You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
4034 Respostas
442768 Visualizações
0 Membros e 4 Visitantes estão a ver este tópico.
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 3237
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4020 em: 15 de Novembro de 2020, 14:13 »
Jogamos contra uma boa seleção(o 0-1 era lisonjeiro ao intervalo), mas é gritante a falta de agressividade desta equipa.

Uma equipa montada para não perder, sem grande ambição e que fica limitada pela necessidade do selecionador em querer acomodar certos jogadores no 11. Jogar com um duplo pivot (muito baixo no terreno), um Bruno Fernandes que se esconde do jogo e é incapaz de vir buscar a bola e o Bernardo encostado a uma linha sem oportunidades de ter bola é limitar ao máximo o que pode ser feito. Depois sofre-se um golo, e toca a meter a tática que devia ter sido utilizada de início...
Falta de agressividade, só 2 velocidades: lento e muito lento, com dificuldades de progressão pelo meio (mérito da França) não tínhamos apoio nas alas, não havia desmarcações nem diagonais.
Demasiado tempo com o duplo pivot lento e amarrado e Bruno Fernandes era mais 3⁰ medio defensivo que ofensivo.
Foi pena esta abordagem porque acho que conseguiríamos mais hoje contra esta França que parece menos forte que em 2016 e 2018 (tb faltou o seu melhor elemento).
A primeira parte foi tão má que a minha percepção ao escrever o comentário foi de que já estava 0-1 ao intervalo ...a verdade é que fosse o Martial mais eficaz, e ao intervalo já contávamos pelo menos duas batatas antes do golo do Kante.

O Fernando Santos e as suas manias fazem com que a abordagem a este jogo seja das mais inócuas de sempre, parece que não conhece as características dos jogadores que tem ao dispor sinceramente. Quer acomodar todo o hype no 11 que depois são duas mãos cheias de nada. O Bernardo a extremo, com este meio campo nem f*ode nem sai de cima, é o mesmo que nada...O BF desaparece quer a defender quer a atacar (mais vale ter o Bernardo ali e um verdadeiro extremo em campo), e como o CR defende o GR contrário, tem de ser o Felix a vir “defender com os olhos” na linha e aí entra o poderio físico da nossa dupla de pivots, o William e o Danilo (além de exibirem uma forma deplorável) que pareciam baratas tontas contra o trio do meio campo mais os laterais franceses, que tinham via aberta com aqueles “extremos”. O Fonte mete pena sinceramente...foi tantas vezes comido no espaço que foi um milagre aquele 0-0 ao intervalo. Se há recuperação de bola, ela acontecia sempre muito lá atrás. Depois a construir não há ideia de jogo (a não ser que os franceses não pressionassem) o William tinha de vir buscar a bola aos centrais, o Danilo foge para não atrapalhar e o BF não era capaz de se mostrar...lá tinha de vir o Ronaldo tabelar, e tentar abrir no meio, enfim, tudo muito previsível e sem imaginação. Reagimos bem ao golo, e parecia que íamos atrás do resultado (aquela bola no poste bem que podia ter ido lá para dentro), mas mexemos tarde.

Tudo bem que temos uma defensiva limitada, principalmente os centrais e o Raphael (que contra boas equipas não tem capacidade defensiva) e é neste momento “overrated” na minha opinião...mas não me parecem problemas de tal maneira impeditivos para que se faça bem melhor, principalmente no movimento atacante. O FS fez num passado recente um bom trabalho, com um leque de jogadores (na globalidade) mais limitados. Parece-me que tem ao seu dispor jogadores com maior versatilidade e qualidade...também ele tem de dar mais do que isto a nível tático e nas escolhas, ou a coisa corre o risco de não correr muito bem no europeu.

Nós jogamos da forma habitual com o FS. A final de 2016 foi no mesmo diapasão, mas toda a gente me caiu em cima no outro dia quando critiquei a qualidade de jogo da seleção só porque ganhámos o Euro. Ontem perdemos jogando da mesma forma e já tudo critica o nosso jogo. Bloco baixo, defender o espaço e aproveitar 1 contra-ataque ou bola parada. Foi isto que Portugal fez em todo o Euro 2016. Foi isto que fez ontem. Tal como perdemos contra o Uruguai jogando exatamente da mesma maneira, ou empatamos 3-3 com a Espanha exatamente da mesma forma com 2 golos de bola parada e um frango. Só que a sorte não nos vai acompanhar em todos os jogos. Mas a verdade é que ontem na 1ª parte depois do baile que levamos podíamos até ter ido a ganhar para o intervalo com aquela oportunidade num canto do Ronaldo. A estratégia era a mesma de sempre e quase funcionava apesar dos 3 falhanços monumentais do Martial. Tivesse a bola do Ronaldo sido 5cm mais baixa e se calhar estava tudo a elogiar a prestação da seleção. Na 2ª parte até aos 70mn foi quase igual. Depois do golo do Kanté há 1 grande oportunidade para o Pogba que não consegue cabecear e outra jogada em que o Griezmann finaliza mal. Só quando o FS libertou o meio campo tirando um trinco e quando a França nos aplicou a mesma receita (recuou e apostou em transições) é que tivemos oportunidades. E o que é certo é que podíamos perfeitamente ter empatado no fim, e se calhar ninguém viria no fim criticar. O FS falou muito ontem que jogamos da mesma forma em Paris, só que com mais intensidade. É verdade, mas também é verdade que na 2ª parte de Paris, depois da França se ajustar, tivemos novamente dificuldades e ontem foi apenas a continuação daquela 2ª parte. A partir do momento que o meio-campo francês pegou no jogo e os avançados deram profundidade, abrindo espaço no meio ao Griezmann acabou a nossa "grande exibição de Paris".

O resultado não só é justo como é lisonjeiro para Portugal. Tivesse jogado o Mbappé no lugar do Martial e se calhar estávamos aqui a falar de uma goleada. Isto apesar da reacção no fim que quase nos dava o empate. O Paulinho (ou um avançado como ele) encaixa que nem uma luva na forma de jogar do Ronaldo. Ter alguém como referência que joga bem de costas e faz bem de pivot, que "agarra" os centrais para deixar o Ronaldo entrar nas costas deles em diagonais, mas para jogarem félix, bernardo e jota alguém tem que ficar no banco e percebo isso, mas colocá-lo a 5mn do fim é o mesmo que nada, porque naquele momento já eles estão com bloco baixo e já não conta muito ter a tal referência. O Ronaldo neste esquema não ganha muito porque ou cai na ala e fica o centro sem referências, ou fica ele no centro e depois não consegue fazer as diagonais. o Paulinho pode ser o melhor complemento do Ronaldo na seleção (tal como o Benzema o era no RM).

A seleção tem talvez neste momento uma das melhores gerações da sua história (sendo para mim a melhor a de 2000/2002). A aposta na formação de Benfica, Porto e Braga a juntar à que o Sporting já fazia há anos deu nos últimos anos muitas soluções a juntar ao que já tínhamos em 2016: Ruben Neves, Jota, Félix, Bernardo, Ruben Dias, Guedes, os 2 Semedos, Cancelo, André Silva e agora Pedro Neto, Trincão e o próprio Paulinho. Temos muito mais soluções que em 2016. Mas com um treinador que a única coisa que sabe fazer é colocar a equipa a defender e a especular com o jogo a maior parte destes jogadores pouco brilham. Aliás, as nossas melhores exibições nos últimos anos têm sido em jogos sem o Ronaldo e onde a equipa joga mais liberta sem as amarras táticas do costume (na maior parte das vezes amigáveis ou os jogos iniciais da 1ª Liga das Nações onde o FS, e bem, apostou em gente nova sem grandes preocupações defensivas).

Ainda assim, é preciso reconhecer que apesar do aumento de qualidade dos nossos selecionáveis, ainda estamos uns furos abaixo de uma seleção como a França. Aquele meio campo ontem fez o que quis do jogo e aquele quarteto defensivo é de classe mundial (e ainda têm Lenglet, Upamecano, Mendy, etc no banco).

Mas este tipo de jogo de ontem é o que vamos ter no Euro 2020. E aí pode perfeitamente voltar a correr bem. Se marcarmos 1º e aguentarmos bem atrás é possível fazermos algo como 2016. Não deixa de ser interessante ver que basta o resultado ser diferente para se criticar treinador e jogadores, quando eles jogaram exatamente da mesma forma que têm sempre jogado nos últimos 5 anos. Estas críticas feitas ontem são as mesmas depois da derrota com o Uruguai ou quando empatamos com o Irão. Quando em 2016 ganhamos à França e à Croácia jogando da mesma maneira ninguém criticou.
« Última modificação: 15 de Novembro de 2020, 14:26 por NightHawk »
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13132
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4021 em: 15 de Novembro de 2020, 18:32 »
Jogamos contra uma boa seleção(o 0-1 era lisonjeiro ao intervalo), mas é gritante a falta de agressividade desta equipa.

Uma equipa montada para não perder, sem grande ambição e que fica limitada pela necessidade do selecionador em querer acomodar certos jogadores no 11. Jogar com um duplo pivot (muito baixo no terreno), um Bruno Fernandes que se esconde do jogo e é incapaz de vir buscar a bola e o Bernardo encostado a uma linha sem oportunidades de ter bola é limitar ao máximo o que pode ser feito. Depois sofre-se um golo, e toca a meter a tática que devia ter sido utilizada de início...
Falta de agressividade, só 2 velocidades: lento e muito lento, com dificuldades de progressão pelo meio (mérito da França) não tínhamos apoio nas alas, não havia desmarcações nem diagonais.
Demasiado tempo com o duplo pivot lento e amarrado e Bruno Fernandes era mais 3⁰ medio defensivo que ofensivo.
Foi pena esta abordagem porque acho que conseguiríamos mais hoje contra esta França que parece menos forte que em 2016 e 2018 (tb faltou o seu melhor elemento).
A primeira parte foi tão má que a minha percepção ao escrever o comentário foi de que já estava 0-1 ao intervalo ...a verdade é que fosse o Martial mais eficaz, e ao intervalo já contávamos pelo menos duas batatas antes do golo do Kante.

O Fernando Santos e as suas manias fazem com que a abordagem a este jogo seja das mais inócuas de sempre, parece que não conhece as características dos jogadores que tem ao dispor sinceramente. Quer acomodar todo o hype no 11 que depois são duas mãos cheias de nada. O Bernardo a extremo, com este meio campo nem f*ode nem sai de cima, é o mesmo que nada...O BF desaparece quer a defender quer a atacar (mais vale ter o Bernardo ali e um verdadeiro extremo em campo), e como o CR defende o GR contrário, tem de ser o Felix a vir “defender com os olhos” na linha e aí entra o poderio físico da nossa dupla de pivots, o William e o Danilo (além de exibirem uma forma deplorável) que pareciam baratas tontas contra o trio do meio campo mais os laterais franceses, que tinham via aberta com aqueles “extremos”. O Fonte mete pena sinceramente...foi tantas vezes comido no espaço que foi um milagre aquele 0-0 ao intervalo. Se há recuperação de bola, ela acontecia sempre muito lá atrás. Depois a construir não há ideia de jogo (a não ser que os franceses não pressionassem) o William tinha de vir buscar a bola aos centrais, o Danilo foge para não atrapalhar e o BF não era capaz de se mostrar...lá tinha de vir o Ronaldo tabelar, e tentar abrir no meio, enfim, tudo muito previsível e sem imaginação. Reagimos bem ao golo, e parecia que íamos atrás do resultado (aquela bola no poste bem que podia ter ido lá para dentro), mas mexemos tarde.

Tudo bem que temos uma defensiva limitada, principalmente os centrais e o Raphael (que contra boas equipas não tem capacidade defensiva) e é neste momento “overrated” na minha opinião...mas não me parecem problemas de tal maneira impeditivos para que se faça bem melhor, principalmente no movimento atacante. O FS fez num passado recente um bom trabalho, com um leque de jogadores (na globalidade) mais limitados. Parece-me que tem ao seu dispor jogadores com maior versatilidade e qualidade...também ele tem de dar mais do que isto a nível tático e nas escolhas, ou a coisa corre o risco de não correr muito bem no europeu.

Nós jogamos da forma habitual com o FS. A final de 2016 foi no mesmo diapasão, mas toda a gente me caiu em cima no outro dia quando critiquei a qualidade de jogo da seleção só porque ganhámos o Euro. Ontem perdemos jogando da mesma forma e já tudo critica o nosso jogo. Bloco baixo, defender o espaço e aproveitar 1 contra-ataque ou bola parada. Foi isto que Portugal fez em todo o Euro 2016. Foi isto que fez ontem. Tal como perdemos contra o Uruguai jogando exatamente da mesma maneira, ou empatamos 3-3 com a Espanha exatamente da mesma forma com 2 golos de bola parada e um frango. Só que a sorte não nos vai acompanhar em todos os jogos. Mas a verdade é que ontem na 1ª parte depois do baile que levamos podíamos até ter ido a ganhar para o intervalo com aquela oportunidade num canto do Ronaldo. A estratégia era a mesma de sempre e quase funcionava apesar dos 3 falhanços monumentais do Martial. Tivesse a bola do Ronaldo sido 5cm mais baixa e se calhar estava tudo a elogiar a prestação da seleção. Na 2ª parte até aos 70mn foi quase igual. Depois do golo do Kanté há 1 grande oportunidade para o Pogba que não consegue cabecear e outra jogada em que o Griezmann finaliza mal. Só quando o FS libertou o meio campo tirando um trinco e quando a França nos aplicou a mesma receita (recuou e apostou em transições) é que tivemos oportunidades. E o que é certo é que podíamos perfeitamente ter empatado no fim, e se calhar ninguém viria no fim criticar. O FS falou muito ontem que jogamos da mesma forma em Paris, só que com mais intensidade. É verdade, mas também é verdade que na 2ª parte de Paris, depois da França se ajustar, tivemos novamente dificuldades e ontem foi apenas a continuação daquela 2ª parte. A partir do momento que o meio-campo francês pegou no jogo e os avançados deram profundidade, abrindo espaço no meio ao Griezmann acabou a nossa "grande exibição de Paris".

O resultado não só é justo como é lisonjeiro para Portugal. Tivesse jogado o Mbappé no lugar do Martial e se calhar estávamos aqui a falar de uma goleada. Isto apesar da reacção no fim que quase nos dava o empate. O Paulinho (ou um avançado como ele) encaixa que nem uma luva na forma de jogar do Ronaldo. Ter alguém como referência que joga bem de costas e faz bem de pivot, que "agarra" os centrais para deixar o Ronaldo entrar nas costas deles em diagonais, mas para jogarem félix, bernardo e jota alguém tem que ficar no banco e percebo isso, mas colocá-lo a 5mn do fim é o mesmo que nada, porque naquele momento já eles estão com bloco baixo e já não conta muito ter a tal referência. O Ronaldo neste esquema não ganha muito porque ou cai na ala e fica o centro sem referências, ou fica ele no centro e depois não consegue fazer as diagonais. o Paulinho pode ser o melhor complemento do Ronaldo na seleção (tal como o Benzema o era no RM).

A seleção tem talvez neste momento uma das melhores gerações da sua história (sendo para mim a melhor a de 2000/2002). A aposta na formação de Benfica, Porto e Braga a juntar à que o Sporting já fazia há anos deu nos últimos anos muitas soluções a juntar ao que já tínhamos em 2016: Ruben Neves, Jota, Félix, Bernardo, Ruben Dias, Guedes, os 2 Semedos, Cancelo, André Silva e agora Pedro Neto, Trincão e o próprio Paulinho. Temos muito mais soluções que em 2016. Mas com um treinador que a única coisa que sabe fazer é colocar a equipa a defender e a especular com o jogo a maior parte destes jogadores pouco brilham. Aliás, as nossas melhores exibições nos últimos anos têm sido em jogos sem o Ronaldo e onde a equipa joga mais liberta sem as amarras táticas do costume (na maior parte das vezes amigáveis ou os jogos iniciais da 1ª Liga das Nações onde o FS, e bem, apostou em gente nova sem grandes preocupações defensivas).

Ainda assim, é preciso reconhecer que apesar do aumento de qualidade dos nossos selecionáveis, ainda estamos uns furos abaixo de uma seleção como a França. Aquele meio campo ontem fez o que quis do jogo e aquele quarteto defensivo é de classe mundial (e ainda têm Lenglet, Upamecano, Mendy, etc no banco).

Mas este tipo de jogo de ontem é o que vamos ter no Euro 2020. E aí pode perfeitamente voltar a correr bem. Se marcarmos 1º e aguentarmos bem atrás é possível fazermos algo como 2016. Não deixa de ser interessante ver que basta o resultado ser diferente para se criticar treinador e jogadores, quando eles jogaram exatamente da mesma forma que têm sempre jogado nos últimos 5 anos. Estas críticas feitas ontem são as mesmas depois da derrota com o Uruguai ou quando empatamos com o Irão. Quando em 2016 ganhamos à França e à Croácia jogando da mesma maneira ninguém criticou.
Portugal jogou bem em Paris e jogou mal ontem.
As diferenças?
Para começar temos uma equipa com mais valor individual. Sinceramente olhando só aos nomes, o jogo de ontem não apresentava desequilíbrio.

A outra, para jogar em contra ataque, como fizemos em 2016, as movimentações têm de ser outras, e sobretudo mais rápidas. Quantas vezes o extremo tinha o apoio para fazer demarcação? Não me lembro. Era sempre bola lenta denunciada, sempre inferioridade numérica.

E há claro que recuperar a bola mais cedo. Ontem não me lembro de bolas recuperadas no meio campo. Os franceses ganhavam os duelos.
Quem não sente não é filho de boa gente.
Anuncios M
Anuncios M
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13132
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4022 em: 15 de Novembro de 2020, 18:36 »
Fazendo off topic: que europeu de pista de ciclismo! 6 medalhas, 2 ouro, 2 prata, 2 bronze, 1 4⁰ lugar e todos os 4 atletas que foram, trouxeram medalhas (não sei se aconteceu a mais alguma seleção).

Desde que construímos o velódromo em Anadia, tem sido uma diferença brutal quer nas medalhas no ciclismo de pista quer no pelotão internacional de estrada (a técnica do contra relógio é sobretudo trabalho de pista).

6 medalhas depois daquele Giro para a história.
Quem não sente não é filho de boa gente.
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4586
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4023 em: 15 de Novembro de 2020, 18:59 »
Obviamente que quando não se ganha (ou se perde como ontem) há mais criticas, independentemente do que se joga. É básico. (seja o Braga seja Portugal)
O futebol é um jogo onde o objectivo é ganhar e está a kilometros de ser uma ciência exata, diria que pelo contrário.
Ontem na 1ªparte jogamos mal, diria que muito mal após os primeiros 10 minutos e até ao intervalo, valeu-nos Patrício (que depois falhou no golo) dizer que jogamos como em França a mim não me diz nada, até porque em França jogamos bem principalmente na 1ªparte, e ontem jogamos mal, em algumas partes muito mal. A 1ªparte de ontem não tem nada a ver com nada do que foi o jogo em França, nem com a 1ªparte, nem com a 2ªparte. Ontem jogamos mal porque o meio campo não funcionou em momento algum, não defendeu nem atacou e menos ainda segurou bolas. Acho que na 1ªparte após os 10 minutos não devemos ter ganho nenhuma 2ªbola, basicamente não ganamos nenhum duelo. Melhorou muito com a entrada de Moutinho.
A tática até pode ser a pior do mundo, mas espera-se muito mais de jogadores como Bruno F e Bernardo. Ontem estiveram péssimos, foram um zero absoluto, e este zero não tem a ver com tatica tem a ver com prestação indivual. Felix por exemplo mesmo no mau de Portugal tentou ter bola, arriscar o 1x1, tentou entrar no jogo.
Ontem perdemos e perdemos bem porque a a França foi melhor, muito melhor na 1ªparte, embora acabou a marcar quando Portugal já estava em jogo.
Ainda assim mesmo num mau jogo de Portugal criamos 3 ou 4 oportunidades de golo.
Para terminar custa-me perceber como é que se consegue falar em sorte de Portugal depois dos resultados que temos nos últimos 20 anos... e mais especificamente nos últimos 5 ou 6 anos. Só pode ser mesmo vontade de dizer mal, nada mais. Até consigo perceber que não se goste do futebol, que não se goste da tática, que não se goste de nada, mas continuar a falar de sorte já é quase doença. Por exemplo nesta taça da nações onde só estão das melhores equipas do mundo (neste grupo de Portugal tínhamos campeão da europa, campeão do Mundo e vice campeão) temos em 11 jogos 7 vitórias, 3 empates e 1 derrota.
Anuncios V
AMartins
AMartins Equipa Principal
  • *****
  • 2574
  Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4024 em: 15 de Novembro de 2020, 19:54 »
Fazendo off topic: que europeu de pista de ciclismo! 6 medalhas, 2 ouro, 2 prata, 2 bronze, 1 4⁰ lugar e todos os 4 atletas que foram, trouxeram medalhas (não sei se aconteceu a mais alguma seleção).

Desde que construímos o velódromo em Anadia, tem sido uma diferença brutal quer nas medalhas no ciclismo de pista quer no pelotão internacional de estrada (a técnica do contra relógio é sobretudo trabalho de pista).

6 medalhas depois daquele Giro para a história.
Resultado tremendo mesmo!
É mais uma prova de que a aposta no desporto, dá frutos desportivos e alguns imensuráveis a nível social. Infelizmente ainda se confunde a aposta no desporto com a aposta no futebol.
AMartins
AMartins Equipa Principal
  • *****
  • 2574
  Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4025 em: 15 de Novembro de 2020, 20:06 »
Jogamos contra uma boa seleção(o 0-1 era lisonjeiro ao intervalo), mas é gritante a falta de agressividade desta equipa.

Uma equipa montada para não perder, sem grande ambição e que fica limitada pela necessidade do selecionador em querer acomodar certos jogadores no 11. Jogar com um duplo pivot (muito baixo no terreno), um Bruno Fernandes que se esconde do jogo e é incapaz de vir buscar a bola e o Bernardo encostado a uma linha sem oportunidades de ter bola é limitar ao máximo o que pode ser feito. Depois sofre-se um golo, e toca a meter a tática que devia ter sido utilizada de início...
Falta de agressividade, só 2 velocidades: lento e muito lento, com dificuldades de progressão pelo meio (mérito da França) não tínhamos apoio nas alas, não havia desmarcações nem diagonais.
Demasiado tempo com o duplo pivot lento e amarrado e Bruno Fernandes era mais 3⁰ medio defensivo que ofensivo.
Foi pena esta abordagem porque acho que conseguiríamos mais hoje contra esta França que parece menos forte que em 2016 e 2018 (tb faltou o seu melhor elemento).
A primeira parte foi tão má que a minha percepção ao escrever o comentário foi de que já estava 0-1 ao intervalo ...a verdade é que fosse o Martial mais eficaz, e ao intervalo já contávamos pelo menos duas batatas antes do golo do Kante.

O Fernando Santos e as suas manias fazem com que a abordagem a este jogo seja das mais inócuas de sempre, parece que não conhece as características dos jogadores que tem ao dispor sinceramente. Quer acomodar todo o hype no 11 que depois são duas mãos cheias de nada. O Bernardo a extremo, com este meio campo nem f*ode nem sai de cima, é o mesmo que nada...O BF desaparece quer a defender quer a atacar (mais vale ter o Bernardo ali e um verdadeiro extremo em campo), e como o CR defende o GR contrário, tem de ser o Felix a vir “defender com os olhos” na linha e aí entra o poderio físico da nossa dupla de pivots, o William e o Danilo (além de exibirem uma forma deplorável) que pareciam baratas tontas contra o trio do meio campo mais os laterais franceses, que tinham via aberta com aqueles “extremos”. O Fonte mete pena sinceramente...foi tantas vezes comido no espaço que foi um milagre aquele 0-0 ao intervalo. Se há recuperação de bola, ela acontecia sempre muito lá atrás. Depois a construir não há ideia de jogo (a não ser que os franceses não pressionassem) o William tinha de vir buscar a bola aos centrais, o Danilo foge para não atrapalhar e o BF não era capaz de se mostrar...lá tinha de vir o Ronaldo tabelar, e tentar abrir no meio, enfim, tudo muito previsível e sem imaginação. Reagimos bem ao golo, e parecia que íamos atrás do resultado (aquela bola no poste bem que podia ter ido lá para dentro), mas mexemos tarde.

Tudo bem que temos uma defensiva limitada, principalmente os centrais e o Raphael (que contra boas equipas não tem capacidade defensiva) e é neste momento “overrated” na minha opinião...mas não me parecem problemas de tal maneira impeditivos para que se faça bem melhor, principalmente no movimento atacante. O FS fez num passado recente um bom trabalho, com um leque de jogadores (na globalidade) mais limitados. Parece-me que tem ao seu dispor jogadores com maior versatilidade e qualidade...também ele tem de dar mais do que isto a nível tático e nas escolhas, ou a coisa corre o risco de não correr muito bem no europeu.

Nós jogamos da forma habitual com o FS. A final de 2016 foi no mesmo diapasão, mas toda a gente me caiu em cima no outro dia quando critiquei a qualidade de jogo da seleção só porque ganhámos o Euro. Ontem perdemos jogando da mesma forma e já tudo critica o nosso jogo. Bloco baixo, defender o espaço e aproveitar 1 contra-ataque ou bola parada. Foi isto que Portugal fez em todo o Euro 2016. Foi isto que fez ontem. Tal como perdemos contra o Uruguai jogando exatamente da mesma maneira, ou empatamos 3-3 com a Espanha exatamente da mesma forma com 2 golos de bola parada e um frango. Só que a sorte não nos vai acompanhar em todos os jogos. Mas a verdade é que ontem na 1ª parte depois do baile que levamos podíamos até ter ido a ganhar para o intervalo com aquela oportunidade num canto do Ronaldo. A estratégia era a mesma de sempre e quase funcionava apesar dos 3 falhanços monumentais do Martial. Tivesse a bola do Ronaldo sido 5cm mais baixa e se calhar estava tudo a elogiar a prestação da seleção. Na 2ª parte até aos 70mn foi quase igual. Depois do golo do Kanté há 1 grande oportunidade para o Pogba que não consegue cabecear e outra jogada em que o Griezmann finaliza mal. Só quando o FS libertou o meio campo tirando um trinco e quando a França nos aplicou a mesma receita (recuou e apostou em transições) é que tivemos oportunidades. E o que é certo é que podíamos perfeitamente ter empatado no fim, e se calhar ninguém viria no fim criticar. O FS falou muito ontem que jogamos da mesma forma em Paris, só que com mais intensidade. É verdade, mas também é verdade que na 2ª parte de Paris, depois da França se ajustar, tivemos novamente dificuldades e ontem foi apenas a continuação daquela 2ª parte. A partir do momento que o meio-campo francês pegou no jogo e os avançados deram profundidade, abrindo espaço no meio ao Griezmann acabou a nossa "grande exibição de Paris".

O resultado não só é justo como é lisonjeiro para Portugal. Tivesse jogado o Mbappé no lugar do Martial e se calhar estávamos aqui a falar de uma goleada. Isto apesar da reacção no fim que quase nos dava o empate. O Paulinho (ou um avançado como ele) encaixa que nem uma luva na forma de jogar do Ronaldo. Ter alguém como referência que joga bem de costas e faz bem de pivot, que "agarra" os centrais para deixar o Ronaldo entrar nas costas deles em diagonais, mas para jogarem félix, bernardo e jota alguém tem que ficar no banco e percebo isso, mas colocá-lo a 5mn do fim é o mesmo que nada, porque naquele momento já eles estão com bloco baixo e já não conta muito ter a tal referência. O Ronaldo neste esquema não ganha muito porque ou cai na ala e fica o centro sem referências, ou fica ele no centro e depois não consegue fazer as diagonais. o Paulinho pode ser o melhor complemento do Ronaldo na seleção (tal como o Benzema o era no RM).

A seleção tem talvez neste momento uma das melhores gerações da sua história (sendo para mim a melhor a de 2000/2002). A aposta na formação de Benfica, Porto e Braga a juntar à que o Sporting já fazia há anos deu nos últimos anos muitas soluções a juntar ao que já tínhamos em 2016: Ruben Neves, Jota, Félix, Bernardo, Ruben Dias, Guedes, os 2 Semedos, Cancelo, André Silva e agora Pedro Neto, Trincão e o próprio Paulinho. Temos muito mais soluções que em 2016. Mas com um treinador que a única coisa que sabe fazer é colocar a equipa a defender e a especular com o jogo a maior parte destes jogadores pouco brilham. Aliás, as nossas melhores exibições nos últimos anos têm sido em jogos sem o Ronaldo e onde a equipa joga mais liberta sem as amarras táticas do costume (na maior parte das vezes amigáveis ou os jogos iniciais da 1ª Liga das Nações onde o FS, e bem, apostou em gente nova sem grandes preocupações defensivas).

Ainda assim, é preciso reconhecer que apesar do aumento de qualidade dos nossos selecionáveis, ainda estamos uns furos abaixo de uma seleção como a França. Aquele meio campo ontem fez o que quis do jogo e aquele quarteto defensivo é de classe mundial (e ainda têm Lenglet, Upamecano, Mendy, etc no banco).

Mas este tipo de jogo de ontem é o que vamos ter no Euro 2020. E aí pode perfeitamente voltar a correr bem. Se marcarmos 1º e aguentarmos bem atrás é possível fazermos algo como 2016. Não deixa de ser interessante ver que basta o resultado ser diferente para se criticar treinador e jogadores, quando eles jogaram exatamente da mesma forma que têm sempre jogado nos últimos 5 anos. Estas críticas feitas ontem são as mesmas depois da derrota com o Uruguai ou quando empatamos com o Irão. Quando em 2016 ganhamos à França e à Croácia jogando da mesma maneira ninguém criticou.
Portugal jogou bem em Paris e jogou mal ontem.
As diferenças?
Para começar temos uma equipa com mais valor individual. Sinceramente olhando só aos nomes, o jogo de ontem não apresentava desequilíbrio.

A outra, para jogar em contra ataque, como fizemos em 2016, as movimentações têm de ser outras, e sobretudo mais rápidas. Quantas vezes o extremo tinha o apoio para fazer demarcação? Não me lembro. Era sempre bola lenta denunciada, sempre inferioridade numérica.

E há claro que recuperar a bola mais cedo. Ontem não me lembro de bolas recuperadas no meio campo. Os franceses ganhavam os duelos.
Jogar com extremos (a sério) ajudava...O problema da recuperação de bola é que quando acontecia estávamos “enfiados” nos últimos 30m (só fazíamos pressão no nosso meio campo recuado e mal) e fazer chegar a bola lá à frente era uma tarefa quase hercúlea com jogadores como o BF, Félix e o BS tão recuados, sem capacidade para esticar o jogo, porque a defender o Ronaldo fica no meio e é o Félix que está na linha (a atacar trocam, mas é preciso tempo e qualidade para isso). O Bernardo sofre imenso com naquela posição de extremo (com esta táctica) e já tantos jogos fez o BF no meio e continua a ser uma nulidade na seleção (com tanto hype pede-se mais a nível individual). Ter o Danilo e o William lado a lado já é danoso para nós, aliar isso à vontade de acomodar o BF e o Félix no onze não ajuda nem um pouco...
« Última modificação: 15 de Novembro de 2020, 20:23 por AMartins »
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 3237
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4026 em: 16 de Novembro de 2020, 10:26 »
Obviamente que quando não se ganha (ou se perde como ontem) há mais criticas, independentemente do que se joga. É básico. (seja o Braga seja Portugal)
O futebol é um jogo onde o objectivo é ganhar e está a kilometros de ser uma ciência exata, diria que pelo contrário.
Ontem na 1ªparte jogamos mal, diria que muito mal após os primeiros 10 minutos e até ao intervalo, valeu-nos Patrício (que depois falhou no golo) dizer que jogamos como em França a mim não me diz nada, até porque em França jogamos bem principalmente na 1ªparte, e ontem jogamos mal, em algumas partes muito mal. A 1ªparte de ontem não tem nada a ver com nada do que foi o jogo em França, nem com a 1ªparte, nem com a 2ªparte. Ontem jogamos mal porque o meio campo não funcionou em momento algum, não defendeu nem atacou e menos ainda segurou bolas. Acho que na 1ªparte após os 10 minutos não devemos ter ganho nenhuma 2ªbola, basicamente não ganamos nenhum duelo. Melhorou muito com a entrada de Moutinho.
A tática até pode ser a pior do mundo, mas espera-se muito mais de jogadores como Bruno F e Bernardo. Ontem estiveram péssimos, foram um zero absoluto, e este zero não tem a ver com tatica tem a ver com prestação indivual. Felix por exemplo mesmo no mau de Portugal tentou ter bola, arriscar o 1x1, tentou entrar no jogo.
Ontem perdemos e perdemos bem porque a a França foi melhor, muito melhor na 1ªparte, embora acabou a marcar quando Portugal já estava em jogo.
Ainda assim mesmo num mau jogo de Portugal criamos 3 ou 4 oportunidades de golo.
Para terminar custa-me perceber como é que se consegue falar em sorte de Portugal depois dos resultados que temos nos últimos 20 anos... e mais especificamente nos últimos 5 ou 6 anos. Só pode ser mesmo vontade de dizer mal, nada mais. Até consigo perceber que não se goste do futebol, que não se goste da tática, que não se goste de nada, mas continuar a falar de sorte já é quase doença. Por exemplo nesta taça da nações onde só estão das melhores equipas do mundo (neste grupo de Portugal tínhamos campeão da europa, campeão do Mundo e vice campeão) temos em 11 jogos 7 vitórias, 3 empates e 1 derrota.

É óbvio que não é sempre tudo sorte. Por exemplo na 1ª liga das nações até se jogou bem porque se abandonou por momentos a ideia de jogar só na retranca à espera do contra-ataque. Aproveitou-se a ausência do Ronaldo para apostar noutros jogadores (e bem) e dar-lhes liberdade. É óbvio que há muito e bom trabalho defensivo e de controlo de jogo. Mas posso, tal como muitos outros comentadores desportivos, criticar um modelo de jogo que assenta a sua base na especulação. Onde a ideia é ficar lá atrás com bloco baixo o jogo todo à espera da bola parada ou um contra-ataque para meter a bola no Ronaldo. O Daniel Ramos ou o Lito Vidigal não fariam diferente nem muito pior. E é por isso que eu não os quero no Braga nem pintados.

Dizer que em França jogamos bem e no sábado jogamos mal é não perceber que a única diferença em ambos os jogos foi o Deschamps ter dado mais movimentação no ataque com o Coman e bastou isso para desmontar o nosso meio campo. Não fomos nós que jogamos melhor ou pior, até porque já no 0-0 de Paris o Bruno Fernandes nada fez. E nada faz neste esquema porque os outros 2 médios estão afundados lá atrás e ele fica sem apoio a levar com o Kanté em cima.

É óbvio que contra equipas como a França não podemos ir de peito feito e temos que defender bem, mas entrar com 2 trincos como Danilo e William é desistir por completo do jogo e esperar por uma transição.

Quando é preciso um bocado mais, como no sábado, como no mundial contra o Uruguai ou contra o Irão, não há alternativas. Porque quando é preciso ir lá pra cima e pegar no jogo não há dinâmica, não há cadência de jogo ofensivo. É bombo lá na frente à espera de uma entrada de cabeça do Ronaldo, que pode resultar porque é um fora de série, mas que para mim é muito curto, isso é. É a minha opinião.

Eu não gosto quando vem cá a Braga uma equipa do Daniel Ramos jogar na retranca o jogo todo e ganha numa bola parada como este ano contra o Santa Clara. No mesmo sentido, não gosto quando a seleção joga da mesma forma. Claro que quero que ganhe, claro que fiquei muito contente com a vitória no Euro, mas tenho a noção plena que, tal como a Grécia em 2004, ganhamos jogando muito pouco, e que no resto da Europa a opinião que tiveram de nós foi a mesma que tivemos da Grécia. A mesma que se tem da Itália do catenaccio, que sempre foi usada como um exemplo negativo, nunca positivo. Já a campanha da 1ª Liga das Nações foi, para mim, muito mais interessante. Se vemos futebol para passarmos um bom bocado é difícil gostar de uma equipa que joga como a seleção portuguesa joga habitualmente. Se vemos só para que a nossa equipa ganhe, serve, como serviu no Euro.

Por algum motivo Litos e Ramos da vida não saem da liga tuga e Paulos Fonsecas, Carvalhais e Jesus chegam onde chegam. Por algum motivo o FS pouco sucesso teve nos grandes. Porque quando era preciso pegar no jogo não havia dinâmica. Conseguiu perder 1 campeonato no Porto com o Jardel e tendo de longe o melhor plantel.
« Última modificação: 16 de Novembro de 2020, 10:34 por NightHawk »
Sérgio Gonçalves
Sérgio Gonçalves Equipa Principal
  • *****
  • 3193
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4027 em: 16 de Novembro de 2020, 17:34 »
Nighthawk, como lês estas palavras do Fernando Santos?

"Se calhar devia ter jogado para empatar, como nós jogámos era claro que era para ganhar, os jogadores sabem, da forma que eu acho melhor para ganhar, não para defender, mas em posse, a levar a França para trás», disse à RTP ainda antes da conferência de imprensa. «Achei que era o melhor para ganhar, mas depois de ver se calhar mais valia ter recuado 5 anos a defender bem e a pôr bolas na frente... Se quisesse jogar em contra-ataque, teria jogado com uma equipa diferente."

Nota: concordo a 100% com o que disseste atrás.

Enviado do meu ANE-LX1 através do Tapatalk

Sócio nº 2506
Anuncios M
Anuncios M
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 3237
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4028 em: 16 de Novembro de 2020, 19:18 »
O FS ontem confirmou basicamente o que muitos temos dito e que só porque ganhamos o Euro criticam o que dizemos: Ele no Euro 2016 jogou na retranca, e acabou por correr bem. Com 4 médios de contenção (à lá "quatrivote" do Simeone) e bolas na frente para o Ronaldo e o Nani correrem. Ele próprio o disse hoje na conf. de imprensa.

Mas no sábado fez o mesmo (em 4-3-3 e não 4-4-2) e claro que, tal como no Euro 2016 nunca disse que jogava para empatar nem nunca disse que jogava à defesa, hoje nunca iria assumir que jogou para empatar, porque nenhum treinador o assumirá. O Lito Vidigal também nunca diz que vai jogar para o empate.

Mas uma equipa que entra com 2 trincos puros e começa o jogo com bloco baixo, com o Félix e o Bernardo encostados na ala (trocando depois o Félix com o Ronaldo quando ganhamos a bola) entra para especular, para manter o 0-0 (resultado que servia) o máximo possível e tentar num dos poucos ataques marcar. É uma estratégia como qualquer outra, mas eu não gosto desse tipo de jogo e acho que temos jogadores para muito mais. Não é por isso que deixo de apoiar a seleção ou deixo de celebrar as vitórias, mas não tenho qualquer gosto em ver a seleção jogar. No sábado viu-se uma coisa raríssima: o Ronaldo vir atrás buscar jogo porque ninguém levava a bola para a frente. O Tadeia a comentar até disse "não pode ir o Ronaldo buscar a bola e cruzar para ele próprio depois cabecear".

É verdade que durante a 1ª Liga das Nações o FS mudou um bocado a matriz de jogo para dar mais liberdade ao ataque e ter no meio campo gente para construir, mas contra a França nestes 2 jogos voltou ao diapasão do costume. E para bem ou para mal, é isto que vamos ter no Euro.
« Última modificação: 16 de Novembro de 2020, 19:21 por NightHawk »
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13132
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4029 em: 17 de Novembro de 2020, 18:28 »
Onze para hoje:

Rui Patrício; Nélson Semedo, Rúben Dias, Rúben Semedo e Mário Rui; João Moutinho, Danilo e Bruno Fernandes; João Félix, Cristiano Ronaldo e Diogo Jota.

Segundo o JN, a lateral esquerdo teremos o duo Marios Dias.
Quem não sente não é filho de boa gente.
RuberAlbus
RuberAlbus Juniores
  • ***
  • 725
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4030 em: 17 de Novembro de 2020, 21:17 »
Paulinho lá para dentro
Anuncios G
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4586
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4031 em: 18 de Novembro de 2020, 00:08 »
Obviamente que quando não se ganha (ou se perde como ontem) há mais criticas, independentemente do que se joga. É básico. (seja o Braga seja Portugal)
O futebol é um jogo onde o objectivo é ganhar e está a kilometros de ser uma ciência exata, diria que pelo contrário.
Ontem na 1ªparte jogamos mal, diria que muito mal após os primeiros 10 minutos e até ao intervalo, valeu-nos Patrício (que depois falhou no golo) dizer que jogamos como em França a mim não me diz nada, até porque em França jogamos bem principalmente na 1ªparte, e ontem jogamos mal, em algumas partes muito mal. A 1ªparte de ontem não tem nada a ver com nada do que foi o jogo em França, nem com a 1ªparte, nem com a 2ªparte. Ontem jogamos mal porque o meio campo não funcionou em momento algum, não defendeu nem atacou e menos ainda segurou bolas. Acho que na 1ªparte após os 10 minutos não devemos ter ganho nenhuma 2ªbola, basicamente não ganamos nenhum duelo. Melhorou muito com a entrada de Moutinho.
A tática até pode ser a pior do mundo, mas espera-se muito mais de jogadores como Bruno F e Bernardo. Ontem estiveram péssimos, foram um zero absoluto, e este zero não tem a ver com tatica tem a ver com prestação indivual. Felix por exemplo mesmo no mau de Portugal tentou ter bola, arriscar o 1x1, tentou entrar no jogo.
Ontem perdemos e perdemos bem porque a a França foi melhor, muito melhor na 1ªparte, embora acabou a marcar quando Portugal já estava em jogo.
Ainda assim mesmo num mau jogo de Portugal criamos 3 ou 4 oportunidades de golo.
Para terminar custa-me perceber como é que se consegue falar em sorte de Portugal depois dos resultados que temos nos últimos 20 anos... e mais especificamente nos últimos 5 ou 6 anos. Só pode ser mesmo vontade de dizer mal, nada mais. Até consigo perceber que não se goste do futebol, que não se goste da tática, que não se goste de nada, mas continuar a falar de sorte já é quase doença. Por exemplo nesta taça da nações onde só estão das melhores equipas do mundo (neste grupo de Portugal tínhamos campeão da europa, campeão do Mundo e vice campeão) temos em 11 jogos 7 vitórias, 3 empates e 1 derrota.

É óbvio que não é sempre tudo sorte. Por exemplo na 1ª liga das nações até se jogou bem porque se abandonou por momentos a ideia de jogar só na retranca à espera do contra-ataque. Aproveitou-se a ausência do Ronaldo para apostar noutros jogadores (e bem) e dar-lhes liberdade. É óbvio que há muito e bom trabalho defensivo e de controlo de jogo. Mas posso, tal como muitos outros comentadores desportivos, criticar um modelo de jogo que assenta a sua base na especulação. Onde a ideia é ficar lá atrás com bloco baixo o jogo todo à espera da bola parada ou um contra-ataque para meter a bola no Ronaldo. O Daniel Ramos ou o Lito Vidigal não fariam diferente nem muito pior. E é por isso que eu não os quero no Braga nem pintados.

Dizer que em França jogamos bem e no sábado jogamos mal é não perceber que a única diferença em ambos os jogos foi o Deschamps ter dado mais movimentação no ataque com o Coman e bastou isso para desmontar o nosso meio campo. Não fomos nós que jogamos melhor ou pior, até porque já no 0-0 de Paris o Bruno Fernandes nada fez. E nada faz neste esquema porque os outros 2 médios estão afundados lá atrás e ele fica sem apoio a levar com o Kanté em cima.

É óbvio que contra equipas como a França não podemos ir de peito feito e temos que defender bem, mas entrar com 2 trincos como Danilo e William é desistir por completo do jogo e esperar por uma transição.

Quando é preciso um bocado mais, como no sábado, como no mundial contra o Uruguai ou contra o Irão, não há alternativas. Porque quando é preciso ir lá pra cima e pegar no jogo não há dinâmica, não há cadência de jogo ofensivo. É bombo lá na frente à espera de uma entrada de cabeça do Ronaldo, que pode resultar porque é um fora de série, mas que para mim é muito curto, isso é. É a minha opinião.

Eu não gosto quando vem cá a Braga uma equipa do Daniel Ramos jogar na retranca o jogo todo e ganha numa bola parada como este ano contra o Santa Clara. No mesmo sentido, não gosto quando a seleção joga da mesma forma. Claro que quero que ganhe, claro que fiquei muito contente com a vitória no Euro, mas tenho a noção plena que, tal como a Grécia em 2004, ganhamos jogando muito pouco, e que no resto da Europa a opinião que tiveram de nós foi a mesma que tivemos da Grécia. A mesma que se tem da Itália do catenaccio, que sempre foi usada como um exemplo negativo, nunca positivo. Já a campanha da 1ª Liga das Nações foi, para mim, muito mais interessante. Se vemos futebol para passarmos um bom bocado é difícil gostar de uma equipa que joga como a seleção portuguesa joga habitualmente. Se vemos só para que a nossa equipa ganhe, serve, como serviu no Euro.

Por algum motivo Litos e Ramos da vida não saem da liga tuga e Paulos Fonsecas, Carvalhais e Jesus chegam onde chegam. Por algum motivo o FS pouco sucesso teve nos grandes. Porque quando era preciso pegar no jogo não havia dinâmica. Conseguiu perder 1 campeonato no Porto com o Jardel e tendo de longe o melhor plantel.
Eu não digo em momento algum que não se pode criticar, pelo contrário, deve-se até, só assim se melhora.
Mas a minha visão do futebol de Portugal vai muito além daquilo que tu vês, mas a kilometros.
"Onde a ideia é ficar lá atrás com bloco baixo o jogo todo à espera da bola parada ou um contra-ataque para meter a bola no Ronaldo."
Quando leio frases destas tenho dúvidas se a vontade é criticar ou apenas dizer mal só porque sim.
A começar no dizer que fizemos um euro todo na retranca, quando temos nesse euro pelo menos 4 jogos em que controlamos o jogo de inicio a fim e em que 3 deles (os da 1ªfase) não ganhamos exactamente por não jogarmos da forma que tu dizes que jogamos, bem pelo contrário. Nos 3 jogos da 1ª fase fizemos 71 remates! (média de 24 por jogo, contra 17 dos adversários nos 3 jogos em conjunto, média de 5 por jogo). Mesmo contra a Polónia fizemos 19  e o mesmo ao país de Gales. Quando se diz algumas coisas há pelo menos que ter um pouco de noção...
Foi um campeão à Grécia? Acho que só os portugueses dizem isso, ou pelo menos não tenho dúvidas nenhumas (mas mesmo nenhumas) que é o país no mundo onde mais focam isso... acho que é de estarem tão mal habituados a ganhar que quando ganham até desculpa têm que arranjar para justificar a vitória. Foi sorte e foi jogar à Grécia!! A mim só me apetece dizer, enfim... e vir falar de catanacio, já nem é "enfim", é outra porra qualquer, é falta de informação desde logo sobre o que foi o catanacio.

Falas de que vês futebol para ver algo mais que ver a nossa seleção ganhar... só uma pessoa que não gosta de futebol pode dizer mal de um Portugal Hungria, Portugal Islândia, um Portugal Polónia ou um Portugal país de Gales, por exemplo. (já nem indo ao jogo da Austria onde Portugal se ganhasse 2 ou 3 zero não tinha nada de injusto) ou mesmo a final.
Falas da 1ª liga das Nações como se fosse excepção... obviamente não o foi! Mas podias também falar da 2ª, fizemos 4 jogos com Suécia e Croácia onde mais uma vez a tua teoria tem zero de fundamento. O jogo em França foi em minha opinião um grande jogo, não teve golos, sem grandes oportunidades, mas foi interessante de seguir. No fim vamos a fazer as contas (mesmo as tuas) e o "jogamos na retranca e em bloco baixo" tem fundamento diria que quase nulo e nem preciso de ser eu a dizê-lo, até tu o dizes, embora tentes fazer disso a excepção, quando claramente não o é.
Se quiseres arranjo 20, 30, 40 jogos dos últimos anos (só na liga das nações facilmente arranjas 10 jogos) em que jogar na retranca tem um fundamento igual a zero, mas um ZERO deste tamanho.
Sendo que nestes anos ganhamos a quase todas as grandes seleções do mundo. E por isso é que quando me vêm com a "sorte", digo ao pessoal, vão vender tangas para outra banda!! Portugal deve ser mesmo a única seleção/equipa no mundo que anda com sorte há 5 anos.
Dizes que quando é preciso um pouco mais como no sábado não há alternativas... desculpa, mas ou não viste o jogo ou é simples vontade de dizer mal... é que na realidade mesmo tendo feito uma 1ªparte péssima (muito má mesmo, do pior que vi na era FS) podíamos ter perfeitamente saído do jogo com um empate, tivemos oportunidades mais que suficientes para isso na 2ªparte.
Sendo que em França fizemos uma 1ªparte de grande nível e não jogamos na retranca, em minha opinião jogamos como uma das melhores seleções do mundo. Mas acredito que algum pessoal não goste, preferiam ir lá há campeões da europa (eles são campeões do mundo, mas isso não interessa) e vir como sempre, nos meus 40 anos de vida lembro-me de 1 empate e 1 vitória e foram nos últimos 4 anos, deve ser apenas sorte e coincidência.
Nos últimos 5 anos perdemos 11 jogos em quase 80, só 4 deles oficiais, ganha-se isto tudo com retranca e mau futebol e chuto para a frente para o Ronaldo correr e isto sem dinâmicas e sem soluções nenhumas e com um treinador que não percebe nada do assunto, em resumo um treinador mau.
Para algum pessoal Domingos em Braga também jogava na retranca... são opiniões. Mas daí a terem fundamento, enfim.
Todos podem e devem ter opinião, só que algumas têm algum fundamento, outras são quase totalmente vazias de conteúdo e diria mesmo totalmente contrariadas pelos factos e pelos números.
A última frase quase nem merece comentários, fazes comparações tão sem sentido, que nem sequer sabia por onde lhe pegar. É que a vontade de dizer mal do FS é tanta que com esses exemplos até acabas a fazer dele um grande treinador. (e se calhar é, com 2 troféus europeus, deve perceber alguma coisa do assunto... mas tem sentido comparar com Lito Vidigal ou Daniel ramos).
Para terminar, há uma coisa que eu não tenho dúvidas, FS dá consistência defensiva às equipas, somos das melhores equipas do mundo a defender, senão mesmo a melhor, mas daí a jogar à retranca vão kilometros de distãncia na minha opinião, mesmo que se jogue com WC e Danilo como médios defensivos com uma França, ou com uma Andorra se assim for.

Quanto ao jogo de hoje, ganhamos, embora com muitas criticas do treinador e com os jogadores já todos a pensar nos clubes obviamente (e em minha opinião bem, está muito em jogo nos clubes)
Foi pena Paulinho não ter marcado num dos 2 jogos... mas jogou contra o campeão do mundo e contra o vice campeão! Fantástico para ele de certeza e para o Braga também, o crescimento também se faz assim.
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 3237
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4032 em: 18 de Novembro de 2020, 09:54 »
Obviamente que quando não se ganha (ou se perde como ontem) há mais criticas, independentemente do que se joga. É básico. (seja o Braga seja Portugal)
O futebol é um jogo onde o objectivo é ganhar e está a kilometros de ser uma ciência exata, diria que pelo contrário.
Ontem na 1ªparte jogamos mal, diria que muito mal após os primeiros 10 minutos e até ao intervalo, valeu-nos Patrício (que depois falhou no golo) dizer que jogamos como em França a mim não me diz nada, até porque em França jogamos bem principalmente na 1ªparte, e ontem jogamos mal, em algumas partes muito mal. A 1ªparte de ontem não tem nada a ver com nada do que foi o jogo em França, nem com a 1ªparte, nem com a 2ªparte. Ontem jogamos mal porque o meio campo não funcionou em momento algum, não defendeu nem atacou e menos ainda segurou bolas. Acho que na 1ªparte após os 10 minutos não devemos ter ganho nenhuma 2ªbola, basicamente não ganamos nenhum duelo. Melhorou muito com a entrada de Moutinho.
A tática até pode ser a pior do mundo, mas espera-se muito mais de jogadores como Bruno F e Bernardo. Ontem estiveram péssimos, foram um zero absoluto, e este zero não tem a ver com tatica tem a ver com prestação indivual. Felix por exemplo mesmo no mau de Portugal tentou ter bola, arriscar o 1x1, tentou entrar no jogo.
Ontem perdemos e perdemos bem porque a a França foi melhor, muito melhor na 1ªparte, embora acabou a marcar quando Portugal já estava em jogo.
Ainda assim mesmo num mau jogo de Portugal criamos 3 ou 4 oportunidades de golo.
Para terminar custa-me perceber como é que se consegue falar em sorte de Portugal depois dos resultados que temos nos últimos 20 anos... e mais especificamente nos últimos 5 ou 6 anos. Só pode ser mesmo vontade de dizer mal, nada mais. Até consigo perceber que não se goste do futebol, que não se goste da tática, que não se goste de nada, mas continuar a falar de sorte já é quase doença. Por exemplo nesta taça da nações onde só estão das melhores equipas do mundo (neste grupo de Portugal tínhamos campeão da europa, campeão do Mundo e vice campeão) temos em 11 jogos 7 vitórias, 3 empates e 1 derrota.

É óbvio que não é sempre tudo sorte. Por exemplo na 1ª liga das nações até se jogou bem porque se abandonou por momentos a ideia de jogar só na retranca à espera do contra-ataque. Aproveitou-se a ausência do Ronaldo para apostar noutros jogadores (e bem) e dar-lhes liberdade. É óbvio que há muito e bom trabalho defensivo e de controlo de jogo. Mas posso, tal como muitos outros comentadores desportivos, criticar um modelo de jogo que assenta a sua base na especulação. Onde a ideia é ficar lá atrás com bloco baixo o jogo todo à espera da bola parada ou um contra-ataque para meter a bola no Ronaldo. O Daniel Ramos ou o Lito Vidigal não fariam diferente nem muito pior. E é por isso que eu não os quero no Braga nem pintados.

Dizer que em França jogamos bem e no sábado jogamos mal é não perceber que a única diferença em ambos os jogos foi o Deschamps ter dado mais movimentação no ataque com o Coman e bastou isso para desmontar o nosso meio campo. Não fomos nós que jogamos melhor ou pior, até porque já no 0-0 de Paris o Bruno Fernandes nada fez. E nada faz neste esquema porque os outros 2 médios estão afundados lá atrás e ele fica sem apoio a levar com o Kanté em cima.

É óbvio que contra equipas como a França não podemos ir de peito feito e temos que defender bem, mas entrar com 2 trincos como Danilo e William é desistir por completo do jogo e esperar por uma transição.

Quando é preciso um bocado mais, como no sábado, como no mundial contra o Uruguai ou contra o Irão, não há alternativas. Porque quando é preciso ir lá pra cima e pegar no jogo não há dinâmica, não há cadência de jogo ofensivo. É bombo lá na frente à espera de uma entrada de cabeça do Ronaldo, que pode resultar porque é um fora de série, mas que para mim é muito curto, isso é. É a minha opinião.

Eu não gosto quando vem cá a Braga uma equipa do Daniel Ramos jogar na retranca o jogo todo e ganha numa bola parada como este ano contra o Santa Clara. No mesmo sentido, não gosto quando a seleção joga da mesma forma. Claro que quero que ganhe, claro que fiquei muito contente com a vitória no Euro, mas tenho a noção plena que, tal como a Grécia em 2004, ganhamos jogando muito pouco, e que no resto da Europa a opinião que tiveram de nós foi a mesma que tivemos da Grécia. A mesma que se tem da Itália do catenaccio, que sempre foi usada como um exemplo negativo, nunca positivo. Já a campanha da 1ª Liga das Nações foi, para mim, muito mais interessante. Se vemos futebol para passarmos um bom bocado é difícil gostar de uma equipa que joga como a seleção portuguesa joga habitualmente. Se vemos só para que a nossa equipa ganhe, serve, como serviu no Euro.

Por algum motivo Litos e Ramos da vida não saem da liga tuga e Paulos Fonsecas, Carvalhais e Jesus chegam onde chegam. Por algum motivo o FS pouco sucesso teve nos grandes. Porque quando era preciso pegar no jogo não havia dinâmica. Conseguiu perder 1 campeonato no Porto com o Jardel e tendo de longe o melhor plantel.
Eu não digo em momento algum que não se pode criticar, pelo contrário, deve-se até, só assim se melhora.
Mas a minha visão do futebol de Portugal vai muito além daquilo que tu vês, mas a kilometros.
"Onde a ideia é ficar lá atrás com bloco baixo o jogo todo à espera da bola parada ou um contra-ataque para meter a bola no Ronaldo."
Quando leio frases destas tenho dúvidas se a vontade é criticar ou apenas dizer mal só porque sim.
A começar no dizer que fizemos um euro todo na retranca, quando temos nesse euro pelo menos 4 jogos em que controlamos o jogo de inicio a fim e em que 3 deles (os da 1ªfase) não ganhamos exactamente por não jogarmos da forma que tu dizes que jogamos, bem pelo contrário. Nos 3 jogos da 1ª fase fizemos 71 remates! (média de 24 por jogo, contra 17 dos adversários nos 3 jogos em conjunto, média de 5 por jogo). Mesmo contra a Polónia fizemos 19  e o mesmo ao país de Gales. Quando se diz algumas coisas há pelo menos que ter um pouco de noção...
Foi um campeão à Grécia? Acho que só os portugueses dizem isso, ou pelo menos não tenho dúvidas nenhumas (mas mesmo nenhumas) que é o país no mundo onde mais focam isso... acho que é de estarem tão mal habituados a ganhar que quando ganham até desculpa têm que arranjar para justificar a vitória. Foi sorte e foi jogar à Grécia!! A mim só me apetece dizer, enfim... e vir falar de catanacio, já nem é "enfim", é outra porra qualquer, é falta de informação desde logo sobre o que foi o catanacio.

Falas de que vês futebol para ver algo mais que ver a nossa seleção ganhar... só uma pessoa que não gosta de futebol pode dizer mal de um Portugal Hungria, Portugal Islândia, um Portugal Polónia ou um Portugal país de Gales, por exemplo. (já nem indo ao jogo da Austria onde Portugal se ganhasse 2 ou 3 zero não tinha nada de injusto) ou mesmo a final.
Falas da 1ª liga das Nações como se fosse excepção... obviamente não o foi! Mas podias também falar da 2ª, fizemos 4 jogos com Suécia e Croácia onde mais uma vez a tua teoria tem zero de fundamento. O jogo em França foi em minha opinião um grande jogo, não teve golos, sem grandes oportunidades, mas foi interessante de seguir. No fim vamos a fazer as contas (mesmo as tuas) e o "jogamos na retranca e em bloco baixo" tem fundamento diria que quase nulo e nem preciso de ser eu a dizê-lo, até tu o dizes, embora tentes fazer disso a excepção, quando claramente não o é.
Se quiseres arranjo 20, 30, 40 jogos dos últimos anos (só na liga das nações facilmente arranjas 10 jogos) em que jogar na retranca tem um fundamento igual a zero, mas um ZERO deste tamanho.
Sendo que nestes anos ganhamos a quase todas as grandes seleções do mundo. E por isso é que quando me vêm com a "sorte", digo ao pessoal, vão vender tangas para outra banda!! Portugal deve ser mesmo a única seleção/equipa no mundo que anda com sorte há 5 anos.
Dizes que quando é preciso um pouco mais como no sábado não há alternativas... desculpa, mas ou não viste o jogo ou é simples vontade de dizer mal... é que na realidade mesmo tendo feito uma 1ªparte péssima (muito má mesmo, do pior que vi na era FS) podíamos ter perfeitamente saído do jogo com um empate, tivemos oportunidades mais que suficientes para isso na 2ªparte.
Sendo que em França fizemos uma 1ªparte de grande nível e não jogamos na retranca, em minha opinião jogamos como uma das melhores seleções do mundo. Mas acredito que algum pessoal não goste, preferiam ir lá há campeões da europa (eles são campeões do mundo, mas isso não interessa) e vir como sempre, nos meus 40 anos de vida lembro-me de 1 empate e 1 vitória e foram nos últimos 4 anos, deve ser apenas sorte e coincidência.
Nos últimos 5 anos perdemos 11 jogos em quase 80, só 4 deles oficiais, ganha-se isto tudo com retranca e mau futebol e chuto para a frente para o Ronaldo correr e isto sem dinâmicas e sem soluções nenhumas e com um treinador que não percebe nada do assunto, em resumo um treinador mau.
Para algum pessoal Domingos em Braga também jogava na retranca... são opiniões. Mas daí a terem fundamento, enfim.
Todos podem e devem ter opinião, só que algumas têm algum fundamento, outras são quase totalmente vazias de conteúdo e diria mesmo totalmente contrariadas pelos factos e pelos números.
A última frase quase nem merece comentários, fazes comparações tão sem sentido, que nem sequer sabia por onde lhe pegar. É que a vontade de dizer mal do FS é tanta que com esses exemplos até acabas a fazer dele um grande treinador. (e se calhar é, com 2 troféus europeus, deve perceber alguma coisa do assunto... mas tem sentido comparar com Lito Vidigal ou Daniel ramos).
Para terminar, há uma coisa que eu não tenho dúvidas, FS dá consistência defensiva às equipas, somos das melhores equipas do mundo a defender, senão mesmo a melhor, mas daí a jogar à retranca vão kilometros de distãncia na minha opinião, mesmo que se jogue com WC e Danilo como médios defensivos com uma França, ou com uma Andorra se assim for.

Quanto ao jogo de hoje, ganhamos, embora com muitas criticas do treinador e com os jogadores já todos a pensar nos clubes obviamente (e em minha opinião bem, está muito em jogo nos clubes)
Foi pena Paulinho não ter marcado num dos 2 jogos... mas jogou contra o campeão do mundo e contra o vice campeão! Fantástico para ele de certeza e para o Braga também, o crescimento também se faz assim.

É o próprio Fernando Santos que admite que jogou "na retranca" no Euro. Mas aparentemente tu sabes mais que o Fernando Santos e vens com estatísticas tentar contrariar uma opinião o que o próprio seleccionador admitiu ser correta:

Citar
«Achei que era o melhor para ganhar, mas depois de ver se calhar mais valia ter recuado 5 anos a defender bem e a pôr bolas na frente... Se quisesse jogar em contra-ataque, teria jogado com uma equipa diferente.»

Citar
«Respeito as críticas, mas não concordo. Essa crítica de jogar para empatar não é uma análise séria do jogo, não tinha usado a equipa que jogou e a forma como jogou. No Euro a base era não sofrer golos e ataque rápido de acordo com as nossas características em 4x4x2, mas a partir de determinado momento passámos a jogar de outra forma. Encarámos o jogo para ganhar e mandar, nunca disse que o 0-0 era bom resultado, mas se calhar devia ter mostrado uma equipa fisicamente mais forte no meio campo e um jogador mais vertical e rápido na frente«

Nos últimos 2 jogos contra a França fizemos exatamente o mesmo. Defender bem e a pôr bolas na frente.. Não em 4-4-2 mas em 4-3-3.

No resto, concordamos em discordar. Para mim o FS não é grande treinador e não o queria ver a treinar o Braga, pela mesma forma que não quero nem o Lito nem o Daniel Ramos. Gente que só sabe meter a equipa a defender e depois manda umas bolas lá para cima. Ontem depois de estarmos a jogar contra 10 a única coisa que se fez foi mandar cruzamentos lá para cima. Combinações ofensivas nem vê-las. Por algum motivo foi despedido dos 3 grandes sem grandes resultados. Conseguiu perder 1 campeonato com o Porto do Jardel.
« Última modificação: 18 de Novembro de 2020, 09:57 por NightHawk »
PAF Equipa Principal
  • *****
  • 4586
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4033 em: 18 de Novembro de 2020, 14:48 »
Fernando Santos referia-se ao jogo da final, nada mais, em comparação com este jogo da França.
O Euro tem 6 jogos antes da final. Tu falas do euro, quando ele fala de 1 jogo em especifico. Podes achar que é a mesma coisa, mas não é.
Em momento algum eu disse que na final (e já agora com a Croácia) não jogamos defensivamente. Vais encontrar vários posts meus aqui neste tópico onde deixo isso claro. Quanto ao resto podes dizer o que te apetecer, (por isso isto é um forum) nomeadamente que uma equipa joga na retranca, mas os números são claros e não deixam dúvidas nenhumas, em 5 jogos Portugal faz acima de 20 remates por jogo, ou seja um remate a cada 4 minutos. Imagino se jogasse ao ataque!
Menos sentido faz quando tu tentas catalogar a era FS com esse cunho de equipa de retranca. Não podes pegar em meia dúzia de jogos em 70 e fazer disso regra, quando são a excepção.
E por isso disse que não faz sentido falar de Grécia, e muito menos ainda catanacio porque a base para sustentar isso é zero.
Quanto a FS ser bom ou mau, os números são o que são. Por Portugal tem sido excelente por muitas voltas que tentes dar.
Perdeu um campeonato no Porto? O JJ perdeu 3 no Slb e 2 no Sporting , onde se inclui levar 5 do Porto e não morreu ninguém, isto além de andar 20 e tal anos a ganhar zero. Cada um tem os seus momentos.
JR1477 Equipa Principal
  • *****
  • 1946
  Re: Futebolistas do SC BRAGA nas selecções nacionais
« Responder #4034 em: 19 de Novembro de 2020, 09:28 »
O Paulinho foi uma semana à seleção e veio de lá com 3 internacionalizações e 2 golos. Excelente para o currículo dele e para o clube!
O resto são peanuts...
 

Anuncios M
Anuncios M