Quantcast
Sondagem: Referendo sobre a venda do Estádio Municipal. Que caminho seguir para o futuro?
You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Sondagem: Referendo sobre a venda do Estádio Municipal. Que caminho seguir para o futuro?
103 Respostas
8926 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4771
Wembley é um bom exemplo do motivo pelo qual o Municipal não serve para nada.
Estamos a falar de um dos estádios mais modernos do mundo, numa das maiores cidades do mundo por contrapartida de um estádio que é provavelmente na sua dimensão o pior construído no séc XXI, numa cidade minúscula e num país onde espectáculos culturais em estádios são a excepção.
Sparta1
Sparta1 Juniores
  • ***
  • 427
Vender o estádio e algo completamente surrealista pela simples razão de que não haverá nenhum maluco no mundo para o comprar.
Perdeu-se uma oportunidade histórica de construir um estádio confortavel e funcional capaz de atrair mais espectadores.
A unica hipotese  que eu vejo para alterar isto é sair-me o euromilhões e nesse caso ofereço um estádio ao Braga a construir ao pé da Universidade junto ao MD. Fica aqui prometido. Enquanto isso não acontecer vamos fazer um esforço para estar presentes porque o nosso clube não tem culpa nenhuma e merece o apoio de todos nós. Ainda na passada segunda feira eramos poucos muito poucos para uma cidade e um clube de grande dimensão.
Anuncios M
Anuncios M
D_PAC
D_PAC Equipa Principal
  • *****
  • 1446


A forma nunca se pode sobrepor à função!
#VãoTerDeContarConnosco
PEDRØ XVI
PEDRØ XVI Equipa Principal
  • *****
  • 3855


A forma nunca se pode sobrepor à função!
Fdx... só de ver essas bancadas pintadas de vermelho já dá logo outro gosto.
Não consigo perceber porque é que isto não é uma realidade.
Anuncios V
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13839
A forma nunca se pode sobrepor à função!
Fdx... só de ver essas bancadas pintadas de vermelho já dá logo outro gosto.
Não consigo perceber porque é que isto não é uma realidade.
Há muita coisa muito mais urgente, algumas das quais com custo reduzido (ou até lucro como os bares) que não se faz e não se percebe, por isso uma questão estética não me admira nada.

PS: Não sei se é de não estar habituado mas faz me confusão ver o estádio com as cadeiras vermelhas.
Quem não sente não é filho de boa gente.
AMartins
AMartins Equipa Principal
  • *****
  • 2978


A forma nunca se pode sobrepor à função!
Fdx... só de ver essas bancadas pintadas de vermelho já dá logo outro gosto.
Não consigo perceber porque é que isto não é uma realidade.

Porque além de “prestiges” tudo que envolva gastar uns cobres (no que é da câmara) com o associado comum nunca foi sequer opção! Aí sempre entraram as  desculpas de “não se poder mexer na obra de arte” entre outras...essas serviram sempre para desculpar a inação de quem vai comandando os destinos do clube.
Arsenalista
Arsenalista Equipa Principal
  • *****
  • 1950
  • Uma cidade, Um clube!


A forma nunca se pode sobrepor à função!
Fdx... só de ver essas bancadas pintadas de vermelho já dá logo outro gosto.
Não consigo perceber porque é que isto não é uma realidade.
Depende do gosto de cada, eu prefiro a cor actual pelo enquadramento em que está inserido o estádio.
Bracara Avgvsta Fidelis et antiqva
VERMELHO MAGICO
VERMELHO MAGICO Equipa Principal
  • *****
  • 1030
  • O BRAGA SOMOS NÓS
É claro que ficava mais bonito com essas cadeiras.

Mas isso pouco importava se estivessem sempre 95% ocupadas. Durante o jogo nem se sabia de que cor eram.
COM RAÇA E LEALDADE
DEFENDO OS CLUBES DA MINHA CIDADE
Anuncios M
Anuncios M
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 8852
  • Mágico Braga, Amor Eterno
JP desafia 'jotas' para debate sobre futuro do Estádio Municipal de Braga
Francisco Mota, líder da JP, afirma que até aqui ninguém se preocupou com o futuro das novas gerações.

A Juventude Popular de Braga está a desafiar as restantes juventudes partidárias do concelho para um debate sobre o futuro do Estádio Municipal. Em causa os encargos do município com este equipamento municipal, além do valor da renda mensal cobrada ao SCB e o anúncio do referendo local por parte do presidente da autarquia, Ricardo Rio.

Aos microfones da Universitária, Francisco Mota, presidente da JP de Braga, refere que a Juventude Popular "tem sido uma das vozes mais críticas sobre as opções do passado, mas também uma voz preocupada sobre as opções de hoje face ao futuro". Segundo Francisco Mota, a JP já endereçou uma carta ao presidente do SCB e outra ao presidente do município porque está "preocupada com a temática da sustentabilidade e o peso que as opções erradas do passado tiveram no orçamento municipal". "Qualquer bracarense compreende que pagar uma renda de 500 euros por um equipamento daqueles é algo que merece uma profunda reflexão", lembra Francisco Mota. Apesar de reconhecer que a escolha do valor não é responsabilidade do clube, o presidente da JP refere que é necessário perceber que relação se pretende entre o município e o clube que anuncia anualmente lucros de vários milhões de euros.

O presidente da Juventude Popular de Braga convida os jovens em geral a comparecer no debate de ideias e salienta que as novas gerações não podem ser colocadas de parte neste processo. "Se há gente que tem de ser ouvida e pode dar o mote para a grande reflexão municipal que se deve fazer são as juventudes partidárias e é esse desafio que deixamos. Não entreguemos nas mãos dos outros a reflexão sobre as opções que colocam em causa as futuras gerações", sugere.

Francisco Mota apela ainda à presença dos jovens em geral no debate, caso o mesmo venha a realizar-se, até porque no passado "ninguém se preocupou".

O jovem centrista sugere a realização do debate com os presidentes das juventudes partidárias de Braga entre o final deste ano e o início de 2020, antes do referendo local que o município de Braga pretende levar a cabo sobre a colocação à venda, ou não, do Estádio Municipal de Braga.

A JP desafiou ainda a comunicação social local para o acompanhamento e ajuda na realização desta mesma discussão, caso os restantes presidentes das juventudes partidárias aceitem participar no debate.

Em https://rum.pt/news/jp-desafia-jotas-para-debate-sobre-futuro-do-estadio-municipal-de-braga
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
Kwanza99
Kwanza99 Juniores
  • ***
  • 744
  • Os Kwanzas do Dyego
... o presidente da JP refere que é necessário perceber que relação se pretende entre o município e o clube que anuncia anualmente lucros de vários milhões de euros.

Gostava de saber o que este wanna be quer dizer com isto. O clube gera lucro e por isso já não precisa do apoio do município? É isso?
Zauuu ⚔️🔴⚪️
PEDRØ XVI
PEDRØ XVI Equipa Principal
  • *****
  • 3855
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
Anuncios G
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13839
... o presidente da JP refere que é necessário perceber que relação se pretende entre o município e o clube que anuncia anualmente lucros de vários milhões de euros.

Gostava de saber o que este wanna be quer dizer com isto. O clube gera lucro e por isso já não precisa do apoio do município? É isso?
É ver o que faz sentido e o que não faz.
Não faz sentido a CMB ter os encargos que têm para depois uma empresa privada com o volume de negócios que têm, a use a preço de amigo.
Faz sentido promover a aproximação entre clube e cidade e criar sinergias, com o SCB e outros. Acho que ainda se mantém o protocolo em que a CMB paga o seguro desportivo a todos os jovens do concelho que pratiquem futebol.
Quem não sente não é filho de boa gente.
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 8852
  • Mágico Braga, Amor Eterno
JS, JSD e BE disponíveis para debate sobre estádio municipal de Braga

A Juventude Socialista de Braga, a Juventude Social Democrata de Braga e o porta-voz do BE estão disponíveis para participar num debate sobre o estádio municipal.
Os presidentes da JS e da JSD de Braga estão disponíveis para participar num debate entre estruturas partidárias representativas dos jovens bracarenses, depois do desafio lançado pela Juventude Popular. Também o BE, que não tem uma estrutura igual às anteriores, aceitou participar. A JCP,  diz não ter recebido qualquer convite, e a sua porta-voz em Braga explicou à RUM que a JCP não tem "como prática participar em iniciativas de outras estruturas partidárias".

Diogo Cunha, novo presidete da JS, afirma que a estrutura socialista "está disponível para debater este ou outro tema que diga respeito ao município de Braga", ainda mais quando se trata do estádio municipal, assunto em que "a câmara municipal de Braga tem utilizado dois pesos e duas medidas". Na óptica do presidente da Juventude Socialista, Ricardo Rio e a maioria que governa actualmente o município "fora de Braga utilizam o estádio como um ex libris da cidade e em Braga aproveitam para se defenderem da sua inactividade utilizando o argumento dos gastos com o estádio".

João Alcaide, presidente da JSD de Braga também confirmou a sua disponibilidade para discutir este e outros assuntos relacionados com o concelho de Braga. Alcaide recorda que o tema tem sido uma das preocupações da JSD que já discutiu internamente o assunto por diferentes vezes, sublinhando ainda o exemplo da iniciativa levada a cabo há cerca de um ano, de "distribuição da factura do estádio municipal pelos bracarenses" com um valor muito semelhante ao que recentemente foi confirmado pelos cálculos realizados pelos serviços camarários a pedido do vereador da CDU, Carlos Almeida.

"Já dissemos diversas vezes que é uma verdadeira catástrofe financeira, que é um autêntico filme de terror, uma infraestrutura que custa 7,5ME ao ano aos cofres da câmara municipal", lembrou.

Sobre o debate, o presidente da JSD pede que seja "sério, responsável, estruturado e substantivo, deixando à margem questões mediáticas, populistas e pedagógicas".

Recorde-se que o município de Braga decidiu lançar um referendo local para saber se coloca ou não à venda o estádio Municipal de Braga, uma ideia defendida pelo autarca Ricardo Rio. O referendo deverá acontecer entre Fevereiro e Março. Por enquanto ainda não está definida a questão ou questões que serão colocadas aos munícipes. Os encargos com o estádio municipal podem atingir os 195 milhões de euros. A obra foi realizada no âmbito do Euro 2004.

Em https://rum.pt/news/js-e-jsd-disponiveis-para-debate-sobre-estadio-municipal-de-braga?fbclid=IwAR0npT82KFxkW46pLwhr2-MwdcEPpoLoMA3Va5hUawx96j35j2OP2Mf2fFM

Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4771
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
O valor da renda deve ser um valor justo e equilibrado para as 2 partes. Lá por em Braga só haver um clube para jogar no estádio não significa que o Braga tenha que lá jogar de borla por exemplo ou quase como é o caso. (a situação das rendas passou-se também com o Beira Mar, que penso agora ficou resolvido)
Estamos a falar de dinheiro que é de todos de um dos aldos e e estamos a falar de uma empresa que movimenta pelos dias de hoje dezenas de milhões de euros.
É que pela lógica da cidade precisa do Braga para utilizar o estádio se calhar a cidade também precisa da Bosh ou da aptiv e não é por isso que lhe constrói pavilhões e os deixa utilizar gratuitamente. Tem que haver bom senso das 2 partes quando se fazem este tipo de contratos e no caso do estádio não houve desde o início ao fim, foi um desbaratar de más decisões.
Em termos de imagem o Braga provavelmente até já devia ter negociado este contrato, podia pagar mais um pouco (em vez de pagar o preço de um T2 pagava o preço de uma vivenda de luxo), no fim matava um assunto que ao longo dos anos tem-lhe causado danos na imagem e tem servido de arma de arremesso politico e em termos de contas seria um acréscimo de 0,003% nas contas da SAD.

Quanto aos debates se forem feitos com seriedade são benvindos... mas duvido, pois partem inquinados à partida.
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 8852
  • Mágico Braga, Amor Eterno
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
O valor da renda deve ser um valor justo e equilibrado para as 2 partes. Lá por em Braga só haver um clube para jogar no estádio não significa que o Braga tenha que lá jogar de borla por exemplo ou quase como é o caso. (a situação das rendas passou-se também com o Beira Mar, que penso agora ficou resolvido)
Estamos a falar de dinheiro que é de todos de um dos aldos e e estamos a falar de uma empresa que movimenta pelos dias de hoje dezenas de milhões de euros.
É que pela lógica da cidade precisa do Braga para utilizar o estádio se calhar a cidade também precisa da Bosh ou da aptiv e não é por isso que lhe constrói pavilhões e os deixa utilizar gratuitamente. Tem que haver bom senso das 2 partes quando se fazem este tipo de contratos e no caso do estádio não houve desde o início ao fim, foi um desbaratar de más decisões.
Em termos de imagem o Braga provavelmente até já devia ter negociado este contrato, podia pagar mais um pouco (em vez de pagar o preço de um T2 pagava o preço de uma vivenda de luxo), no fim matava um assunto que ao longo dos anos tem-lhe causado danos na imagem e tem servido de arma de arremesso politico e em termos de contas seria um acréscimo de 0,003% nas contas da SAD.

Quanto aos debates se forem feitos com seriedade são benvindos... mas duvido, pois partem inquinados à partida.

Esperemos que sim, acho este assunto demasiado sério para o clube e para a cidade para ser instrumentalizado politicamente ou em qualquer outro sentido. Na minha opinião, não é hora de olhar para partidos nem para umbigos, que os diferentes órgãos, dirigentes e outros que analisem este assunto, neste ou em outros debates, estejam à altura que este momento exige e o façam de forma séria e se unam na procura da melhor solução para o clube e para cidade tendo em conta os problemas que este estádio traz para ambos.

É um estádio diferente e acho que em conjunto com a Alameda poderá ser utilizado em outras vertentes mas tem sido, a meu ver, uma das maiores pedras no sapato no que toca ao crescimento do Braga, que todos que possam ajudar a encontrar uma solução o façam, pelo clube e pela cidade.
« Última modificação: 15 de Novembro de 2019, 13:12 por Old School »
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
PEDRØ XVI
PEDRØ XVI Equipa Principal
  • *****
  • 3855
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
O valor da renda deve ser um valor justo e equilibrado para as 2 partes. Lá por em Braga só haver um clube para jogar no estádio não significa que o Braga tenha que lá jogar de borla por exemplo ou quase como é o caso. (a situação das rendas passou-se também com o Beira Mar, que penso agora ficou resolvido)
Estamos a falar de dinheiro que é de todos de um dos aldos e e estamos a falar de uma empresa que movimenta pelos dias de hoje dezenas de milhões de euros.
É que pela lógica da cidade precisa do Braga para utilizar o estádio se calhar a cidade também precisa da Bosh ou da aptiv e não é por isso que lhe constrói pavilhões e os deixa utilizar gratuitamente. Tem que haver bom senso das 2 partes quando se fazem este tipo de contratos e no caso do estádio não houve desde o início ao fim, foi um desbaratar de más decisões.
Em termos de imagem o Braga provavelmente até já devia ter negociado este contrato, podia pagar mais um pouco (em vez de pagar o preço de um T2 pagava o preço de uma vivenda de luxo), no fim matava um assunto que ao longo dos anos tem-lhe causado danos na imagem e tem servido de arma de arremesso politico e em termos de contas seria um acréscimo de 0,003% nas contas da SAD.

Quanto aos debates se forem feitos com seriedade são benvindos... mas duvido, pois partem inquinados à partida.
Desculpa mas não concordo. O pessoal esquece-se que o Braga paga a renda e grande parte das despesas que o estádio acarreta e que a CMB teria que pagar mesmo que o Braga não utilizasse o estádio, ou seja, a "renda" que para muita gente é de 500€ são na realidade valores muito próximos de 1M€/ano.
A comparação com a Bosch e Aptiv é totalmente descabida visto essas empresas vieram para cá por interesses próprios e não foi o município que lhes pediu por favor, enquanto o estádio foi feito propositadamente para a realização de eventos desportivos (futebol neste caso) e sem o Braga a pagar a renda mais grande parte das despesas a CMB teria ainda um prejuízo muito maior que o que vai acumulando actualmente.
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13839
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
O valor da renda deve ser um valor justo e equilibrado para as 2 partes. Lá por em Braga só haver um clube para jogar no estádio não significa que o Braga tenha que lá jogar de borla por exemplo ou quase como é o caso. (a situação das rendas passou-se também com o Beira Mar, que penso agora ficou resolvido)
Estamos a falar de dinheiro que é de todos de um dos aldos e e estamos a falar de uma empresa que movimenta pelos dias de hoje dezenas de milhões de euros.
É que pela lógica da cidade precisa do Braga para utilizar o estádio se calhar a cidade também precisa da Bosh ou da aptiv e não é por isso que lhe constrói pavilhões e os deixa utilizar gratuitamente. Tem que haver bom senso das 2 partes quando se fazem este tipo de contratos e no caso do estádio não houve desde o início ao fim, foi um desbaratar de más decisões.
Em termos de imagem o Braga provavelmente até já devia ter negociado este contrato, podia pagar mais um pouco (em vez de pagar o preço de um T2 pagava o preço de uma vivenda de luxo), no fim matava um assunto que ao longo dos anos tem-lhe causado danos na imagem e tem servido de arma de arremesso politico e em termos de contas seria um acréscimo de 0,003% nas contas da SAD.

Quanto aos debates se forem feitos com seriedade são benvindos... mas duvido, pois partem inquinados à partida.
Desculpa mas não concordo. O pessoal esquece-se que o Braga paga a renda e grande parte das despesas que o estádio acarreta e que a CMB teria que pagar mesmo que o Braga não utilizasse o estádio, ou seja, a "renda" que para muita gente é de 500€ são na realidade valores muito próximos de 1M€/ano.
A comparação com a Bosch e Aptiv é totalmente descabida visto essas empresas vieram para cá por interesses próprios e não foi o município que lhes pediu por favor, enquanto o estádio foi feito propositadamente para a realização de eventos desportivos (futebol neste caso) e sem o Braga a pagar a renda mais grande parte das despesas a CMB teria ainda um prejuízo muito maior que o que vai acumulando actualmente.
Ridículo.
Durante muito tempo o Braga não gastava nada no EMB. Até a relva. E a SAD até pode pagar bastante ao clube, à cidade vão os 500€ e ainda um enorme bolo de manutenção, (além de ainda estar a pagar o estádio e os processos, estes ao qual o clube é alheio).
Esse favor do Braga é de quem fala de barriga cheia. Paga tanto que nem limpa o mato para os seus adeptos passarem. Faz tanta manutenção que as cadeiras estão um nojo.

Se o Braga não usar o estádio vai jogar onde? em Fão?
E se deixar de usar, pode ser que de mande aquela porra abaixo
Quem não sente não é filho de boa gente.
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4771
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
O valor da renda deve ser um valor justo e equilibrado para as 2 partes. Lá por em Braga só haver um clube para jogar no estádio não significa que o Braga tenha que lá jogar de borla por exemplo ou quase como é o caso. (a situação das rendas passou-se também com o Beira Mar, que penso agora ficou resolvido)
Estamos a falar de dinheiro que é de todos de um dos aldos e e estamos a falar de uma empresa que movimenta pelos dias de hoje dezenas de milhões de euros.
É que pela lógica da cidade precisa do Braga para utilizar o estádio se calhar a cidade também precisa da Bosh ou da aptiv e não é por isso que lhe constrói pavilhões e os deixa utilizar gratuitamente. Tem que haver bom senso das 2 partes quando se fazem este tipo de contratos e no caso do estádio não houve desde o início ao fim, foi um desbaratar de más decisões.
Em termos de imagem o Braga provavelmente até já devia ter negociado este contrato, podia pagar mais um pouco (em vez de pagar o preço de um T2 pagava o preço de uma vivenda de luxo), no fim matava um assunto que ao longo dos anos tem-lhe causado danos na imagem e tem servido de arma de arremesso politico e em termos de contas seria um acréscimo de 0,003% nas contas da SAD.

Quanto aos debates se forem feitos com seriedade são benvindos... mas duvido, pois partem inquinados à partida.
Desculpa mas não concordo. O pessoal esquece-se que o Braga paga a renda e grande parte das despesas que o estádio acarreta e que a CMB teria que pagar mesmo que o Braga não utilizasse o estádio, ou seja, a "renda" que para muita gente é de 500€ são na realidade valores muito próximos de 1M€/ano.
A comparação com a Bosch e Aptiv é totalmente descabida visto essas empresas vieram para cá por interesses próprios e não foi o município que lhes pediu por favor, enquanto o estádio foi feito propositadamente para a realização de eventos desportivos (futebol neste caso) e sem o Braga a pagar a renda mais grande parte das despesas a CMB teria ainda um prejuízo muito maior que o que vai acumulando actualmente.

O Braga paga a utilização do que gasta, da mesma forma que tu pagas a água, Luz, gaz, corte relvas, etc de uma casa que alugues.
Só a parte dos serviços e museu que o Braga utiliza no estádio se tivesse que pagar o aluguer desses espaços noutro local da cidade quanto custaria ao clube? (isto é só um exemplo) Certamente bem mais que os 500€ que paga. Como disse acima não me choca ser uma valor razoável, agora para pagar 500€ seria melhor não pagar nada porque o valor em si é ridículo, só serve para chacota. Além de que durante anos foi a Câmara a pagar tudo, só em 2013/14 isso terminou.
Se o Braga não jogasse lá os custos da Câmara não deveriam ser muito diferentes, estaria era abandonado certamente, em vez de relvado terias mato e o resto estaria a deteriorar-se por falta de uso. (quase o que acontece agora...)
A Bosh e Aptiv ninguém lhes pediu por favor? Infelizmente pedem por favor e muito mais que aquilo que imaginas seja em benefícios municipais (taxas municipais por exemplo) seja até nacionais (impostos), por norma para ter estas empresas é feito um verdadeiro regateio por vários países e ganha aquele que oferece mais. Mas são as empresas que fazem o investimento e pagam todos os seus custos, não fica o município com a despesa futura.
Além disso o Braga joga no municipal por interesse próprio, não é por pedido ou favor da Câmara. Ou seja, o interesse é do município em ter o estádio ocupado, mas diga-se é muito mais do Braga que nem sequer tinha onde jogar se não fosse o municipal.Em último caso teria o 1º Maio que nem daria para competições euroepeias.
PEDRØ XVI
PEDRØ XVI Equipa Principal
  • *****
  • 3855
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
O valor da renda deve ser um valor justo e equilibrado para as 2 partes. Lá por em Braga só haver um clube para jogar no estádio não significa que o Braga tenha que lá jogar de borla por exemplo ou quase como é o caso. (a situação das rendas passou-se também com o Beira Mar, que penso agora ficou resolvido)
Estamos a falar de dinheiro que é de todos de um dos aldos e e estamos a falar de uma empresa que movimenta pelos dias de hoje dezenas de milhões de euros.
É que pela lógica da cidade precisa do Braga para utilizar o estádio se calhar a cidade também precisa da Bosh ou da aptiv e não é por isso que lhe constrói pavilhões e os deixa utilizar gratuitamente. Tem que haver bom senso das 2 partes quando se fazem este tipo de contratos e no caso do estádio não houve desde o início ao fim, foi um desbaratar de más decisões.
Em termos de imagem o Braga provavelmente até já devia ter negociado este contrato, podia pagar mais um pouco (em vez de pagar o preço de um T2 pagava o preço de uma vivenda de luxo), no fim matava um assunto que ao longo dos anos tem-lhe causado danos na imagem e tem servido de arma de arremesso politico e em termos de contas seria um acréscimo de 0,003% nas contas da SAD.

Quanto aos debates se forem feitos com seriedade são benvindos... mas duvido, pois partem inquinados à partida.
Desculpa mas não concordo. O pessoal esquece-se que o Braga paga a renda e grande parte das despesas que o estádio acarreta e que a CMB teria que pagar mesmo que o Braga não utilizasse o estádio, ou seja, a "renda" que para muita gente é de 500€ são na realidade valores muito próximos de 1M€/ano.
A comparação com a Bosch e Aptiv é totalmente descabida visto essas empresas vieram para cá por interesses próprios e não foi o município que lhes pediu por favor, enquanto o estádio foi feito propositadamente para a realização de eventos desportivos (futebol neste caso) e sem o Braga a pagar a renda mais grande parte das despesas a CMB teria ainda um prejuízo muito maior que o que vai acumulando actualmente.

O Braga paga a utilização do que gasta, da mesma forma que tu pagas a água, Luz, gaz, corte relvas, etc de uma casa que alugues.
Só a parte dos serviços e museu que o Braga utiliza no estádio se tivesse que pagar o aluguer desses espaços noutro local da cidade quanto custaria ao clube? (isto é só um exemplo) Certamente bem mais que os 500€ que paga. Como disse acima não me choca ser uma valor razoável, agora para pagar 500€ seria melhor não pagar nada porque o valor em si é ridículo, só serve para chacota. Além de que durante anos foi a Câmara a pagar tudo, só em 2013/14 isso terminou.
Se o Braga não jogasse lá os custos da Câmara não deveriam ser muito diferentes, estaria era abandonado certamente, em vez de relvado terias mato e o resto estaria a deteriorar-se por falta de uso. (quase o que acontece agora...)
A Bosh e Aptiv ninguém lhes pediu por favor? Infelizmente pedem por favor e muito mais que aquilo que imaginas seja em benefícios municipais (taxas municipais por exemplo) seja até nacionais (impostos), por norma para ter estas empresas é feito um verdadeiro regateio por vários países e ganha aquele que oferece mais. Mas são as empresas que fazem o investimento e pagam todos os seus custos, não fica o município com a despesa futura.
Além disso o Braga joga no municipal por interesse próprio, não é por pedido ou favor da Câmara. Ou seja, o interesse é do município em ter o estádio ocupado, mas diga-se é muito mais do Braga que nem sequer tinha onde jogar se não fosse o municipal.Em último caso teria o 1º Maio que nem daria para competições euroepeias.
Braga clarifica gastos com o estádio: "Superam os 750 mil euros por ano"
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13839
Eu não percebo é a insistência desta gente no valor da renda.
Devem preferir que o Braga abandone o estádio e deixe de pagar a renda bem ou sustente grande parte dos custos de manutenção que este acarreta. Tanto o Braga como o município ficariam a ganhar certamente...
O valor da renda deve ser um valor justo e equilibrado para as 2 partes. Lá por em Braga só haver um clube para jogar no estádio não significa que o Braga tenha que lá jogar de borla por exemplo ou quase como é o caso. (a situação das rendas passou-se também com o Beira Mar, que penso agora ficou resolvido)
Estamos a falar de dinheiro que é de todos de um dos aldos e e estamos a falar de uma empresa que movimenta pelos dias de hoje dezenas de milhões de euros.
É que pela lógica da cidade precisa do Braga para utilizar o estádio se calhar a cidade também precisa da Bosh ou da aptiv e não é por isso que lhe constrói pavilhões e os deixa utilizar gratuitamente. Tem que haver bom senso das 2 partes quando se fazem este tipo de contratos e no caso do estádio não houve desde o início ao fim, foi um desbaratar de más decisões.
Em termos de imagem o Braga provavelmente até já devia ter negociado este contrato, podia pagar mais um pouco (em vez de pagar o preço de um T2 pagava o preço de uma vivenda de luxo), no fim matava um assunto que ao longo dos anos tem-lhe causado danos na imagem e tem servido de arma de arremesso politico e em termos de contas seria um acréscimo de 0,003% nas contas da SAD.

Quanto aos debates se forem feitos com seriedade são benvindos... mas duvido, pois partem inquinados à partida.
Desculpa mas não concordo. O pessoal esquece-se que o Braga paga a renda e grande parte das despesas que o estádio acarreta e que a CMB teria que pagar mesmo que o Braga não utilizasse o estádio, ou seja, a "renda" que para muita gente é de 500€ são na realidade valores muito próximos de 1M€/ano.
A comparação com a Bosch e Aptiv é totalmente descabida visto essas empresas vieram para cá por interesses próprios e não foi o município que lhes pediu por favor, enquanto o estádio foi feito propositadamente para a realização de eventos desportivos (futebol neste caso) e sem o Braga a pagar a renda mais grande parte das despesas a CMB teria ainda um prejuízo muito maior que o que vai acumulando actualmente.

O Braga paga a utilização do que gasta, da mesma forma que tu pagas a água, Luz, gaz, corte relvas, etc de uma casa que alugues.
Só a parte dos serviços e museu que o Braga utiliza no estádio se tivesse que pagar o aluguer desses espaços noutro local da cidade quanto custaria ao clube? (isto é só um exemplo) Certamente bem mais que os 500€ que paga. Como disse acima não me choca ser uma valor razoável, agora para pagar 500€ seria melhor não pagar nada porque o valor em si é ridículo, só serve para chacota. Além de que durante anos foi a Câmara a pagar tudo, só em 2013/14 isso terminou.
Se o Braga não jogasse lá os custos da Câmara não deveriam ser muito diferentes, estaria era abandonado certamente, em vez de relvado terias mato e o resto estaria a deteriorar-se por falta de uso. (quase o que acontece agora...)
A Bosh e Aptiv ninguém lhes pediu por favor? Infelizmente pedem por favor e muito mais que aquilo que imaginas seja em benefícios municipais (taxas municipais por exemplo) seja até nacionais (impostos), por norma para ter estas empresas é feito um verdadeiro regateio por vários países e ganha aquele que oferece mais. Mas são as empresas que fazem o investimento e pagam todos os seus custos, não fica o município com a despesa futura.
Além disso o Braga joga no municipal por interesse próprio, não é por pedido ou favor da Câmara. Ou seja, o interesse é do município em ter o estádio ocupado, mas diga-se é muito mais do Braga que nem sequer tinha onde jogar se não fosse o municipal.Em último caso teria o 1º Maio que nem daria para competições euroepeias.
Braga clarifica gastos com o estádio: "Superam os 750 mil euros por ano"
O PAF tinha acabado de dizer o que vem na notícia, logo no início da resposta dele...

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

Quem não sente não é filho de boa gente.
 

Anuncios M
Anuncios M