NOTÍCIAS DO ENORME DO DIA 05/03

  • 4 Respostas
  • 657 Visualizações

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

*

Offline Bruno3429

  • *****
  • 10497
  • +0/-0
NOTÍCIAS DO ENORME DO DIA 05/03
« em: 05 de Março de 2017, 08:47 »
E finalmente a vitória chegou...
Carlos Costinha Sousa

Foram seis jogos sem conseguir vencer, números que deixam marcas e não serão esquecidos, mas finalmente o SC Braga de Jorge Simão conseguiu quebrar o enguiço e saborear a vitória. À 24.ª jornada, os Guerreiros do Minho conquistaram o triunfo por 3-1 na recepção ao Arouca.
Com dois golos, Rui Fonte deu o mote e foi o herói do jogo para os bracarenses que entraram fortes e decididos na partida, conseguindo assumir o domínio do jogo e da posse de bola e chegando mesmo ao golo logo aos 12 minutos. Rui Fonte marcou após boa jogada de entendimento colectivo, com a bola a passar por Cartabia, Djavan e Pedro Santos, até terminar no pé de Rui Fonte que só teve que encostar.

Mas a vantagem dos arsenalistas foi ‘sol de pouca dura’ já que apenas cinco minutos depois o Arouca conseguiu recolocar o empate no marcador: Mateus antecipou-se muito bem a Djavan, no centro da área, e deu o melhor seguimento ao cruzamento de Nelsinho na esquerda, marcando com o joelho.
Um lance que não abalou os bracarenses que reagiram de forma muito positiva e, aos 26 minutos, podem mesmo queixar-se de um penálti por assinalar a seu favor, quando André Santos tocou no pé de Battaglia quando este tentava chegar à bola, dentro da grande área.

Rui Costa deixou passar em claro o lance e o intervalo chegou sem alterações no marcador, mas com o SC Braga a mandar na partida, como demonstram os 74 por cento de posse de bola, contra os 26 do Arouca.
No segundo tempo o Arouca entrou melhor, depois de corrigir algumas situações tácticas, e conseguiu incomodar Marafona, mas sem que o golo surgisse.
Aos 69 minutos, novo ânimo para os bracarenses. Rui Fonte voltou a estar em evidência, ao apontar o seu segundo golo, após um cruzamento e Djavan e ligeiro desvio de Hassan. Os Guerreiros do Minho lançaram-se, com este tento, para a vitória, que confirmaram aos 73 minutos, com um remate cruzado de Battaglia que ‘matou’ a partida e fixou o resultado em 3-1.

Ainda antes do final, o avançado Hassan, que regressou neste jogo à acção, saiu lesionado aos 87 minutos e deixou a equipa bracarense a jogar com dez. Ahmed Hassan apresentou um cenário de sindrome pubálgico e vai ser avaliado para avaliar a gravidade da lesão e se irá obrigar a uma paragem longa.

Correio do Minho

*

Offline JotaCC

  • *****
  • 30443
  • +1/-0
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTÍCIAS DO ENORME DO DIA 05/03
« Responder #1 em: 05 de Março de 2017, 09:33 »
Presidente do Arouca expulso ao intervalo

O presidente do Arouca volta a estar no centro da polémica. Carlos Pinho foi expulso ao intervalo, depois de, juntamente com o filho, Joel Pinho, ter confrontado o árbitro, alegadamente com termos impróprios. Na conferência de Imprensa, o treinador dos arouquenses, Manuel Machado, desvalorizou a situação. “Não foi nada de mais, foi uma daquelas questões do futebol”, comentou o técnico. Recorde-se que, já esta época, Carlos Pinho esteve envolvido numa discussão com o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho.

JN

*

Offline JotaCC

  • *****
  • 30443
  • +1/-0
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTÍCIAS DO ENORME DO DIA 05/03
« Responder #2 em: 05 de Março de 2017, 09:35 »
Sp. Braga reencontra o caminho das vitórias

Seis jogos depois, o Sp. Braga voltou a vencer. Em casa, frente a um Arouca ainda a assimilar as ideias de Manuel Machado, os minhotos contaram com dois golos de Rui Fonte para vencerem por 3-1 e descolarem provisoriamente do V. Guimarães, que mede hoje forças com o Sporting na 24.ª jornada da Liga.
Em cinco minutos na Pedreira, houve um golo para cada lado. Aos 12’, foi Rui Fonte a emendar da melhor forma um cruzamento de Pedro Santos; aos 17’, Mateus surgiu, oportuno, ao primeiro poste e, numa posição difícil, conseguiu desviar para a baliza de Marafona.
O Sp. Braga não acusou o golpe e foi à procura da vantagem. Rui Fonte, quase sempre nele numa equipa que surgiu em 4-2-3-1, ameaçou por três vezes antes do intervalo, mas só voltaria a marcar já no decurso do segundo tempo. Foi aos 69’, já depois de Hassan ter sido lançado por Jorge Simão: o egípcio fez a assistência com um toque subtil e o avançado português marcou pela oitava vez no campeonato.
O ascendente bracarense manteve-se e a confirmação do triunfo chegou através de um remate cruzado de Battaglia, de fora da área (73’), tornando um pouco mais pesada aquela que foi a quarta derrota consecutiva do Arouca na prova.

PUBLICO

*

Offline JotaCC

  • *****
  • 30443
  • +1/-0
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTÍCIAS DO ENORME DO DIA 05/03
« Responder #3 em: 05 de Março de 2017, 09:43 »
FONTE DA EFICÁCIA SECOU A MALDIÇÃO
Guerreiros enquadraram na baliza todos os quatro remates da 2.ª parte e sacudiram a pressão

CICLO DE SEIS JOGOS SEM VENCER ENCERRADO ANTES DE DUAS DESLOCAÇÕES DIFÍCEIS. JORGE SIMÃO ATÉ SORRIU...

Golpe duplo
Ao fim e ao cabo, o técnico dos arsenalistas desferiu dois golpes ao seu oponente de Arouca. Manteve nas mãos de Manuel Machado o registo de maior tempo sem vencer para o campeonato (oito jogos em 2007/08) pelo Sp. Braga, na era Salvador, e forçou os arouquenses a uma 4ª derrota consecutiva, a 3ª após a entrada do atual técnico. Um cenário indesejável, até porque o FC Porto é o ‘cliente’ que se segue. Inicialmente, Machado deu 70% da posse de bola aos minhotos, depois soltou as alas do 4x3x3 e, finalmente, tentou um 4x2x4, com Walter González, após o intervalo. Intenções positivas a partir do banco, mas inconcretizáveis sem competência defensiva (10 golos sofridos nos quatro desaires).
Grito estrondoso
Se o tento inaugural de Rui Fonte já tinha colocado em xeque o sector recuado do Arouca, a transição rápida que culminou com o 2-1 atirou sal para as feridas. O atestado definitivo de mediocridade chegou na má abordagem ao lance do golo de Battaglia. Jorge Simão trabalhou intensamente a confiança da equipa na finalização e o ansiado grito de revolta foi estrondoso. Deu a titularidade a um Rui Fonte em branco há oito jogos e, tal como no triunfo anterior para o campeonato, o dianteiro respondeu com um bis.



AMEAÇAS PROVOCAM EXPULSÃO DE PINHO
Líder disse que dava “um murro na cara” ao coordenador de segurança bracarense

LÍDER FOI PARA A BANCADA NA 2.ª PARTE. QUEIXAS EM RELAÇÃO À ARBITRAGEM DE RUI COSTA PROVOCARAM AGITAÇÃO

Cerca de quatro meses depois do incidente em Alvalade, com Bruno de Carvalho, o presidente do Arouca volta a ser notícia por questões disciplinares. Ontem, ao intervalo, Carlos Pinho protestou pela atuação de Rui Costa, no túnel, e a agitação descontrolou-se rapidamente. O presidente, que estava acompanhado pelo filho Joel, dirigiu palavras duras ao árbitro– “impróprias” segundo a visão arsenalista – motivadas por este ter cortado um contra-ataque promissor do Arouca ao encerrar a 1ª parte. A ira de Carlos Pinho virou-se, depois, contra vários responsáveis dos minhotos, como o diretor-executivo Rui Casaca e o coordenador de segurança, que foram ameaçados, segundo garantiu a Record fonte do Sp. Braga. Os delegados da Liga estavam presentes e as as câmaras de videovigilância registaram a ocorrência. No seu relatório, e ao que apurámos, o árbitro Rui Costa justificou a ordem de expulsão a Carlos Pinho, que deixou o banco e teve de ir para a bancada, com o facto de este ter “empurrado” o coordenador de segurança do Sp. Braga, “ameaçando dar-lhe um murro na cara”.
O Arouca declinou qualquer tomada de posição sobre os incidentes. No final, só Manuel Machado comentou o ocorrido: “Nada foi nada de mais. Uma conversa com o árbitro, uma intervenção do segurança e uma reação do presidente. Não perdi por causa da atuação dos árbitros, mas fico com a sensação, e não passa disso, que nunca ganharia o jogo com este quarteto. Sem lances decisivos, mas com pequenos indícios, nomeadamente aquele que antecede o apito final da primeira parte. Depois de o guarda-redes ser assistido, foi dito que o tempo ia ser compensado, é marcado o canto, bola a nossa favor e... ‘piu piu’. Depois essas coisas levam a um ‘bate-boca’...”



JORGE SIMÃO
“Início da recuperação”

O alívio de Jorge Simão era evidente mas nem tudo foi fácil. “O jogo acabou por ser uma síntese do que foi o nosso ciclo sem conseguir ganhar. Enfrentámos muitas adversidades. O golo cedo permitia encarar a partida de outra forma, mas o Arouca empatou e voltou tudo outra vez”, fez notar, assumindo desde logo: “Foi uma vitória muito importante. Já a procurávamos há muito tempo. Sentíamos que podia ter surgido há alguns jogos e desta vez, com suor, compromisso e qualidade, precisávamos de ganhar fosse como fosse. Tenho a certeza que vai ser o inicio de uma recuperação. Contem connosco.”



RUI FONTE
“Merecíamos esta vitória”

Acabou a seca de golos. Rui Fonte estava há oito jogos sem marcar, mas, ontem, tirou a barriga de misérias. O avançado bisou e, curiosamente, a última vez que tinha feito o gosto ao pé, em meados de janeiro, também o tinha feito em dose dupla, diante do Tondela. “Já merecíamos esta vitória há algum tempo. Foram vários os fatores que contribuíram para a equipa ter tido um rendimento inferior ao esperado. Fico feliz por ter ajudado, mas, acima de tudo, o que fica é uma demonstração clara de que somos uma boa equipa. Somos ambiciosos e queremos dar continuidade a este resultado”, afirmou o avançado. Rui Fonte chegou aos 12 golos na época e consolidou-se como melhor marcador da equipa.



Hassan voltou a lesionar-se

Hassan regressou à competição depois de ter estado um mês devido a um problema muscular, mas bastaram 27’ em campo para o egípcio voltar a lesionarse. Bem perto do minuto 90, o avançado caiu no relvado, foi assistido e não voltaria a reentrar. Após uma primeira observação, o departamento clínico dos arsenalistas apontou para um síndrome pubálgico, curiosamente uma lesão bastante semelhante à sofrida na Taça das Nações Africanas há pouco mais de um mês. Hassan será alvo de uma reavaliação entre hoje e amanhã.

RECORD

*

Offline JotaCC

  • *****
  • 30443
  • +1/-0
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTÍCIAS DO ENORME DO DIA 05/03
« Responder #4 em: 05 de Março de 2017, 20:15 »
FONTE DE EFICÁCIA SOLTOU AS AMARRAS
REGRESSO Seis jogos depois, o Braga voltou às vitórias e isolou-se no quarto lugar; Arouca continua em crise

Dois golos de Rui Fonte ajudaram o Braga a libertar-se das “amarras” dos maus resultados. Machado arriscou na segunda parte e… perdeu pela terceira vez


Aos 69’ minutos, Rui Fonte festejou com os companheiros o golo da reviravolta

Mais de um mês e meio depois, o Braga regressou às vitórias no campeonato. Foi o fim de um ciclo de seis jogos sem triunfos, desta vez com Rui Fonte no papel de ator principal. Foram dele os dois momentos decisivos, sobretudo o do segundo golo, que recolocou definitivamente os arsenalistas na rota do sucesso.
Antes disso, há para contar uma mudança tática de Jorge Simão, que deixou cair um dos avançados (Stojiljkovic) para acrescentar mais um médio (Vukcevic) à equipa. O Braga começou por ter o domínio, mas faltava-lhe velocidade na circulação de bola para criar problemas ao Arouca. O golo, o primeiro, surgiu praticamente do nada (12’), tal como o empate, cinco minutos depois, saído da experiência de Mateus (17’). Até ao final da primeira parte, tudo o que se viu foi um jogo disputado a um ritmo baixo, quase sempre inclinado para o lado esquerdo do ataque do Braga, onde Djavan tratava de criar os (poucos) desequilíbrios.
Ao intervalo, Manuel Machado sentiu a insegurança dos minhotos e decidiu arriscar: tirou Crivellaro para lançar Walter González, passando a jogar com um ataque a quatro (Kuca na esquerda, Walter na direita e Mateus e Tomané no centro). O Braga tremeu, começou a perder muitas bolas na zona central – algo que não tinha acontecido na primeira parte –e a falta de confiança, tantas vezes apregoada por Jorge Simão, começou a vir ao de cima.
Tudo mudou, no entanto, quando Hassan entrou para o lugar de Artur Jorge (Assis recuou para o centro da defesa). A partir desse momento, o Arouca perdeu o controle da partida e o Braga cresceu, ao ponto de, seis minutos depois, ter chegado ao golo da vantagem, na sequência de uma combinação entre Djavan, Hassan e o inevitável Rui Fonte. Os arsenalistas não pararam, continuaram a sufocar o Arouca e chegaram ao conforto com o golo Battaglia (73’).
O jogo acabou, de vez, naquele momento de inspiração do argentino, que serviu para carimbar a quarta derrota consecutiva do Arouca e a terceira de Manuel Manchado.



FILME DO JOGO

12’ [1-0]o cruzamento  esquerda Pedro Santos encontra sai ao na segundo poste, onde surge Rui Fonte a marcar.
17’ [1-1] Nelsinho,cruza na esquerda, a entrada antecipa-se da pequena a Djavan área e paraMateus marcar com a perna.
20’ Canto batido por Pedro Santos, desvio de Rosic e defesa atenta de Bolat.
35’ Cartabia descobre Rui Fonte na área, mas o remate sai ao lado.
37’ Crivellaro surge em boa posição na área após um pontapé de canto. O remate, forte, é travado pelos punhos de Marafona.
40’ Remate em arco de Cartabia a fazer a bola passar rente ao poste. 61’ Livre de Pedro Santos e desvio de Rui Fonte para as mãos de Bolat.
69’ [2-1] Ver momento de jogo
73’ [3-1] Na sequência de um canto, a bola sobra para a entrada da área, onde surge Battaglia a rematar para o golo.
90’ Kuca surge isolado na pequena área, mas o remate sai ao lado. 93’ Excelente cabeceamento de Jubal para a defesa da tarde de Marafona.



MOMENTO
69’

2-1 LIBERDADE EM FORMA DE GOLO. Seis minutos depois do ter regressado ao 4x4x2, o Braga colocou-se em vantagem no marcador. Djavan foi lançado na esquerda, serviu na área Hassan, que, com um toque subtil, deixou Rui Fonte isolado. O avançado fez o segundo golo no jogo e libertou definitivamente o Braga para um excelente final de partida.



A figura
Rui Fonte: 8 Se é para marcar tem de ser a bisar

Após oito jogos em branco, Rui Fonte regressou aos golos e, como sempre no atual campeonato, em dose dupla. O avançado soma oito golos na I Liga, fruto de quatro bis. Fora assim com o Feirense, o Paços de Ferreira e o Tondela, naquela que tinha sido a última vitória do Braga na I Liga, e o Arouca também caiu nas armadilhas do avançado. Rui Fonte voltou a ser decisivo, resgatando o Braga da crise e apontando dois golos à ponta de lança, ou seja, com excelente aproveitamento na área.


O JOGO

 

Sitemap 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21