You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Mercado de Inverno 2019/2020
1076 Respostas
76529 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Quim
Quim Juniores
  • ***
  • 270
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #340 em: 14 de Janeiro de 2020, 18:44 »
O ricardo horta foi uma troca com o juan carlos, como tinhamos pouca percentagem do jogador calculo que o malaga nao tivesse deixado ele vir com a percentagem total do passe
Quanto ao que ele vale, voces dizem que 12 milhoes era ja, e ve se os adeptos das outras equipas a dizerem que vale no minimo 20, realmente ainda bem que muitos daqui nao sao presidentes nem pertencem a direção do nosso clube,( a galinha da vizinha é sempre melhor que a nossa,muitos de voces sao assim)
Quem é que diz que vale 20? Duvido muito que haja alguém que diga isso a não ser que seja braguista.
O Ricardo Horta é um jogador muito útil, profissional e humilde mas nunca aparecerá clube algum que dê 20M por ele a não ser que sejam euromendes ou que ele de repente se tornasse um jogador diferente. Se é verdade que existe um clube que dá 12M por ele, acho que é sem dúvidas um bom negócio mesmo assumindo que tenhamos 50% do seu passe ou coisa parecida (dificilmente algo mudará nesse aspecto neste momento). Muito sinceramente acho que seria facilmente substituído ou com soluções internas ou com eventuais aquisições.

Se aquele Tomás, em menos de um ano, movimentou 40 milhões, já acredito em tudo. E não, não vendia o Horta por 12 milhões.
É preciso ser muito inocente para achar que o RDT, que veio por 20M, em menos de um ano (onde desvalorizou) foi vendido por valores superiores aos da compra e com direito a 20% de uma futura venda para o último classificado da liga espanhola.
E alguém acha que os negócios são claros? Os valores estão aí, há entidades próprias para regular e fiscalizar esses valores. O dinheiro circulou... Por quem? Só eles saberão... Mas circulou. Portanto, se aquele cepo movimentou 40 milhões em menos de um ano, porque raio o Horta (jogador essencial da nossa equipa) não pode valer 20 milhões?

Enviado do meu Mi A1 através do Tapatalk
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 8492
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #341 em: 14 de Janeiro de 2020, 18:47 »
Tanto Ricardo Horta como Trincão não aparecem em qualquer dos RCs das últimas quatro épocas.
Acho inacreditável como os passes dos produtos da formação chegam à equipa principal já uma manta de retalhos.

Se o Braga tivesse nem que fosse 80% do Trincão (o que para mim já seria o minimo exigivel), já tinhamos capacidade financeira para ficar com a 1a fase da Academia paga e a 2a bem encaminhada para tal. Pensem nisso.
Desde que a obra começou já  facturamos dezenas de milhões com transferências de miúdos da formação e equipa B (Xeca + B. Jordão + P. Neto + Loum + um central da equipa B que foi para a Bundesliga rondam os €40M, claro que depois há que subtrair as % de passe pertencentes a outras "entidades" e as "comichões).
Anuncios M
Anuncios M
bstrider
bstrider Equipa Principal
  • *****
  • 1218
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #342 em: 14 de Janeiro de 2020, 18:48 »
O Ricardo Horta renovou em setembro passado até 2024 e segundo o transfermarkt terá uma cláusula de rescisão entre os 15M e os 25M. 15M seria o valor mínimo no verão (se desvalorizasse), estando no mercado de inverno e com a forma atual não aceitaria menos de 20M... Por um lado gosto muito do Ricardo, mas sinto que não evoluirá para um patamar superior, e com 25 anos também será a idade ideal para sair para um campeonato melhor. Quanto ao Trincao, parece me que não vale a pena renovar se isso implicar ainda menos direitos futuros para o Braga. Desportivamente, tanto para ele como para nós, só deveria sair no final de 2020/2021. 30M em Portugal é difícil de dar e por isso há muito mais hipóteses de sair para fora. Se for para impedir que saia para os galináceos então concordo em tentar aumentar a cláusula.
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13009
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #343 em: 14 de Janeiro de 2020, 18:54 »
Qual foi a maior venda do Braga? E era inferior ao R. Horta? Estava o Braga menos cotado do que está agora?
E por quanto saiu o nosso goleador que teria propostas chorudas?

Eu por mim vendia ao 3o ou 4o gajo da caixa de comentários do Visão de Mercado (página que só tem valor quando dá jeito) que oferece 60 milhões, ou então ao gajo anterior que oferece 30 milhões mais 3 jogadores.

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

Quem não sente não é filho de boa gente.
Anuncios V
Pé Ligeiro
Pé Ligeiro Equipa Principal
  • *****
  • 13458
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #344 em: 14 de Janeiro de 2020, 19:10 »
Tanto Ricardo Horta como Trincão não aparecem em qualquer dos RCs das últimas quatro épocas.

Aconteceu o mesmo com o Rafa e com o Willy Boly, entre outros. Seria interessante conhecer estes esquemas...

Uma coisa curiosa é que no relatório e Contas de 2017/18, página 19 aparece uma inscrita uma receita proveniente do empréstimo de Gil Dias ao Mónaco, no valor de 242.570 €, aos quais retiram 150.000€ com encargos com esse empréstimo, sobrando para o Braga o valor de 92.570, ou seja, o "intermediário" é que leva a fatia de leão (150 mil), ficando supostamente o clube com apenas 92570 do empréstimo. Não deixa de ser curioso aparecer no RC de 2017/18 estes valores, referentes a um jogador que há muito lhe "perdemos o rasto", pois há muitos anos que não aparecia em nenhum RC. Mais um caso intrincado...
BRAGA SEMPRE MAIS!
Pé Ligeiro
Pé Ligeiro Equipa Principal
  • *****
  • 13458
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #345 em: 14 de Janeiro de 2020, 19:25 »
« Última modificação: 14 de Janeiro de 2020, 19:40 por Pé Ligeiro »
BRAGA SEMPRE MAIS!
GverreirodoMinho
GverreirodoMinho Equipa Principal
  • *****
  • 1231
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #346 em: 14 de Janeiro de 2020, 19:27 »
Eu às vezes penso mesmo que vejo coisas diferentes que toda a gente aqui. Vocês têm estado atentos ao quão inflacionado está o mercado?
Há 5 anos atrás, com a forma do Horta atual, nunca o poderíamos vender por menos de 8M. Com o mercado atual, 15M é o mínimo dos mínimos, mas mesmo assim parece-me pouco. Com os golos que tem, e com a forma europeia que tem tido, 20M parece-me mais do que provável (isto claro, em condições normais e sem maroscas á lá Salvador).
Olhem para sul, onde é que o Sporting há uns 4 ou 5 anos atrás ia conseguir vender um jogador por 60 ou 70 Milhões? Ainda por cima com as dificuldades que tem tido. Ou o Braga investia 3.5M num jogador? O mercado de agora não é o mercado de há 5 anos (o que ainda faz com que a transferência do Dyego Sousa seja mais vergonhosa, mas pronto)
Sócio 3269.
Kwanza99
Kwanza99 Juniores
  • ***
  • 682
  • Os Kwanzas do Dyego
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #347 em: 14 de Janeiro de 2020, 19:38 »
Estamos num patamar mesmo elevado sim senhor. Um rapaz que esta época leva 14 golos, luta como poucos durante os 90', ajudando a equilibrar a equipa, é considerado banal e incapaz de subir de patamar. Facilmente substituível. Que categoria!

14 e ainda época vai a meio. Por menos de 20 milhões é derrota!
Zauuu ⚔️🔴⚪️
Anuncios M
Anuncios M
Pé Ligeiro
Pé Ligeiro Equipa Principal
  • *****
  • 13458
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #348 em: 14 de Janeiro de 2020, 19:52 »
Tanto Ricardo Horta como Trincão não aparecem em qualquer dos RCs das últimas quatro épocas.

Aconteceu o mesmo com o Rafa e com o Willy Boly, entre outros. Seria interessante conhecer estes esquemas...

Uma coisa curiosa é que no relatório e Contas de 2017/18, página 19 aparece uma inscrita uma receita proveniente do empréstimo de Gil Dias ao Mónaco, no valor de 242.570 €, aos quais retiram 150.000€ com encargos com esse empréstimo, sobrando para o Braga o valor de 92.570, ou seja, o "intermediário" é que leva a fatia de leão (150 mil), ficando supostamente o clube com apenas 92570 do empréstimo. Não deixa de ser curioso aparecer no RC de 2017/18 estes valores, referentes a um jogador que há muito lhe "perdemos o rasto", pois há muitos anos que não aparecia em nenhum RC. Mais um caso intrincado...

No caso do Rafa, após ter desaparecido do RC no ano antes de ser vendido, veio aparecer no RC de 2016/17

e como toda a gente sabe, foi um excelente negócio (aparentemente...)

Foi vendido ao Benfica por 16.000.000€. Sabem quanto deste dinheiro terá entrado nos cofres do Braga?

O RC 2016/17, na sua página 63 diz que o Braga era detentor de 90% do passe (14.499.000€), mas também diz que houve 11.666.667€ de encargos com a transferência, tendo sobrado para o Braga 2.733.333€

Ninguém se questiona que de uma venda de 16 milhões, dos quais o Braga teria direito a 14 milhões e meio, apenas terão entrado nos cofres do Braga 2 milhões e setecentos mil euros?
BRAGA SEMPRE MAIS!
andromeda123 Juniores
  • ***
  • 446
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #349 em: 14 de Janeiro de 2020, 20:13 »
Se isto do Trincão for verdade, vamos ter bronca a sério! Salvador, não brinques conosco!!!
PEDRØ XVI
PEDRØ XVI Equipa Principal
  • *****
  • 3199
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #350 em: 14 de Janeiro de 2020, 20:22 »
O mercado está tão inflacionado que o Dyego Sousa, que segundo o transfermarket vale mais que o Horta, foi vendido por 5M.
Anuncios G
Rondo
Rondo Equipa Reservas
  • ****
  • 758
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #351 em: 14 de Janeiro de 2020, 20:31 »
Tanto Ricardo Horta como Trincão não aparecem em qualquer dos RCs das últimas quatro épocas.

Aconteceu o mesmo com o Rafa e com o Willy Boly, entre outros. Seria interessante conhecer estes esquemas...

Uma coisa curiosa é que no relatório e Contas de 2017/18, página 19 aparece uma inscrita uma receita proveniente do empréstimo de Gil Dias ao Mónaco, no valor de 242.570 €, aos quais retiram 150.000€ com encargos com esse empréstimo, sobrando para o Braga o valor de 92.570, ou seja, o "intermediário" é que leva a fatia de leão (150 mil), ficando supostamente o clube com apenas 92570 do empréstimo. Não deixa de ser curioso aparecer no RC de 2017/18 estes valores, referentes a um jogador que há muito lhe "perdemos o rasto", pois há muitos anos que não aparecia em nenhum RC. Mais um caso intrincado...

No caso do Rafa, após ter desaparecido do RC no ano antes de ser vendido, veio aparecer no RC de 2016/17

e como toda a gente sabe, foi um excelente negócio (aparentemente...)

Foi vendido ao Benfica por 16.000.000€. Sabem quanto deste dinheiro terá entrado nos cofres do Braga?

O RC 2016/17, na sua página 63 diz que o Braga era detentor de 90% do passe (14.499.000€), mas também diz que houve 11.666.667€ de encargos com a transferência, tendo sobrado para o Braga 2.733.333€

Ninguém se questiona que de uma venda de 16 milhões, dos quais o Braga teria direito a 14 milhões e meio, apenas terão entrado nos cofres do Braga 2 milhões e setecentos mil euros?

Olá, sr. Ligeiro. Já que sabe consultar o documento, poderá ler o seguinte, se quiser:

Citar
Relativamente ao atleta Rafael Alexandre Fernandes Ferreira Silva, a Administração da Sociedade entende esclarecer os termos da sua contratação e alienação.
Assim, em 1 de julho de 2013, a Braga SAD em parceria com a Sociedade Gestifute – Gestão de Carreiras de Profissionais Desportivos, SA acordou com o CD Feirense a transferência dos direitos desportivos do jogador e de 90% dos seus direitos económicos mediante o pagamento da quantia de 385.000 euros acrescida de 110.000 euros de objetivos que foram cumpridos (valor suportado na proporção 50/50 pela Braga SAD e Gestifute). Esta parceria na aquisição do atleta ao CD Feirense, que disputava a segunda liga de futebol profissional, teve por base a partilha de risco num investimento considerado elevado para um jogador vindo de um escalão inferior.
Nessa altura, no âmbito da negociação do contrato de trabalho desportivo do jogador, a Braga SAD reconheceu à Sociedade Onsoccer International - Gestão de Carreiras Desportivas SA, como contrapartida por serviços que esta lhe prestou, 10% dos direitos económicos do jogador.
Do exposto resulta que, na altura da contratação, a Braga SAD ficou titular dos direitos desportivos do jogador, sendo que os direitos económicos foram repartidos de acordo com as seguintes percentagens: 40% para a Braga SAD, 40% para a Gestifute, 10% para a Onsoccer e 10% permaneceram no CD Feirense.
Decorrida uma época desportiva em que a Braga SAD não atingiu os objetivos a que se propôs, não foi possível obter o retorno desejado com a alienação de ativos. Paralelamente assiste-se a um período conturbado do sistema financeiro português que afetou fortemente uma das instituições financeiras parceiras da Braga SAD, o Banco Espírito Santo, o que provocou constrangimentos financeiros significativos à Sociedade.
Assim, no sentido de ultrapassar esta fase difícil, a Administração foi forçada a procurar investidores no mercado. Na sequência dos contactos estabelecidos, em 30 de junho de 2014 (um ano após a contratação do atleta), surgiu a oportunidade de alienação dos 40% dos direitos económicos detidos pela Braga SAD à Browsefish Limited pelo montante de 7.150.000 euros.
Refira-se que a esta data o jogador não era titular da equipa principal da Braga SAD, portanto ainda sem provas dadas, pelo que aquele montante de transação só se tornou possível devido à confiança depositada na gestão desportiva da Sociedade no sentido da valorização futura do atleta. Fruto desta alienação a Braga SAD ficou titular apenas dos direitos desportivos do jogador.
Na época desportiva 2015/16 o jogador sofreu uma valorização de mercado como consequência das exibições efetuadas, o que originou várias aproximações tendo em vista a sua transferência.
De forma a maximizar o rendimento com a alienação, no inicio de 2016 a Braga SAD contactou a Browsefish e a Gestifute no sentido de adquirir 80% dos direitos económicos do jogador. O negócio foi concretizado pela quantia global de 12.000.000 euros, 8.000.000 euros para a Browswfish, valor que incorpora juros remuneratórios exigidos por este fundo de investimento e 4.000.000 euros para a Gestifute.
Assim, os direitos económicos do atleta passaram a estar divididos entre a Braga SAD (80%), o CD Feirense (10%) e a Onsoccer (10%).
Em 31 de agosto de 2016, a Braga SAD e a SL Benfica, SAD chegaram a acordo para a transferência do jogador. No âmbito desse acordo a SL Benfica, SAD assumiu a obrigação de desonerar a Braga SAD em relação à Onsoccer (negociando com esta, diretamente, em relação aos 10% dos direitos económicos do jogador por si detidos), a obrigação de pagamento da contribuição de solidariedade inerente à transferência, e ao pagamento à Braga SAD da quantia de 16.000.000 euros, da qual 90% (14.400.000 euros) revertem a favor da Braga SAD e 10% (1.600.000 euros) revertem a favor do CD Feirense.
Podemos concluir que a Braga SAD obteve um lucro (valor de venda após dedução dos custos suportados no âmbito dos acordos celebrados com as entidades acima referidas) com a transferência do jogador de 9.302.500€, sendo que antes da operação de reaquisição de 80% dos direitos económicos do jogador tal lucro se cifrava apenas em 6.902.500€. Ou seja, face aos 40% dos direitos económicos do jogador detidos inicialmente pela Braga SAD, foi obtida uma mais valia adicional (sem considerar o efeito das amortizações) de 2.400.000 euros com a aquisição de 80% dos direitos económicos.
˜”*°•.1921.•°*”˜
AMartins
AMartins Equipa Principal
  • *****
  • 2470
  Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #352 em: 14 de Janeiro de 2020, 20:31 »
Depois há gente que fica “chateada” com quem não aprova cegamente relatórios de contas e orçamentos nas AG.
 
Vira o disco e toca o mesmo.
Pé Ligeiro
Pé Ligeiro Equipa Principal
  • *****
  • 13458
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #353 em: 14 de Janeiro de 2020, 20:49 »
Tanto Ricardo Horta como Trincão não aparecem em qualquer dos RCs das últimas quatro épocas.

Aconteceu o mesmo com o Rafa e com o Willy Boly, entre outros. Seria interessante conhecer estes esquemas...

Uma coisa curiosa é que no relatório e Contas de 2017/18, página 19 aparece uma inscrita uma receita proveniente do empréstimo de Gil Dias ao Mónaco, no valor de 242.570 €, aos quais retiram 150.000€ com encargos com esse empréstimo, sobrando para o Braga o valor de 92.570, ou seja, o "intermediário" é que leva a fatia de leão (150 mil), ficando supostamente o clube com apenas 92570 do empréstimo. Não deixa de ser curioso aparecer no RC de 2017/18 estes valores, referentes a um jogador que há muito lhe "perdemos o rasto", pois há muitos anos que não aparecia em nenhum RC. Mais um caso intrincado...

No caso do Rafa, após ter desaparecido do RC no ano antes de ser vendido, veio aparecer no RC de 2016/17

e como toda a gente sabe, foi um excelente negócio (aparentemente...)

Foi vendido ao Benfica por 16.000.000€. Sabem quanto deste dinheiro terá entrado nos cofres do Braga?

O RC 2016/17, na sua página 63 diz que o Braga era detentor de 90% do passe (14.499.000€), mas também diz que houve 11.666.667€ de encargos com a transferência, tendo sobrado para o Braga 2.733.333€

Ninguém se questiona que de uma venda de 16 milhões, dos quais o Braga teria direito a 14 milhões e meio, apenas terão entrado nos cofres do Braga 2 milhões e setecentos mil euros?

Olá, sr. Ligeiro. Já que sabe consultar o documento, poderá ler o seguinte, se quiser:

Citar
Relativamente ao atleta Rafael Alexandre Fernandes Ferreira Silva, a Administração da Sociedade entende esclarecer os termos da sua contratação e alienação.
Assim, em 1 de julho de 2013, a Braga SAD em parceria com a Sociedade Gestifute – Gestão de Carreiras de Profissionais Desportivos, SA acordou com o CD Feirense a transferência dos direitos desportivos do jogador e de 90% dos seus direitos económicos mediante o pagamento da quantia de 385.000 euros acrescida de 110.000 euros de objetivos que foram cumpridos (valor suportado na proporção 50/50 pela Braga SAD e Gestifute). Esta parceria na aquisição do atleta ao CD Feirense, que disputava a segunda liga de futebol profissional, teve por base a partilha de risco num investimento considerado elevado para um jogador vindo de um escalão inferior.
Nessa altura, no âmbito da negociação do contrato de trabalho desportivo do jogador, a Braga SAD reconheceu à Sociedade Onsoccer International - Gestão de Carreiras Desportivas SA, como contrapartida por serviços que esta lhe prestou, 10% dos direitos económicos do jogador.
Do exposto resulta que, na altura da contratação, a Braga SAD ficou titular dos direitos desportivos do jogador, sendo que os direitos económicos foram repartidos de acordo com as seguintes percentagens: 40% para a Braga SAD, 40% para a Gestifute, 10% para a Onsoccer e 10% permaneceram no CD Feirense.
Decorrida uma época desportiva em que a Braga SAD não atingiu os objetivos a que se propôs, não foi possível obter o retorno desejado com a alienação de ativos. Paralelamente assiste-se a um período conturbado do sistema financeiro português que afetou fortemente uma das instituições financeiras parceiras da Braga SAD, o Banco Espírito Santo, o que provocou constrangimentos financeiros significativos à Sociedade.
Assim, no sentido de ultrapassar esta fase difícil, a Administração foi forçada a procurar investidores no mercado. Na sequência dos contactos estabelecidos, em 30 de junho de 2014 (um ano após a contratação do atleta), surgiu a oportunidade de alienação dos 40% dos direitos económicos detidos pela Braga SAD à Browsefish Limited pelo montante de 7.150.000 euros.
Refira-se que a esta data o jogador não era titular da equipa principal da Braga SAD, portanto ainda sem provas dadas, pelo que aquele montante de transação só se tornou possível devido à confiança depositada na gestão desportiva da Sociedade no sentido da valorização futura do atleta. Fruto desta alienação a Braga SAD ficou titular apenas dos direitos desportivos do jogador.
Na época desportiva 2015/16 o jogador sofreu uma valorização de mercado como consequência das exibições efetuadas, o que originou várias aproximações tendo em vista a sua transferência.
De forma a maximizar o rendimento com a alienação, no inicio de 2016 a Braga SAD contactou a Browsefish e a Gestifute no sentido de adquirir 80% dos direitos económicos do jogador. O negócio foi concretizado pela quantia global de 12.000.000 euros, 8.000.000 euros para a Browswfish, valor que incorpora juros remuneratórios exigidos por este fundo de investimento e 4.000.000 euros para a Gestifute.
Assim, os direitos económicos do atleta passaram a estar divididos entre a Braga SAD (80%), o CD Feirense (10%) e a Onsoccer (10%).
Em 31 de agosto de 2016, a Braga SAD e a SL Benfica, SAD chegaram a acordo para a transferência do jogador. No âmbito desse acordo a SL Benfica, SAD assumiu a obrigação de desonerar a Braga SAD em relação à Onsoccer (negociando com esta, diretamente, em relação aos 10% dos direitos económicos do jogador por si detidos), a obrigação de pagamento da contribuição de solidariedade inerente à transferência, e ao pagamento à Braga SAD da quantia de 16.000.000 euros, da qual 90% (14.400.000 euros) revertem a favor da Braga SAD e 10% (1.600.000 euros) revertem a favor do CD Feirense.
Podemos concluir que a Braga SAD obteve um lucro (valor de venda após dedução dos custos suportados no âmbito dos acordos celebrados com as entidades acima referidas) com a transferência do jogador de 9.302.500€, sendo que antes da operação de reaquisição de 80% dos direitos económicos do jogador tal lucro se cifrava apenas em 6.902.500€. Ou seja, face aos 40% dos direitos económicos do jogador detidos inicialmente pela Braga SAD, foi obtida uma mais valia adicional (sem considerar o efeito das amortizações) de 2.400.000 euros com a aquisição de 80% dos direitos económicos.

Cada um acredita nas "histórias" que quiser.
O que se sabe é que a qualidade do Rafa nunca enganou e quando o Braga o contratou, teve o Sporting à perna a querer desviá-lo para Alvalade

Essa história da parceria com a Gestifute só surgiu mais tarde. Quando o Braga o contratou ao Feirense, nunca se falou em qualquer parceria, que não fazia qualquer sentido, numa contratação de 385 mil € mais 110 mil por objetivos. E ao contrário do que pretendem fazer passar, não era um investimento de elevado risco, pois o Rafa já tinha dado mostras do seu elevado potencial, daí o Sporting o querer...

Já agora, o empréstimo do Gil Dias ao Mónaco e as verbas inscritas no RC de 2016/17 também devem ter uma explicação...
« Última modificação: 14 de Janeiro de 2020, 20:57 por Pé Ligeiro »
BRAGA SEMPRE MAIS!
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 8492
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #354 em: 14 de Janeiro de 2020, 20:58 »
Em vez de vender deveremos manter os melhores, despachar os excedentários e aqueles que tendo ainda algum valor de mercado já nada acrescentam...para facturarmos €15M a €25M no mercado de verão temos um bom pacote composto por: B. Viana,, Esgaio, Pablo Santos, Diogo Viana, Caju, Claudemir, Fransergio, Novais e Hassan.

No mercado do verão passado considerava a venda do R. Horta  interessante mas com as boa temporada que está a fazer e a importância que tem no onze considero agora que só deveria sair pela cláusula...pela reportagem que vi do A. Horta na sport tv fiquei com a ideia clara que é altamente dependente da presença do irmão, disse mesmo que foi para os "states" já com a ideia em mente de regressar a Braga o mais breve possível para estar junto do dele, se o R. Horta sair talvez o A. Horta passe a ser um peso morto...posso estar a fazer a leitura errada mas pelo que acima referi  julgo que nenhum dos dois sairá em breve.

Neste mercado de inverno não deverá entrar ninguém mas no mercado de verão o plantel necessita de limpeza e incremento de qualidade que, na minha opinião, acontecendo a saída de grande parte daqueles que acima referi (mais os emprestados Wallace e Palhinha bem como Wilson Eduardo em final de contrato) deveria passar pela entrada  de:
- três centrais...um acima da média para ocupar o centro do trio defensivo, outro, no mínimo, ao nível de Tormena e Raúl e um terceiro que  admito  ser Davide Carmo que tem a seu favor a capacidade de jogar também a médio defensivo, isso dá-lhe alguma bagagem para lutar por um lugar no trio; 
- em tese um lateral esquerdo para colmatar a saída de Caju, digo em tese porque, pelo que já li e ouvi a quem anda pelos bastidores, Rúben Amorim parece ter em mente trabalhar Galeno para fazer toda a lateral esquerda;
- um lateral direito melhorzinha que Esgaio e talvez a subida de um miúdo da B ou sub 23 para ocupar a vaga aberta pela saída de D. Viana;
- um MD se Palhinha acabar por sair mais dois médios, "box to box", um deles capaz de jogar, com qualidade, a médio defensivo (ocupar o lugar de  Claudemir) para os lugares de Novais e Fransergio e se juntarem a A. Horta e Xadas (Xadas poderia ser trabalhado para jogar também no miolo como segundo médio), se Schürrle subir é menos um investimento que se faz;
- para as alas, médios alas,  estamos bem servidos com R. Horta, Murilo (não descarto a saída de Murilo e a entrada de um substituto), Trincão, Galeno e Xadas;
- lá na frente, mantendo-se Paulinho e Fonte é indispensável investir num bom P que, poderia ser Diego Souza (deve estar farto de comer arroz com dois pauzinhos mas não do seu salário...é apenas um desejo pois sendo o seu regresso possível é muito pouco provável).

Seriam muitas entradas, sete mais três da formação mas como ouvi dizer que no próximo mercado de verão irá haver algum investimento para atacar o acesso ao podium e possível entrada na Liga dos Milhões não custa nada desejar melhor do que aquilo que temos em posições que considero necessária mais qualidade... independentemente das saídas as prioridades deveriam recair em dois centrais "top", um "box to box" acima da média e um bom PL.
« Última modificação: 15 de Janeiro de 2020, 11:14 por Lipeste »
bstrider
bstrider Equipa Principal
  • *****
  • 1218
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #355 em: 14 de Janeiro de 2020, 21:15 »
Em vez de vender deveremos manter os melhores, despachar os excedentários e aqueles que tendo ainda algum valor de mercado já nada acrescentam...para facturarmos €15M a €25M no mercado de verão temos um bom pacote composto por: B. Viana,, Esgaio, Pablo Santos, Diogo Viana, Caju, Claudemir, Fransergio, Novais e Hassan.

No mercado do verão passado considerava a venda do R. Horta  interessante mas com as boa temporada que está a fazer e a importância que tem no onze considero agora que só deveria sair pela cláusula...pela reportagem que vi do A. Horta na sport tv fiquei com a ideia clara que é altamente dependente da presença do irmão, disse mesmo que foi para os "states" já com a ideia em mente de regressar a Braga o mais breve possível para estar junto do dele, se o R. Horta sair talvez o A. Horta passe a ser um peso morto...posso estar a fazer a leitura errada mas pelo que acima referi  julgo que nenhum dos dois sairá em breve.

O Diogo Viana, Caju e Claudemir todos juntos devem dar um pacote de chiclas, se tanto...
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 8492
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #356 em: 14 de Janeiro de 2020, 21:54 »
Em vez de vender deveremos manter os melhores, despachar os excedentários e aqueles que tendo ainda algum valor de mercado já nada acrescentam...para facturarmos €15M a €25M no mercado de verão temos um bom pacote composto por: B. Viana,, Esgaio, Pablo Santos, Diogo Viana, Caju, Claudemir, Fransergio, Novais e Hassan.

No mercado do verão passado considerava a venda do R. Horta  interessante mas com as boa temporada que está a fazer e a importância que tem no onze considero agora que só deveria sair pela cláusula...pela reportagem que vi do A. Horta na sport tv fiquei com a ideia clara que é altamente dependente da presença do irmão, disse mesmo que foi para os "states" já com a ideia em mente de regressar a Braga o mais breve possível para estar junto do dele, se o R. Horta sair talvez o A. Horta passe a ser um peso morto...posso estar a fazer a leitura errada mas pelo que acima referi  julgo que nenhum dos dois sairá em breve.

O Diogo Viana, Caju e Claudemir todos juntos devem dar um pacote de chiclas, se tanto...
Já o B. Viana,, Esgaio, Pablo Santos, Fransergio, Novais, Hassa e mesmo o Claudemir, podem dar umas paletes (ver como referência os valores atribuidos pelo tranfernarkt que regra geral estão subvalorizado https://www.transfermarkt.pt/sc-braga/startseite/verein/1075/saison_id/2019).

Com o JM, para o bem e para o mal, tudo é possível, transforma pacotes de chiclas em pepitas de ouro.
« Última modificação: 14 de Janeiro de 2020, 22:05 por Lipeste »
Rondo
Rondo Equipa Reservas
  • ****
  • 758
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #357 em: 14 de Janeiro de 2020, 22:03 »
Tanto Ricardo Horta como Trincão não aparecem em qualquer dos RCs das últimas quatro épocas.

Aconteceu o mesmo com o Rafa e com o Willy Boly, entre outros. Seria interessante conhecer estes esquemas...

Uma coisa curiosa é que no relatório e Contas de 2017/18, página 19 aparece uma inscrita uma receita proveniente do empréstimo de Gil Dias ao Mónaco, no valor de 242.570 €, aos quais retiram 150.000€ com encargos com esse empréstimo, sobrando para o Braga o valor de 92.570, ou seja, o "intermediário" é que leva a fatia de leão (150 mil), ficando supostamente o clube com apenas 92570 do empréstimo. Não deixa de ser curioso aparecer no RC de 2017/18 estes valores, referentes a um jogador que há muito lhe "perdemos o rasto", pois há muitos anos que não aparecia em nenhum RC. Mais um caso intrincado...

No caso do Rafa, após ter desaparecido do RC no ano antes de ser vendido, veio aparecer no RC de 2016/17

e como toda a gente sabe, foi um excelente negócio (aparentemente...)

Foi vendido ao Benfica por 16.000.000€. Sabem quanto deste dinheiro terá entrado nos cofres do Braga?

O RC 2016/17, na sua página 63 diz que o Braga era detentor de 90% do passe (14.499.000€), mas também diz que houve 11.666.667€ de encargos com a transferência, tendo sobrado para o Braga 2.733.333€

Ninguém se questiona que de uma venda de 16 milhões, dos quais o Braga teria direito a 14 milhões e meio, apenas terão entrado nos cofres do Braga 2 milhões e setecentos mil euros?

Olá, sr. Ligeiro. Já que sabe consultar o documento, poderá ler o seguinte, se quiser:

Citar
Relativamente ao atleta Rafael Alexandre Fernandes Ferreira Silva, a Administração da Sociedade entende esclarecer os termos da sua contratação e alienação.
Assim, em 1 de julho de 2013, a Braga SAD em parceria com a Sociedade Gestifute – Gestão de Carreiras de Profissionais Desportivos, SA acordou com o CD Feirense a transferência dos direitos desportivos do jogador e de 90% dos seus direitos económicos mediante o pagamento da quantia de 385.000 euros acrescida de 110.000 euros de objetivos que foram cumpridos (valor suportado na proporção 50/50 pela Braga SAD e Gestifute). Esta parceria na aquisição do atleta ao CD Feirense, que disputava a segunda liga de futebol profissional, teve por base a partilha de risco num investimento considerado elevado para um jogador vindo de um escalão inferior.
Nessa altura, no âmbito da negociação do contrato de trabalho desportivo do jogador, a Braga SAD reconheceu à Sociedade Onsoccer International - Gestão de Carreiras Desportivas SA, como contrapartida por serviços que esta lhe prestou, 10% dos direitos económicos do jogador.
Do exposto resulta que, na altura da contratação, a Braga SAD ficou titular dos direitos desportivos do jogador, sendo que os direitos económicos foram repartidos de acordo com as seguintes percentagens: 40% para a Braga SAD, 40% para a Gestifute, 10% para a Onsoccer e 10% permaneceram no CD Feirense.
Decorrida uma época desportiva em que a Braga SAD não atingiu os objetivos a que se propôs, não foi possível obter o retorno desejado com a alienação de ativos. Paralelamente assiste-se a um período conturbado do sistema financeiro português que afetou fortemente uma das instituições financeiras parceiras da Braga SAD, o Banco Espírito Santo, o que provocou constrangimentos financeiros significativos à Sociedade.
Assim, no sentido de ultrapassar esta fase difícil, a Administração foi forçada a procurar investidores no mercado. Na sequência dos contactos estabelecidos, em 30 de junho de 2014 (um ano após a contratação do atleta), surgiu a oportunidade de alienação dos 40% dos direitos económicos detidos pela Braga SAD à Browsefish Limited pelo montante de 7.150.000 euros.
Refira-se que a esta data o jogador não era titular da equipa principal da Braga SAD, portanto ainda sem provas dadas, pelo que aquele montante de transação só se tornou possível devido à confiança depositada na gestão desportiva da Sociedade no sentido da valorização futura do atleta. Fruto desta alienação a Braga SAD ficou titular apenas dos direitos desportivos do jogador.
Na época desportiva 2015/16 o jogador sofreu uma valorização de mercado como consequência das exibições efetuadas, o que originou várias aproximações tendo em vista a sua transferência.
De forma a maximizar o rendimento com a alienação, no inicio de 2016 a Braga SAD contactou a Browsefish e a Gestifute no sentido de adquirir 80% dos direitos económicos do jogador. O negócio foi concretizado pela quantia global de 12.000.000 euros, 8.000.000 euros para a Browswfish, valor que incorpora juros remuneratórios exigidos por este fundo de investimento e 4.000.000 euros para a Gestifute.
Assim, os direitos económicos do atleta passaram a estar divididos entre a Braga SAD (80%), o CD Feirense (10%) e a Onsoccer (10%).
Em 31 de agosto de 2016, a Braga SAD e a SL Benfica, SAD chegaram a acordo para a transferência do jogador. No âmbito desse acordo a SL Benfica, SAD assumiu a obrigação de desonerar a Braga SAD em relação à Onsoccer (negociando com esta, diretamente, em relação aos 10% dos direitos económicos do jogador por si detidos), a obrigação de pagamento da contribuição de solidariedade inerente à transferência, e ao pagamento à Braga SAD da quantia de 16.000.000 euros, da qual 90% (14.400.000 euros) revertem a favor da Braga SAD e 10% (1.600.000 euros) revertem a favor do CD Feirense.
Podemos concluir que a Braga SAD obteve um lucro (valor de venda após dedução dos custos suportados no âmbito dos acordos celebrados com as entidades acima referidas) com a transferência do jogador de 9.302.500€, sendo que antes da operação de reaquisição de 80% dos direitos económicos do jogador tal lucro se cifrava apenas em 6.902.500€. Ou seja, face aos 40% dos direitos económicos do jogador detidos inicialmente pela Braga SAD, foi obtida uma mais valia adicional (sem considerar o efeito das amortizações) de 2.400.000 euros com a aquisição de 80% dos direitos económicos.

Cada um acredita nas "histórias" que quiser.
O que se sabe é que a qualidade do Rafa nunca enganou e quando o Braga o contratou, teve o Sporting à perna a querer desviá-lo para Alvalade

Essa história da parceria com a Gestifute só surgiu mais tarde. Quando o Braga o contratou ao Feirense, nunca se falou em qualquer parceria, que não fazia qualquer sentido, numa contratação de 385 mil € mais 110 mil por objetivos. E ao contrário do que pretendem fazer passar, não era um investimento de elevado risco, pois o Rafa já tinha dado mostras do seu elevado potencial, daí o Sporting o querer...

Já agora, o empréstimo do Gil Dias ao Mónaco e as verbas inscritas no RC de 2016/17 também devem ter uma explicação...
Primeiro diz-se que não há explicação oficial, depois afinal diz-se que não acredita, só porque não. Pelo meio inventa-se um valor de 2 milhões e 700 mil. Assim é a impunidade da internet e do levantamento de suspeitas sem provas e consequências.
˜”*°•.1921.•°*”˜
Diogo-scb
Diogo-scb Equipa Principal
  • *****
  • 2965
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #358 em: 14 de Janeiro de 2020, 23:13 »
Só não percebo como não aparecem as percentagens dos passes nos RCs. Acontece recorrentemente com jogadores que vendemos por intermédio do um certo agente: Gil Dias, Boly, Rafa, Pedro Neto, Jordão e agora prepara-se o mesmo caldinho com o Horta e o Trincão...
Enorme_Guerreiro
Enorme_Guerreiro Equipa Principal
  • *****
  • 2370
  • Sempre presentes!!!
  Re: Mercado de Inverno 2019/2020
« Responder #359 em: 15 de Janeiro de 2020, 12:37 »
Qual foi a maior venda do Braga? E era inferior ao R. Horta? Estava o Braga menos cotado do que está agora?
E por quanto saiu o nosso goleador que teria propostas chorudas?

Eu por mim vendia ao 3o ou 4o gajo da caixa de comentários do Visão de Mercado (página que só tem valor quando dá jeito) que oferece 60 milhões, ou então ao gajo anterior que oferece 30 milhões mais 3 jogadores.

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

Lógica da batata... O Ronaldo em 2009 custou 94M€ ao Real aos 24 anos, o Hazard esta época custou 100M€ aos 28 anos. O Hazard é melhor que o Ronaldo?
Quando o Rafa saiu, tinha acabado de ser feita a segunda transferência superior a 100M€ (Pogba para o United). Desde então, foram feitas mais 8, uma delas superior a 200M€ (e que revolucionou o mercado). Negar a inflação constante do mercado, é negar uma evidência.
O Dyego Sousa marcou 20 golos numa época inteira, é PL e tinha 29 anos. O Horta tem 14 golos a meio da época, não sendo PL e tendo apenas 25 anos. Não é comparável...
Além de tudo isso, estamos a meio da época, pelo que o preço sobe...

Quanto ao Visão de Mercado, para mim é o melhor site de notícias desportivas de longe, e com a melhor secção de comentários. Nunca os pus em causa, por isso estou à vontade...
Bracarense eu sou, onde tu fores eu vou
 

Anuncios M
Anuncios M