Quantcast
Sondagem: Referendo sobre a venda do Estádio Municipal. Que caminho seguir para o futuro?
You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Sondagem: Referendo sobre a venda do Estádio Municipal. Que caminho seguir para o futuro?
103 Respostas
9716 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9051
  • Mágico Braga, Amor Eterno
"A situação agravou-se e vão ser interditadas mais zonas do estádio"

Ricardo Rio voltou a destacar a "necessidade de haver uma reabilitação de fundo" no Estádio 1º de Maio.
As palavras do autarca sobre o estado actual do recinto desportivo.

O Estádio 1º de Maio vai ter mais zonas das bancadas interditadas ao público. A informação foi avançada esta sexta-feira pelo presidente da Câmara de Braga, à margem da Assembleia Municipal, que decorreu no Auditório José Sarmento, no Mercado Cultural do Carandá.

Utilizado pelo Sporting Clube de Braga, o recinto desportivo terá "muito brevemente encerradas várias áreas ao respectivo funcionamento por forças das debilidades estruturais que apresenta". "A situação agravou-se e há mais zonas do estádio que vão ter que ser interditas à utilização pública sob pena de as pessoas e bens que estão aí localizados correrem riscos”, adianta Ricardo Rio.

O autarca salienta também que a solução imediata passa pelo inacesso a algumas zonas das bancadas, "tal como já acontecia com outras". Ainda assim, garante que "o estádio vai manter-se utilizável" e que "continuará a haver zonas acessíveis para quem quiser assistir aos jogos”

De forma a combater os problemas supracitados, o objectivo da autarquia para o monumento nacional passa por uma "reabilitação de fundo", sendo que neste momento está a ser feito um estudo com técnicos da Universidade do Minho. De acordo com Ricardo Rio, o custo da requalificação "nunca será uma quantia muito simpática" para os cofres da Câmara Municipal de Braga, cifrando-se entre os cinco e os seis milhões de euros.

"Infelizmente, não nos têm aberto grandes perspectivas de que possam existir recursos do Estado ou de candidaturas a fundos comunitários que ajudem a suportar esta intervenção que é necessário realizar naquele espaço", acrescenta o edil.

Lamentando a falta de acção do Governo, na medida em que considera que "classificar um imóvel como monumento não devia desresponsabilizar o Estado de contribuir para a salvaguarda e manutenção" do espaço, Ricardo Rio refere que o problema que levou a esta situação foi não terem exisitido "operações de conservação suficientes para manter a sustentabilidade" do estádio.

Em https://rum.pt/news/a-situacao-agravou-se-e-mais-zonas-do-estadio-vao-ter-que-ser-interditasnbsp?fbclid=IwAR3YbPTrVplvk6iw-WtGbeP3sZLKtMJm-PJH_YfcqQ8oFzIFPTOE-VpNj7I
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
PEDRØ XVI
PEDRØ XVI Equipa Principal
  • *****
  • 4050
Relativamente ao 1º de Maio: noticia da RUM https://rum.pt/news/a-situacao-agravou-se-e-mais-zonas-do-estadio-vao-ter-que-ser-interditasnbsp?fbclid=IwAR02zsxO2YKt6wa9htTIwkm6nqOuOwktOjZ-TyQ4e2RoLlCyWl1Afde8V5A

"A situação agravou-se e vão ser interditadas mais zonas do estádio"
Ricardo Rio voltou a destacar a "necessidade de haver uma reabilitação de fundo" no Estádio 1º de Maio.

O Estádio 1º de Maio vai ter mais zonas das bancadas interditadas ao público. A informação foi avançada esta sexta-feira pelo presidente da Câmara de Braga, à margem da Assembleia Municipal, que decorreu no Auditório José Sarmento, no Mercado Cultural do Carandá.

Utilizado pelo Sporting Clube de Braga, o recinto desportivo terá "muito brevemente encerradas várias áreas ao respectivo funcionamento por forças das debilidades estruturais que apresenta". "A situação agravou-se e há mais zonas do estádio que vão ter que ser interditas à utilização pública sob pena de as pessoas e bens que estão aí localizados correrem riscos”, adianta Ricardo Rio.
O autarca salienta também que a solução imediata passa pelo inacesso a algumas zonas das bancadas, "tal como já acontecia com outras". Ainda assim, garante que "o estádio vai manter-se utilizável" e que "continuará a haver zonas acessíveis para quem quiser assistir aos jogos”.

De forma a combater os problemas supracitados, o objectivo da autarquia para o monumento nacional passa por uma "reabilitação de fundo", sendo que neste momento está a ser feito um estudo com técnicos da Universidade do Minho. De acordo com Ricardo Rio, o custo da requalificação "nunca será uma quantia muito simpática" para os cofres da Câmara Municipal de Braga, cifrando-se entre os cinco e os seis milhões de euros.

"Infelizmente, não nos têm aberto grandes perspectivas de que possam existir recursos do Estado ou de candidaturas a fundos comunitários que ajudem a suportar esta intervenção que é necessário realizar naquele espaço", acrescenta o edil.

Lamentando a falta de acção do Governo, na medida em que considera que "classificar um imóvel como monumento não devia desresponsabilizar o Estado de contribuir para a salvaguarda e manutenção" do espaço, Ricardo Rio refere que o problema que levou a esta situação foi não terem exisitido "operações de conservação suficientes para manter a sustentabilidade" do estádio.
Anuncios M
Anuncios M
asdf Iniciados
  • *
  • 45
Nao estou a comparar coisa nenhuma. Só estou a dizer que o problema da cobertura e cadeiras é ultrapassavel. Alias se estas modificações darão melhor uso e visibilidade ao local em questão porque haveriam de ser proibidas, ainda para mais quando o local está em ruinas
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14142
Se houvesse possibilidade de aparecer um comprador...agora sabe se o que vai acontecer
Vota 10% da população
Venda vence
Não aparece ninguém, porque o EMB da maneira que foi feito não serve para fazer nada nada. Nem para deixar ao abandono nem para deitar abaixo e fazer prédios.

A CMB continuará sempre com 2 estádios e o SCB sem estádio decente, a não ser que surja petróleo ou se decida "vamos fazer mais um rombo de 100 ou 200 milhões nos contribuintes" (50 pro estádio, 50 pra mim 50 pra ti)

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

Quem não sente não é filho de boa gente.
Anuncios V
JR1477 Equipa Principal
  • *****
  • 2103
Se houvesse possibilidade de aparecer um comprador...agora sabe se o que vai acontecer
Vota 10% da população
Venda vence
Não aparece ninguém, porque o EMB da maneira que foi feito não serve para fazer nada nada. Nem para deixar ao abandono nem para deitar abaixo e fazer prédios.

A CMB continuará sempre com 2 estádios e o SCB sem estádio decente, a não ser que surja petróleo ou se decida "vamos fazer mais um rombo de 100 ou 200 milhões nos contribuintes" (50 pro estádio, 50 pra mim 50 pra ti)

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk
Infelizmente é / será exactamente assim!
Mas há uma terceira hipótese não colocada pelo too, mas que mais tarde ou mais cedo será a única alternativa: o clube avançar para a construção de um estádio próprio.
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4840
Se houvesse possibilidade de aparecer um comprador...agora sabe se o que vai acontecer
Vota 10% da população
Venda vence
Não aparece ninguém, porque o EMB da maneira que foi feito não serve para fazer nada nada. Nem para deixar ao abandono nem para deitar abaixo e fazer prédios.

A CMB continuará sempre com 2 estádios e o SCB sem estádio decente, a não ser que surja petróleo ou se decida "vamos fazer mais um rombo de 100 ou 200 milhões nos contribuintes" (50 pro estádio, 50 pra mim 50 pra ti)

Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk
Infelizmente é / será exactamente assim!
Mas há uma terceira hipótese não colocada pelo too, mas que mais tarde ou mais cedo será a única alternativa: o clube avançar para a construção de um estádio próprio.
Esta opção seria o ideal, mas do sonho à realidade vai um longo caminho.
O Braga sozinho não tem condições para construir um estádio próprio, nem sequer a médio prazo. As receitas são muito baixas, basta ver as dificuldades com a academia que já de si dará investimento provavelmente para várias décadas.
Neste momento a minha opinião é igual à do rpo castro. (não acredito que a cidade volte a deixar cometer outro crime na construção de um estádio)
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9051
  • Mágico Braga, Amor Eterno
Um pouco off-topic mas uma daquelas notícias que se fosse o Braga era noticia em todo, não tou a dizer se é bem feito ou não apenas que se fosse com o Braga era o falatório que se sabe...:

Câmara de Aveiro lança concurso para construir academia para o Beira-Mar
 
A Câmara Municipal de Aveiro lançou nesta quarta-feira o concurso público para a construção do complexo de campos de treino do Estádio Municipal de Aveiro, por um valor base de 3,2 milhões de euros.

A construção, que terá dois campos de treino e dois meios campos, ficará localizada junto ao Estádio e permitirá ao emblema aveirense uma academia de formação, integralmente suportada pela Câmara.

De resto, a construção deste complexo faz parte de um acordo entre o Beira-Mar e a autarquia de Aveiro. O clube deixa de utilizar o velho Estádio Mário Duarte, cujo terreno será agora ocupado por um hospital, e regressa ao Municipal de Aveiro, pagando uma renda mensal, ficando ainda com o tal complexo que será construído.

Em maisfutebol.iol.pt/estadio-municipal-de-aveiro/camara-municipal-de-aveiro/camara-de-aveiro-lanca-concurso-para-construir-academia-para-o-beira-mar
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9051
  • Mágico Braga, Amor Eterno
Pelo que vou lendo acho que sou dos poucos que acredito que se o estádio for para venda pode aparecer comprador, naturalmente respeito a visão de quem pensa assim mas para mim é redutor achar que uma obra daquelas não dá para mais nada a não ser haver jogos de futebol. É certo que, à partida, não estamos a falar de um investimento baixo mas com uma equipa por trás a querer rentabilizar aquela obra de arte, acho que pode ser rentável.

Esta semana tem sido falado os problemas que os eventos em estádios e as consequentes mudanças de relvado trazem para as equipas, indirectamente são situações como está que também me levam a  acreditar que o nosso estádio pode ser uma oportunidade para investidores. Teres um estádio para rentabilizar durante todo o ano, sem teres que tar preocupado com mudanças de relvados, data e afins pode ser um oportunidade de negócio.

Faz-me lembrar a velha história do empresário de calçado que vai investir na Índia e manda dois comercias para analisar se é bom investimento, uma para o norte outro para o sul, passados uns dias liga para eles para saber o que acham, um diz:
- Patrão tamos lixados... estes gajos aqui não usam sapatos, andam todos descalços
Liga para o outro, e este diz:
- Patrão vai ser um sucesso! estes gajos aqui não usam sapatos, andam todos descalços

Tenho a esperança que apareça alguém e consiga ver ali uma oportunidade e que principalmente o clube e cidade ganhem com isso. Não é fácil, mas se soubermos fazer ver a investidores as potencialidades da obra acho que pode aparecer alguém.
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
Anuncios M
Anuncios M
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14142


Tenho a esperança que apareça alguém e consiga ver ali uma oportunidade e que principalmente o clube e cidade ganhem com isso. Não é fácil, mas se soubermos fazer ver a investidores as potencialidades da obra acho que pode aparecer alguém.
Mas quais são as potencialidades?
O que é que consegues vender ao tal investidor de maneira a que ele fique interessado em gastar milhões?

Ninguém vê hipóteses de transformar isto noutra coisa.
Não dá para ser transformado em pavilhão, para concertos não falta oferta com melhores condições. Museu? Como se não existissem dezenas mais interessantes e com procura exígua.
A não ser que descubram petróleo ou lítio debaixo da bancada, isto serve para nada.

Curiosamente hoje é re inaugurado o SuperBock Arena-Pav. Rosa Mota com polêmica (a meu ver desnecessária) à mistura.


Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

Quem não sente não é filho de boa gente.
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9051
  • Mágico Braga, Amor Eterno


Tenho a esperança que apareça alguém e consiga ver ali uma oportunidade e que principalmente o clube e cidade ganhem com isso. Não é fácil, mas se soubermos fazer ver a investidores as potencialidades da obra acho que pode aparecer alguém.
Mas quais são as potencialidades?
O que é que consegues vender ao tal investidor de maneira a que ele fique interessado em gastar milhões?

Ninguém vê hipóteses de transformar isto noutra coisa.
Não dá para ser transformado em pavilhão, para concertos não falta oferta com melhores condições. Museu? Como se não existissem dezenas mais interessantes e com procura exígua.
A não ser que descubram petróleo ou lítio debaixo da bancada, isto serve para nada.

Curiosamente hoje é re inaugurado o SuperBock Arena-Pav. Rosa Mota com polêmica (a meu ver desnecessária) à mistura.


Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

Só deves falar por ti rpo.castro, se não consegues visualizar ali mais nada a não ser jogos de futebol pode haver quem veja. Respondendo à tua pergunta eu e outros foristas já fomos deixando, neste tópico e no do EMB, algumas opções, que na minha opinião, poderiam ser boas formas de tentar rentabilizar aquela obra não vou tar a repetir, acredito que uma equipa mais especializada e focada nisso ainda encontrará mais e melhores.

Não concordo com a tua visão quando dizes ”para concertos não falta oferta com melhores condições“, eu não vejo assim tanto espaços onde possas fazer eventos para 30000/40000 pessoas ao ar livre, durante todo o ano sem ter de estar preocupado com relvados, datas e outros, no norte ainda muito menos.

Também quando dizes relativamente a um futuro Museu que “Como se não existissem dezenas mais interessantes e com procura exígua “ acho prematuro estar a fazer essa avaliação sem haver sequer um projecto de um Museu para ali. Lembrar que podem se fazer diferentes tipos de museus, Museus dos Premios Pritzer?  Museu dos estádios mais originais do mundo? Não sei, tanta coisa... o futebol desperta paixões em todo o mundo, sejamos criativos e ver o que possa fazer sentido e que possa captar a curiosidade das pessoas.
Se ganharmos a Capital Europeia da Cultura pode ser uma oportunidade para fazer ali algo? Não sei... Acho que um Museu pode ser curto para rentabilizar o estádio mas, se bem pensado, pode ser uma actividade paralela interessante.

Continuo achar que um estádio daquele tamanho + uma Alameda daquela tamanho dá para muito mais que apenas uns jogos de futebol e, sabendo que não é fácil, continuo acreditar que, se fizermos bem o trabalho de casa, possa haver um investidor que veja ali uma oportunidade, Braga não é uma cidade qualquer, saibamos potenciar as oportunidades da mesma.

Ver a cidade e o clube com o seu crescimento afectado por causa daquela obra e resignar-nos com isso não deve fazer parte do nosso ADN, a nossa cidade merece melhor. É hora das pessoas da cidade se unirem, pôr o amor à cidade/clube à frente dos egos, interesses pessoais ou politiquices da treta e se encontrar uma solução para o bem da nossa terra/clube.
« Última modificação: 29 de Outubro de 2019, 10:02 por Old School »
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14142


Tenho a esperança que apareça alguém e consiga ver ali uma oportunidade e que principalmente o clube e cidade ganhem com isso. Não é fácil, mas se soubermos fazer ver a investidores as potencialidades da obra acho que pode aparecer alguém.
Mas quais são as potencialidades?
O que é que consegues vender ao tal investidor de maneira a que ele fique interessado em gastar milhões?

Ninguém vê hipóteses de transformar isto noutra coisa.
Não dá para ser transformado em pavilhão, para concertos não falta oferta com melhores condições. Museu? Como se não existissem dezenas mais interessantes e com procura exígua.
A não ser que descubram petróleo ou lítio debaixo da bancada, isto serve para nada.

Curiosamente hoje é re inaugurado o SuperBock Arena-Pav. Rosa Mota com polêmica (a meu ver desnecessária) à mistura.


Enviado do meu SM-J610FN através do Tapatalk

Só deves falar por ti rpo.castro, se não consegues visualizar ali mais nada a não ser jogos de futebol pode haver quem veja. Respondendo à tua pergunta eu e outros foristas já fomos deixando, neste tópico e no do EMB, algumas opções, que na minha opinião, poderiam ser boas formas de tentar rentabilizar aquela obra não vou tar a repetir, acredito que uma equipa mais especializada e focada nisso ainda encontrará mais e melhores.

Não concordo com a tua visão quando dizes ”para concertos não falta oferta com melhores condições“, eu não vejo assim tanto espaços onde possas fazer eventos para 30000/40000 pessoas ao ar livre, durante todo o ano sem ter de estar preocupado com relvados, datas e outros, no norte ainda muito menos.

Também quando dizes relativamente a um futuro Museu que “Como se não existissem dezenas mais interessantes e com procura exígua “ acho prematuro estar a fazer essa avaliação sem haver sequer um projecto de um Museu para ali. Lembrar que podem se fazer diferentes tipos de museus, Museus dos Premios Pritzer?  Museu dos estádios mais originais do mundo? Não sei, tanta coisa... o futebol desperta paixões em todo o mundo, sejamos criativos e ver o que possa fazer sentido e que possa captar a curiosidade das pessoas.
Se ganharmos a Capital Europeia da Cultura pode ser uma oportunidade para fazer ali algo? Não sei... Acho que um Museu pode ser curto para rentabilizar o estádio mas, se bem pensado, pode ser uma actividade paralela interessante.

Continuo achar que o estádio “mais original do mundo” + uma Alameda daquela tamanho dá para muito mais que apenas uns jogos de futebol e, sabendo que não é fácil, continuo acreditar que, se fizermos bem o trabalho de casa, possa haver um investidor que veja ali uma oportunidade, Braga não é uma cidade qualquer, saibamos potenciar as oportunidades da mesma.

Ver a cidade e o clube com o seu crescimento afectado por causa daquela obra e resignar-nos com isso não deve fazer parte do nosso ADN, a nossa cidade merece melhor. É hora das pessoas da cidade se unirem, pôr o amor à cidade/clube à frente dos egos, interesses pessoais ou politiquices da treta e se encontrar uma solução para o bem da nossa terra/clube.
Certamente não sou o único conforme podes ver pelo que dizem outros users, mas isso é irrelevante.

Queria saber se vias mesmo soluções alternativas viáveis que conseguisses vender a um investidor. Acabaste por não o fazer remetendo para respostas anteriores. Pode me ter escapado mas até ao momento só vejo respostas "se calhar dá para fazer uns concertos" "se calhar dá para fazer um museu".
Assim não se vende nada, e não são os investidores que têm de procurar soluções em 1º lugar, mas quem vende é que tem de dourar a pílula e vender o peixe.
Quem não sente não é filho de boa gente.
Anuncios G
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9051
  • Mágico Braga, Amor Eterno
Não é "se calhar dá" na milha opinião dá.  Agora saber a 100% o rendimento que um projecto possa ter é mais difícil, é o risco faz parte mas certamente a aparecer um investidor irá fazer essa análise. agora que é possível haver ali mais coisas além de jogos futebol, com o tamanho daquele estádio e Alameda, não tenho dúvidas.

Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 14142
Não é "se calhar dá" na milha opinião dá.  Agora saber a 100% o rendimento que um projecto possa ter é mais difícil, é o risco faz parte mas certamente a aparecer um investidor irá fazer essa análise. agora que é possível haver ali mais coisas além de jogos futebol, com o tamanho daquele estádio e Alameda, não tenho dúvidas.
Dá o quê? O museu ou os concertos?
Dos concertos sabemos que a acústica não é boa (ainda ontem o Pedro Abrunhosa a propósito do Rosa Mota falava dos problemas de acústica), temos 2 arenas grandes numa zona não central que é o Minho, temos 2 arenas modernas no Porto (quando só existia uma com taxa baixa de concertos), e depois tens o Pav. Atlântico que é aquele que está sempre esgotado.

Concertos em estádios são cada vez mais raros. No inícios de 2000 chegaram a fazer-se muitos em Coimbra (zona central) mas daí para cá lembro-me de 3: Muse e Coldplay no Dragão e o Ed Sheeran (sendo que o que pagaram para mudar o relvado foi uma bacatela comparado com a receita). Portanto os concertos são preferencialmente realizados em Lisboa, em pavilhão fechado que oferece condições muitos melhores para artistas e público. Ao ar livre os concertos têm lugares em festivais. Sinceramente não vejo aqui nenhuma oportunidade de rentabilizar o estádio só como arena.

Como museu, vamos admitir que seria extremamente interessante. Só para cobrir custos de manutenção quantos bilhetes a digamos 10€ era preciso vender?
Ou pegando na afluência ao Museu dos coches (320.027 em 2018) a quanto seria preciso vender o bilhete para pagar os custos de manutenção? Repara que nem falo em cobrir custos de aquisição, melhorias, lucro, etc.

Quando te fiz a primeira pergunta, era só para tentar ver uma solução, que só com umas contas genéricas desse margem interessante o suficiente para aprofundar.
Quem não sente não é filho de boa gente.
bstrider
bstrider Equipa Principal
  • *****
  • 1810
Não é "se calhar dá" na milha opinião dá.  Agora saber a 100% o rendimento que um projecto possa ter é mais difícil, é o risco faz parte mas certamente a aparecer um investidor irá fazer essa análise. agora que é possível haver ali mais coisas além de jogos futebol, com o tamanho daquele estádio e Alameda, não tenho dúvidas.
Concertos em estádios são cada vez mais raros. No inícios de 2000 chegaram a fazer-se muitos em Coimbra (zona central) mas daí para cá lembro-me de 3: Muse e Coldplay no Dragão e o Ed Sheeran (sendo que o que pagaram para mudar o relvado foi uma bacatela comparado com a receita). Portanto os concertos são preferencialmente realizados em Lisboa, em pavilhão fechado que oferece condições muitos melhores para artistas e público. Ao ar livre os concertos têm lugares em festivais. Sinceramente não vejo aqui nenhuma oportunidade de rentabilizar o estádio só como arena.

Metallica no Restelo e o VOA 2019 também era para ser lá, mas foi mudado à ultima hora para o Altice Arena aka Pavilhao Atlantico.
O VOA 2020 vai ser no Jamor, a 2/3 de julho.

Não esquecer a Alameda que levou durante cerca de 10 anos com o Enterro da Gata, com todas as queixas de barulho é certo, mas também falamos em concertos a acabar às 3/4 da manhã.

Relativamente à promoção do estádio, não sei como nunca houve uma proposta a equilibristas (radicais) para fazer travessia entre bancadas, por exemplo: . Seria um evento único, e com poucas probabilidades de ser repetido, mas com muito impacto.
« Última modificação: 29 de Outubro de 2019, 11:31 por antoniodias »
Guerreiro03 Equipa Principal
  • *****
  • 1101
Quanto á questão dos concertos , acho que é uma questão das dinâmicas das grandes bandas e não está diretamente relacionada com o facto de ser em estádios ou não . Relativamente a concertos em estádios, lembro-me ainda de um festival cuja primeira edição foi no Estádio do Vitória: o North Musical Festival, que agora é no Porto e vários no Estádio do Restelo. Acho que se podia apostar mais nisso. Mas claro que dá muito trabalho a Câmara apostar nisso é preferível passarem o tempo a queixar-se , talvez para esconder a ineficiência e a falta de ideias. Outra ideia , seria o estádio funcionar também como um centro de negócios, com salas de reuniões e espaço de coworking. Entreguem a gestão do espaço á InvestBraga e pode ser que saí de lá algumas ideias.

Enviado do meu Redmi Note 7 através do Tapatalk

Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9051
  • Mágico Braga, Amor Eterno
Não é "se calhar dá" na milha opinião dá.  Agora saber a 100% o rendimento que um projecto possa ter é mais difícil, é o risco faz parte mas certamente a aparecer um investidor irá fazer essa análise. agora que é possível haver ali mais coisas além de jogos futebol, com o tamanho daquele estádio e Alameda, não tenho dúvidas.
Dá o quê? O museu ou os concertos?
Dos concertos sabemos que a acústica não é boa (ainda ontem o Pedro Abrunhosa a propósito do Rosa Mota falava dos problemas de acústica), temos 2 arenas grandes numa zona não central que é o Minho, temos 2 arenas modernas no Porto (quando só existia uma com taxa baixa de concertos), e depois tens o Pav. Atlântico que é aquele que está sempre esgotado.

Concertos em estádios são cada vez mais raros. No inícios de 2000 chegaram a fazer-se muitos em Coimbra (zona central) mas daí para cá lembro-me de 3: Muse e Coldplay no Dragão e o Ed Sheeran (sendo que o que pagaram para mudar o relvado foi uma bacatela comparado com a receita). Portanto os concertos são preferencialmente realizados em Lisboa, em pavilhão fechado que oferece condições muitos melhores para artistas e público. Ao ar livre os concertos têm lugares em festivais. Sinceramente não vejo aqui nenhuma oportunidade de rentabilizar o estádio só como arena.

Como museu, vamos admitir que seria extremamente interessante. Só para cobrir custos de manutenção quantos bilhetes a digamos 10€ era preciso vender?
Ou pegando na afluência ao Museu dos coches (320.027 em 2018) a quanto seria preciso vender o bilhete para pagar os custos de manutenção? Repara que nem falo em cobrir custos de aquisição, melhorias, lucro, etc.

Quando te fiz a primeira pergunta, era só para tentar ver uma solução, que só com umas contas genéricas desse margem interessante o suficiente para aprofundar.

Quando falo em Museu é, como disse, uma actividade paralela com outras para tentar rentabilizar, se fosse um sucesso ainda melhor.

Quanto a haver poucos concertos em Portugal em espaços com 30000/40000 não vejo aí um problema, vejo uma oportunidade. Acho que estamos numa localização geográfica que com bons espectáculos consegue captar público.

Sublinho que, na minha opinião, aquele espaço dá para muito mais tipo de eventos que apenas concertos, já dei exemplos, espectáculos tipo Cirque du Soleil, torneios de League of legands que têm atraído milhares aos estádios, não sei, é ver o que se faz por essa Europa fora... o que eu acho é que se houver uma "máquina" por trás a pensar como rentabilizar o espaço assim como acontece no Altice Forum pode ser rentável. Repito, sei que não é fácil e no papel isto corre sempre melhor mas não acho que seja impossível.
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
Bracarense
Bracarense Equipa Principal
  • *****
  • 1833


, espectáculos tipo Cirque du Soleil, torneios de League of legands que têm atraído milhares aos estádios, não sei, é ver o que se faz por essa Europa fora...

Cirque du Soleil num estádio aberto... ... Seu brincalhão...

Tentar reproduzir em Portugal (extremo da Europa) o que se faz por essa Europa fora como se fosse fácil trazer os milhares e milhares de espectadores necessários para rentabilizar é simplesmente utópico!

VERMELHO MAGICO
VERMELHO MAGICO Equipa Principal
  • *****
  • 1041
  • O BRAGA SOMOS NÓS
Embora a votação esteja ainda aberta, a percentagem de votantes, que deve andar entre os 1,18 e os 2 %, mostra bem o interesse que os Bracarenses, e no caso deste forum os Bragarenses Braguistas, demonstram por este assunto.

Bora lá fazer um referendo.
COM RAÇA E LEALDADE
DEFENDO OS CLUBES DA MINHA CIDADE
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4840
O que se faz por essa Europa fora é 99% das vezes em cidades com mais de 1milhão de pessoas, quando não são mais. Em estádios do séc XXI, alguns alguns deles com cobertura total, que têm uma bancada de topo por exemplo em que os acessos são bons, a circulação no estádio é boa, muitos até com mais lugares, etc etc. Mesmo assim fala-se em espectáculos em estádios e depois em 15anos não devemos ter em todos os estádios do euro mais que uma dúzia de espectáculos, nem sequer média de 1por ano.
 Fala -se em Guimarães e fizeram 1ou 2 em 15 anos!! Diria que tantos como em Braga... Que grande exemplo de sucesso. Se querem dar exemplos ao menos que se procure bons exemplos. Um museu, ou algo do género podia ser uma boa ideia, mas aquilo é um estádio, tem limitações impossíveis de contornar.
Que se diga que se pode fazer mais, acho que é óbvio, mas daí a alguém pagar pelo estádio e depois conseguir fazer dele algo rentável vai uma diferença abismal.
Qualquer mudança para tornar o edifício mais amigo das pessoas provávelmente implica obras de grande monta, na ordem dos milhões de euros.
O problema vai dar sempre ao mesmo, euros e mais euros.
Legião
Legião Equipa Principal
  • *****
  • 9051
  • Mágico Braga, Amor Eterno


, espectáculos tipo Cirque du Soleil, torneios de League of legands que têm atraído milhares aos estádios, não sei, é ver o que se faz por essa Europa fora...

Cirque du Soleil num estádio aberto... ... Seu brincalhão...

Tentar reproduzir em Portugal (extremo da Europa) o que se faz por essa Europa fora como se fosse fácil trazer os milhares e milhares de espectadores necessários para rentabilizar é simplesmente utópico!

Como referi tou a mandar exemplos para cima da mesa, Cirque du Soleil foi mais um, logicamente fazem normalmente os espectáculos em ambientes fechados mas não era a primeira vez que faziam performances em open air, é só para dar conta da diversidade que pode existir, lembrar que não é necessário ser só concertos,

As coisas utópicas, são até acontecerem, esta imagem em baixo é em evento de e-sports em Portugal:


Ninguém disse que era fácil, mas não acho que seja preciso estar no centro da Europa para conseguir ter eventos que atraiam 10 000, 20 000, 30 000 pessoas. Sendo que, o estádio também pode ser paralelamente rentabilizado com eventos de menor dimensão.

É perguntar ao investidor que comprou o Wembley, creio que por cerca de 700 milhões, se não quer o "estádio mais original do mundo" no 2º melhor destino europeu 2019 por uma pechincha, just kidding.
« Última modificação: 30 de Outubro de 2019, 13:04 por Old School »
Bracara Avgvsta - Fidelis et antiqva
 

Anuncios M
Anuncios M