhar com o sistema híbrido (depois de miraculosamente termos arranjado treinadores com esses princípios) e o treinador que fossemos buscar tinha de ter estas ideias também para que este princípio se jogo mantenha?

Uma completa utopia o que propões.
Cada treinador tem as suas ideias e modelo de jogo e não cada clube.
Se disseres que queres para as equipas de formação treinadores que priveligiem futebol de posse e ataque continuado já é diferente mas isso não é estar preso a um estilo de jogo e sistema tático.
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 24253
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #112 em: 11 de Dezembro de 2021, 17:29 »




2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
E ainda há quem continue a sugerir o Artur Jorge para a equipa principal.

A falta de projecto é transversal a todo o futebol e não apenas ao da SAD (equipa principal).

Temos excelentes instalações, miúdos cheios de talento mas infelizmente não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal.
Falta de projeto enorme mas no entanto estamos em 1° na liga 3, em 1° nos sub-23 e em 2° nos sub-19.
Temos ainda no plantel principal e que são opções regulares (uns mais que outros obviamente) jogadores como o Moura, Bruno Rodrigues, Fabiano, Vitinha, Carmo.
O que seria do Braga se tivesse um projeto?

Imagina que o SCB escolhia o seu  treinador em função de um modelo de jogo e de uma identidade que, enquanto equipa, pretendia implementar, imagina ainda que quando esse treinador acabasse por sair seria contratado outro que se identificasse com o mesmo modelo de jogo e identidade de equipa para lhe dar continuidade, imagina ainda que a equipa B e os sub 23 trabalhavam de acordo com o modelo de jogo, princípios de jogo, sistema táctico e rotinas da equipa principal... mediante esse cenário imagina o quão mais fácil seria para os miúdos da formação se imporem na equipa principal e ao mesmo tempo imagina também o quão mais forte poderia ser a equipa principal em virtude de os seus treinadores serem escolhidos em função do referido modelo de jogo e identidade enquanto equipa e clube.
Quando disse que não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal era precisamente isto que queria dizer.

Isso é uma utopia para uma equipa como o Braga. Aliás, a única que deve ter tido sucesso nesse formato é o Barça.

Vamos supor que essa estratégia tinha começado com o Carvalhal. Tínhamos de ter escolhido para a equipa B e restantes da formação um treinador que use um sistema híbrido entre 4 e 5 defesas? Não consegues arranjar um treinador com esses princípios e tu queres 3 ou 4? Na formação não é isso que interessa.

Agora vamos chegar ao final do contrato do Carvalhal. Como é que tinhamos de proceder? Tínhamos todas as equipas da formação a trabalhar com o sistema híbrido (depois de miraculosamente termos arranjado treinadores com esses princípios) e o treinador que fossemos buscar tinha de ter estas ideias também para que este princípio se jogo mantenha?

Uma completa utopia o que propões.
Cada treinador tem as suas ideias e modelo de jogo e não cada clube.
Se disseres que queres para as equipas de formação treinadores que priveligiem futebol de posse e ataque continuado já é diferente mas isso não é estar preso a um estilo de jogo e sistema tático.
Se os treinadores para a equipa principal tivessem esse fio condutor a que me refiro, os treinadores da equipa B e Sub 23 continuavam o seu trabalho porque apesar do treinador da equipa principal ser outro o modelo de jogo mantinha-se...seria uma mudança estrutural e não conjuntural e ao sabor do vento como tem vindo a acontecer (salvo raras excepções mas que rapidamente são invertidas).
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 15204
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #113 em: 11 de Dezembro de 2021, 17:42 »
E quando o modelo de jogo se esgota ou se torna previsível, manda-se tudo para o lixo e vai se buscar mais 4 ou 5 equipas completas.
A equipa B apresenta 2 problemas que as outras não têm (ou em muito menor escala): está num escalão senior com estilo de jogo muito diferente (quanto mais baixo, menos técnico e mais físico) e os resultados contam porque estar numa Liga2, 3 ou CP é muito diferente para a evolução dos jogadores.
Sobre o Artur Jorge penso que é alguém da casa capaz de transmitir o que é o clube, liderar uma equipa, tecnicamente parece ficar aquém para o patamar imediatamente abaixo da equipa principal.
Quem não sente não é filho de boa gente.
joaoPC Equipa Principal
  • *****
  • 1496
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #114 em: 11 de Dezembro de 2021, 17:46 »




2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
E ainda há quem continue a sugerir o Artur Jorge para a equipa principal.

A falta de projecto é transversal a todo o futebol e não apenas ao da SAD (equipa principal).

Temos excelentes instalações, miúdos cheios de talento mas infelizmente não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal.
Falta de projeto enorme mas no entanto estamos em 1° na liga 3, em 1° nos sub-23 e em 2° nos sub-19.
Temos ainda no plantel principal e que são opções regulares (uns mais que outros obviamente) jogadores como o Moura, Bruno Rodrigues, Fabiano, Vitinha, Carmo.
O que seria do Braga se tivesse um projeto?

Imagina que o SCB escolhia o seu  treinador em função de um modelo de jogo e de uma identidade que, enquanto equipa, pretendia implementar, imagina ainda que quando esse treinador acabasse por sair seria contratado outro que se identificasse com o mesmo modelo de jogo e identidade de equipa para lhe dar continuidade, imagina ainda que a equipa B e os sub 23 trabalhavam de acordo com o modelo de jogo, princípios de jogo, sistema táctico e rotinas da equipa principal... mediante esse cenário imagina o quão mais fácil seria para os miúdos da formação se imporem na equipa principal e ao mesmo tempo imagina também o quão mais forte poderia ser a equipa principal em virtude de os seus treinadores serem escolhidos em função do referido modelo de jogo e identidade enquanto equipa e clube.
Quando disse que não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal era precisamente isto que queria dizer.

Isso é uma utopia para uma equipa como o Braga. Aliás, a única que deve ter tido sucesso nesse formato é o Barça.

Vamos supor que essa estratégia tinha começado com o Carvalhal. Tínhamos de ter escolhido para a equipa B e restantes da formação um treinador que use um sistema híbrido entre 4 e 5 defesas? Não consegues arranjar um treinador com esses princípios e tu queres 3 ou 4? Na formação não é isso que interessa.

Agora vamos chegar ao final do contrato do Carvalhal. Como é que tinhamos de proceder? Tínhamos todas as equipas da formação a trabalhar com o sistema híbrido (depois de miraculosamente termos arranjado treinadores com esses princípios) e o treinador que fossemos buscar tinha de ter estas ideias também para que este princípio se jogo mantenha?

Uma completa utopia o que propões.
Cada treinador tem as suas ideias e modelo de jogo e não cada clube.
Se disseres que queres para as equipas de formação treinadores que priveligiem futebol de posse e ataque continuado já é diferente mas isso não é estar preso a um estilo de jogo e sistema tático.
Se os treinadores para a equipa principal tivessem esse fio condutor a que me refiro, os treinadores da equipa B e Sub 23 continuavam o seu trabalho porque apesar do treinador da equipa principal ser outro o modelo de jogo mantinha-se...seria uma mudança estrutural e não conjuntural e ao sabor do vento como tem vindo a acontecer (salvo raras excepções mas que rapidamente são invertidas).
Mas como é que vais buscar treinadores para a equipa principal que usem o mesmo estilo de jogo e a mesma tática?
Isso é muito bonito no papel mas cada treinador tem o seu cunho pessoal e as suas ideias.
Qual o treinador que ias buscar para substituir o Carvalhal por exemplo? Ou que treinador tinhas ido buscar para substituir o Amorim?
(S)oon(C)hampion(B)raga
(S)oon(C)hampion(B)raga Equipa Principal
  • *****
  • 7504
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #115 em: 11 de Dezembro de 2021, 18:45 »




2-4. Boa vitoria... mas não me parece que o nosso estilo de jogo beneficie a evolução dos jogadores, pelo menos no que é necessário para ser jogador da primeira equipa. Demasiado jogo direto, sempre em busca da profundidade. Deu frutos nesta partida, também pelos erros defensivos do adversário, mas a prioridade devia ser a evolução dos jogadores.

O canal 11 atribuiu o troféu de melhor jogador do encontro ao Rodrigo Gomes. Pois a mim, ver a sua escassa evolução deixa-me apreensivo. Ainda é muito novo, é verdade, mas continua com muita falta de discernimento. Os estímulos também são sempre para procurar a profundidade nas transições.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk
Ora nem mais!
E ainda há quem continue a sugerir o Artur Jorge para a equipa principal.

A falta de projecto é transversal a todo o futebol e não apenas ao da SAD (equipa principal).

Temos excelentes instalações, miúdos cheios de talento mas infelizmente não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal.
Falta de projeto enorme mas no entanto estamos em 1° na liga 3, em 1° nos sub-23 e em 2° nos sub-19.
Temos ainda no plantel principal e que são opções regulares (uns mais que outros obviamente) jogadores como o Moura, Bruno Rodrigues, Fabiano, Vitinha, Carmo.
O que seria do Braga se tivesse um projeto?

Imagina que o SCB escolhia o seu  treinador em função de um modelo de jogo e de uma identidade que, enquanto equipa, pretendia implementar, imagina ainda que quando esse treinador acabasse por sair seria contratado outro que se identificasse com o mesmo modelo de jogo e identidade de equipa para lhe dar continuidade, imagina ainda que a equipa B e os sub 23 trabalhavam de acordo com o modelo de jogo, princípios de jogo, sistema táctico e rotinas da equipa principal... mediante esse cenário imagina o quão mais fácil seria para os miúdos da formação se imporem na equipa principal e ao mesmo tempo imagina também o quão mais forte poderia ser a equipa principal em virtude de os seus treinadores serem escolhidos em função do referido modelo de jogo e identidade enquanto equipa e clube.
Quando disse que não temos um projecto com fio condutor entre a formação e a equipa principal era precisamente isto que queria dizer.

Isso é uma utopia para uma equipa como o Braga. Aliás, a única que deve ter tido sucesso nesse formato é o Barça.

Vamos supor que essa estratégia tinha começado com o Carvalhal. Tínhamos de ter escolhido para a equipa B e restantes da formação um treinador que use um sistema híbrido entre 4 e 5 defesas? Não consegues arranjar um treinador com esses princípios e tu queres 3 ou 4? Na formação não é isso que interessa.

Agora vamos chegar ao final do contrato do Carvalhal. Como é que tinhamos de proceder? Tínhamos todas as equipas da formação a trabalhar com o sistema híbrido (depois de miraculosamente termos arranjado treinadores com esses princípios) e o treinador que fossemos buscar tinha de ter estas ideias também para que este princípio se jogo mantenha?

Uma completa utopia o que propões.
Cada treinador tem as suas ideias e modelo de jogo e não cada clube.
Se disseres que queres para as equipas de formação treinadores que priveligiem futebol de posse e ataque continuado já é diferente mas isso não é estar preso a um estilo de jogo e sistema tático.
Se os treinadores para a equipa principal tivessem esse fio condutor a que me refiro, os treinadores da equipa B e Sub 23 continuavam o seu trabalho porque apesar do treinador da equipa principal ser outro o modelo de jogo mantinha-se...seria uma mudança estrutural e não conjuntural e ao sabor do vento como tem vindo a acontecer (salvo raras excepções mas que rapidamente são invertidas).
Mas como é que vais buscar treinadores para a equipa principal que usem o mesmo estilo de jogo e a mesma tática?
Isso é muito bonito no papel mas cada treinador tem o seu cunho pessoal e as suas ideias.
Qual o treinador que ias buscar para substituir o Carvalhal por exemplo? Ou que treinador tinhas ido buscar para substituir o Amorim?

concordando contigo joaoPC...  e discordando completamente do lipeste... e se calhar com o que vou dizer a seguir não vai parecer... ou até vai parecer o contrário para alguns... mas cá vai...

DESDE O TEMPO DO ABEL QUE A EQUIPE DO BRAGA JOGA COM O MESMO MODELO DE JOGO... COM O MESMO "fio condutor"

desde o Abel... passando pelo Rubens Amorim... e também pelo custodio e artur jorge... e agora atualmente com o Carlos Carvalhal... sempre o mesmo modelo tático...

apenas mudaram alguns dos futebolistas... apenas mudaram algumas nuances taticas devido as características dos futebolistas que cada um dos treinadores que falei teve/tinha à disposição... e claro as próprias ideias dos treinadores/equipas técnicas...

mas desde o Abel que o sistema tático é o mesmo

343 ou 352 tem sido a base desde o Abel... depois cada um dos treinadores/equipas técnicas que por cá passou teve nuances técnico táticas de organização de jogo... e alguns do ponto de vista ofensivo normalmente atacam como 5 ou defendem com 6 etc e tal... mas a base... ou "o fio condutor" desde o Abel é o 343 ou 352... variando ao longo do tempo perante a ideia de cada equipa técnica
« Última modificação: 11 de Dezembro de 2021, 18:47 por (S)oon(C)hampion(B)raga »
https-://youtu.be/Jk2FFrKKb1o
Olho Vivo Equipa Principal
  • *****
  • 10147
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #116 em: 11 de Dezembro de 2021, 19:00 »
Onde esta discussão já vai! O que eu disse e repito é que a forma como vejo jogar a equipa B não estimula a criatividade com bola, o aperfeiçoamento do jogo associativo. A maior parte destes nossos jogadores estão ainda em formação!!! Reconheço que o contexto, para eles, é difícil - ainda hoje se viram as dificuldades que tivemos nas bolas divididas. Mas os resultados não são o mais importante - o único objetivo desportivo (para o clube, não para o grupo de trabalho, é claro) é a manutenção na liga 3. De resto, o fundamental é fazer evoluir aqueles jogadores. Eu, quando vejo as nossas equipas de formação, por sistema, a despejarem bolas na frente sem grande critério e com dificuldade no jogo associativo, fico preocupado.  Pode até ser eficaz para ganhar alguns jogos, mas não estimula os jogadores a evoluir naquilo que lhes permite tornarem-se melhores jogadores. Ter um jogo que permite que, por sistema (repito, por sistema), os jogadores batam na frente à procura das correrias dos nossos avançados, não os fará evoluir para aquilo que penso que o Braga quer (ou deveria querer).
De que serve ganhar nos escalões mais baixos se isso se faz sacrificando a evolução dos jogadores? Dou um exemplo: da equipa de juniores do Braga que foi campeã nacional em 2013-2014, quantos chegaram a um nível razoável de primeira liga? Pouquíssimos. Tirando o Tiago Sá, na posição específica de gr, só o Gil Dias. Sim, temos o Nené que vai jogando no Santa Clara e o Bukia no Arouca, sem destaque de maior e que dificilmente jogariam na nossa equipa. E o Núrio Fortuna que vai fazendo carreira no Gent (depois de em Portugal ninguém lhe ter pegado). Deu gozo ganhar? Deu. Mas mais importante do que isso é que daquela equipa tivesse saído uma mão cheia de jogadores com capacidade para, a prazo, jogarem na nossa equipa principal.
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 4300
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #117 em: 11 de Dezembro de 2021, 19:44 »
A equipa B tem uma média de idades de 20 anos. E joga com vários miúdos de 18 a titulares. Se fosse simplesmente jogar um jogo de posse na Liga 3 com trintões com experiência de 1ª e 2ª liga seriam engolidos e iam parar ao CdP. A evolução destes miúdos dá-se ao terem que se bater de igual para igual com estes "calmeirões", terem que ganhar bolas divididas, a levaram porrada o jogo todo e terem que ganhar os jogos como der. Dos sub-23 para baixo sim, faz todo o sentido que o estilo de jogo seja um fator fundamental para a evolução dos jogadores, a partir daí é futebol sénior a sério e a evolução faz-se ganhando "calo", ritmo de jogo e inteligência tática e emocional. A evolução técnica  e tática é dos sub-23 para baixo.

Sobre projeto, não há clube nenhum em Portugal que tenha um projeto melhor definido que o Braga. E se houve um momento na história do clube que houve um projeto para o futebol é agora. Temos uma equipa B e sub-23 90% feita de jogadores da academia, temos vários jogadores na equipa A vindos da academia, vários deles a jogarem de forma consistente.

Jogar sempre da mesma forma, com o mesmo estilo e a mesma tática dos infantis à A? É uma utopia. Só conheço 2 casos a nível mundial com relativo sucesso. O Ajax e o Barça. O Ajax alterna 5 ou 6 anos bons com 3 ou 4 medíocres, dependendo das "fornadas". O Barça é o único caso de sucesso consecutivo baseado em jogadores da academia com um estilo de jogo igual desde a base. Começou a ruir há 3 ou 4 anos quando começaram a ir buscar jogadores de fora porque da B não vinha ninguém de jeito (e dava jeito às comissões do Bartomeu), caiu de vez com a saída do Messi e veremos quando volta e se volta nos mesmos moldes (o Xavi bem meteu 2 ou 3 miúdos mas afinal aquilo não é nível suficiente e áj andam atrás de gajos como o Cavani e o Sterling que de estilo "Barça" têm 0). São 2 exceções, não são a regra. E já agora, o modelo do Barça assentava em ter treinadores a virem da base para a A, com algumas exceções mas que mantinham minimamente o estilo (até o Koeman partir o estilo todo). Assim sendo o que faria sentido numa ótica de jogar sempre com o mesmo modelo era o Artur Jorge subir assim que o Carvalhal sair e depois quando o Artur sair voltar o Custódio.

Quando o Rodrigo, o Lukas ou o Schurrle forem jogar na A estarão muito mais preparados do que se tivessem no CdP a jogarem bonitinho mas perto da desproporção para os distritais. Se não podem com 2 porradas na Liga 3, não podem com a 1ª Liga.

Até ao momento, excelente trabalho da equipa B e dos sub-23. Do Artur e do Custódio.
« Última modificação: 11 de Dezembro de 2021, 19:50 por NightHawk »
Olho Vivo Equipa Principal
  • *****
  • 10147
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #118 em: 11 de Dezembro de 2021, 19:59 »
A equipa B tem uma média de idades de 20 anos. E joga com vários miúdos de 18 a titulares. Se fosse simplesmente jogar um jogo de posse na Liga 3 com trintões com experiência de 1ª e 2ª liga seriam engolidos e iam parar ao CdP. A evolução destes miúdos dá-se ao terem que se bater de igual para igual com estes "calmeirões", terem que ganhar bolas divididas, a levaram porrada o jogo todo e terem que ganhar os jogos como der. Dos sub-23 para baixo sim, faz todo o sentido que o estilo de jogo seja um fator fundamental para a evolução dos jogadores, a partir daí é futebol sénior a sério e a evolução faz-se ganhando "calo", ritmo de jogo e inteligência tática e emocional. A evolução técnica  e tática é dos sub-23 para baixo.

Sobre projeto, não há clube nenhum em Portugal que tenha um projeto melhor definido que o Braga. E se houve um momento na história do clube que houve um projeto para o futebol é agora. Temos uma equipa B e sub-23 90% feita de jogadores da academia, temos vários jogadores na equipa A vindos da academia, vários deles a jogarem de forma consistente.

Jogar sempre da mesma forma, com o mesmo estilo e a mesma tática dos infantis à A? É uma utopia. Só conheço 2 casos a nível mundial com relativo sucesso. O Ajax e o Barça. O Ajax alterna 5 ou 6 anos bons com 3 ou 4 medíocres, dependendo das "fornadas". O Barça é o único caso de sucesso consecutivo baseado em jogadores da academia com um estilo de jogo igual desde a base. Começou a ruir há 3 ou 4 anos quando começaram a ir buscar jogadores de fora porque da B não vinha ninguém de jeito (e dava jeito às comissões do Bartomeu), caiu de vez com a saída do Messi e veremos quando volta e se volta nos mesmos moldes (o Xavi bem meteu 2 ou 3 miúdos mas afinal aquilo não é nível suficiente e áj andam atrás de gajos como o Cavani e o Sterling que de estilo "Barça" têm 0). São 2 exceções, não são a regra. E já agora, o modelo do Barça assentava em ter treinadores a virem da base para a A, com algumas exceções mas que mantinham minimamente o estilo (até o Koeman partir o estilo todo). Assim sendo o que faria sentido numa ótica de jogar sempre com o mesmo modelo era o Artur Jorge subir assim que o Carvalhal sair e depois quando o Artur sair voltar o Custódio.

Quando o Rodrigo, o Lukas ou o Schurrle forem jogar na A estarão muito mais preparados do que se tivessem no CdP a jogarem bonitinho mas perto da desproporção para os distritais. Se não podem com 2 porradas na Liga 3, não podem com a 1ª Liga.

Até ao momento, excelente trabalho da equipa B e dos sub-23. Do Artur e do Custódio.
Não concordo. Este raciocínio peca por considerar que só há duas formas de jogar futebol. Se quisermos, que o Liverpool joga da mesma forma que o City. E não joga. E nenhuma destas equipas joga um futebol de chutão.
Para além disso, não tem comparação a forma de jogar da equipa B com os sub23, sendo certo que o tipo de adversários não é o mesmo.
Não vou entrar nas discussões filosóficas que para aqui andam, se temos ou não temos projeto. Será incompleto e muitas vezes inconsistente, mas nunca foi melhor do que é hoje.
Dito isto, não gosto do que tenho visto da equopa B. Quando vejo um jogo dos BB, não estou a torcer pela vitoria como se fosse um jogo da equipa principal. Estou sobretudo atento à evolução dos jogadores. E parece-me que esta forma de jogar não potencia muitos deles. Só isso.

Enviado do meu SM-N950F através do Tapatalk

100%SCB Equipa Principal
  • *****
  • 7403
  • Quando o erro for só erro o SC Braga será campeão!
  Re: SC Braga B na Liga 3: 2021/22
« Responder #119 em: 11 de Dezembro de 2021, 20:09 »
Colocar o Rodrigo Gomes a jogar como avançado, no limite do fora de jogo e sempre a procurar as costas da defesa adversária certamente não fará o jogador evoluir muito e ficar mais completo. Isto, pegando só no exemplo deste jogador.
FORÇA BRAGA
 

Anuncios M
Anuncios M