Quantcast
Futebol português em debate
You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Futebol português em debate
1312 Respostas
157512 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
joaoPC Juniores
  • ***
  • 394
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1300 em: 27 de Fevereiro de 2021, 23:10 »
Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
« Última modificação: 27 de Fevereiro de 2021, 23:15 por joaoPC »
SEMPRESCB
SEMPRESCB Equipa Principal
  • *****
  • 4148
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1301 em: 27 de Fevereiro de 2021, 23:16 »
Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
Mas isso faz algum sentido? Então se assim for já estão centralizados...
Anuncios M
Anuncios M
joaoPC Juniores
  • ***
  • 394
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1302 em: 27 de Fevereiro de 2021, 23:26 »
Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
Mas isso faz algum sentido? Então se assim for já estão centralizados...
Faz sentido se as percentagens forem parecidas com as que outros países implementaram. Em Espanha acho que é 50% para todos, 25% tendo em conta resultados desportivos e os outros 25% já tem a ver com fatores de número de adeptos (não sei precisar quais)
Agora tenho medo que em Portugal os "grandes" exerçam o seu poder para baixar os 50% para valores a rondar os 20%
SEMPRESCB
SEMPRESCB Equipa Principal
  • *****
  • 4148
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1303 em: 27 de Fevereiro de 2021, 23:41 »
Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
Mas isso faz algum sentido? Então se assim for já estão centralizados...
Faz sentido se as percentagens forem parecidas com as que outros países implementaram. Em Espanha acho que é 50% para todos, 25% tendo em conta resultados desportivos e os outros 25% já tem a ver com fatores de número de adeptos (não sei precisar quais)
Agora tenho medo que em Portugal os "grandes" exerçam o seu poder para baixar os 50% para valores a rondar os 20%
É o que eu disse se assim for estejam quietos porque não vale a pena fazer nada. Os critérios deviam ser exatamente esses que mencionaste por cá caso contrario vai dar ao mesmo. É tapar o sol com a peneira e até envergonha.
Anuncios V
joaoPC Juniores
  • ***
  • 394
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1304 em: 27 de Fevereiro de 2021, 23:48 »
Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
Mas isso faz algum sentido? Então se assim for já estão centralizados...
Faz sentido se as percentagens forem parecidas com as que outros países implementaram. Em Espanha acho que é 50% para todos, 25% tendo em conta resultados desportivos e os outros 25% já tem a ver com fatores de número de adeptos (não sei precisar quais)
Agora tenho medo que em Portugal os "grandes" exerçam o seu poder para baixar os 50% para valores a rondar os 20%
É o que eu disse se assim for estejam quietos porque não vale a pena fazer nada. Os critérios deviam ser exatamente esses que mencionaste por cá caso contrario vai dar ao mesmo. É tapar o sol com a peneira e até envergonha.
100% de acordo
Um modelo como o espanhol é o passo necessário para o Braga se poder intrometer a sério na luta pelo título
Somos Braga! Equipa Principal
  • *****
  • 1626
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1305 em: 28 de Fevereiro de 2021, 02:00 »
Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
Mas isso faz algum sentido? Então se assim for já estão centralizados...
Faz sentido se as percentagens forem parecidas com as que outros países implementaram. Em Espanha acho que é 50% para todos, 25% tendo em conta resultados desportivos e os outros 25% já tem a ver com fatores de número de adeptos (não sei precisar quais)
Agora tenho medo que em Portugal os "grandes" exerçam o seu poder para baixar os 50% para valores a rondar os 20%
É o que eu disse se assim for estejam quietos porque não vale a pena fazer nada. Os critérios deviam ser exatamente esses que mencionaste por cá caso contrario vai dar ao mesmo. É tapar o sol com a peneira e até envergonha.
100% de acordo
Um modelo como o espanhol é o passo necessário para o Braga se poder intrometer a sério na luta pelo título
Em Espanha, com esse modelo temos visto muitas vezes equipas pequenas a ganhar a liga...

Vão sonhando!

Enviado de meu POT-LX1 usando o Tapatalk

O verdadeiro adepto vê-se nas derrotas!
rpo.castro
rpo.castro Equipa Principal
  • *****
  • 13489
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1306 em: 28 de Fevereiro de 2021, 09:45 »
Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
Mas isso faz algum sentido? Então se assim for já estão centralizados...
Faz sentido se as percentagens forem parecidas com as que outros países implementaram. Em Espanha acho que é 50% para todos, 25% tendo em conta resultados desportivos e os outros 25% já tem a ver com fatores de número de adeptos (não sei precisar quais)
Agora tenho medo que em Portugal os "grandes" exerçam o seu poder para baixar os 50% para valores a rondar os 20%
É o que eu disse se assim for estejam quietos porque não vale a pena fazer nada. Os critérios deviam ser exatamente esses que mencionaste por cá caso contrario vai dar ao mesmo. É tapar o sol com a peneira e até envergonha.
100% de acordo
Um modelo como o espanhol é o passo necessário para o Braga se poder intrometer a sério na luta pelo título
Em Espanha, com esse modelo temos visto muitas vezes equipas pequenas a ganhar a liga...

Vão sonhando!

Enviado de meu POT-LX1 usando o Tapatalk
As ligas mais competitivas são as que apresentam menores diferenças entre os clubes.
Os 3 melhores campeonatos são o inglês, alemão e espanhol, com os jogos muito mais disputados e incertos do que cá, e no entanto não deixam de ter crônicos candidatos.
Poucas competições existem em que todos os anos é o vencedor diferente. Muito poucas.
Agora tens é muito mais equipas a andarem no topo e a ultrapassar com frequência as equipas de topo. Tanto tens um Getafe um leicester, west ham a lutar pela manutenção como aparecem em 3⁰ ou 4⁰.

Há vários modelos de centralização, similares no essencial: uma grande parte dos dividendos (50%) é distribuída igual por todos. Os restantes por diversos rankings de merito (na alemanha uma parte é o ranking a x anos das 2ligas).

Apenas é preciso tomates e forçar. Quem organiza a competição é quem detém os direitos de tudo o que toca à competição. É assim na FIFA,na UEFA e é também na taça da liga (na taça de portugal há também alguma centralização mas desconheço como funciona, acho que é só em determinada fase).

Na liga é conveniente deixar que dite a lei da selva, a lei do mais forte.
Obviamente com direitos centralizados, seguindo um modelo equilibrado, nunca um metralha conseguirá o que conseguem actualmente. E o sporting com os resultados que tem (uma andorinha não faz a primavera)nunca estaria tão próximo dos outros.

Agora os tomates para tal decisão, vêem se quando se empurraram as coisas para 2028. A dizer isto era preferível ficar calado.
Já existe legislação há muitoiss anos a obrigar 1 jogo em sinal aberto e nunca foi cumprido, nem sequer com os confinamentos. Está bem visto no que dará esta centralização em que os clubes esperamque sejam outros que façam o seu trabalho: imporem se e exigirem equidade.
Quem não sente não é filho de boa gente.
joaoPC Juniores
  • ***
  • 394
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1307 em: 28 de Fevereiro de 2021, 11:00 »


Eu pergunto, o que acontece se Benfica, Porto e Sporting não aceitarem a centralização? Ou, aceitando-a, exigirem manter os seus recebimentos atuais?
Eles vão ter de aceitar, aí não têm hipótese.
Podem é "obrigar" como tu dizes a que haja uma percentagem muito grande na classificação, no número de adeptos nos estádio e na audiência televisiva e sobra pouco para a percentagem que vai ficar definida para dividir por todos
Mas isso faz algum sentido? Então se assim for já estão centralizados...
Faz sentido se as percentagens forem parecidas com as que outros países implementaram. Em Espanha acho que é 50% para todos, 25% tendo em conta resultados desportivos e os outros 25% já tem a ver com fatores de número de adeptos (não sei precisar quais)
Agora tenho medo que em Portugal os "grandes" exerçam o seu poder para baixar os 50% para valores a rondar os 20%
É o que eu disse se assim for estejam quietos porque não vale a pena fazer nada. Os critérios deviam ser exatamente esses que mencionaste por cá caso contrario vai dar ao mesmo. É tapar o sol com a peneira e até envergonha.
100% de acordo
Um modelo como o espanhol é o passo necessário para o Braga se poder intrometer a sério na luta pelo título
Em Espanha, com esse modelo temos visto muitas vezes equipas pequenas a ganhar a liga...

Vão sonhando!

Enviado de meu POT-LX1 usando o Tapatalk

Não vês porque o Real e o Barça continuam e vão continuar a ter orçamentos muito superiores aos restantes. Só em merchandising e bilheteira devem fazer o dinheiro do orçamento de metade das equipas
Em Portugal isso não é assim. Quem sustenta os três são as TV's com dinheiro que devia ir para todos porque eles não jogam sozinhos
 
Existe campeonato muito competitivo em Inglaterra em que as receitas são distribuídas há mais tempo e tens o exemplo do Leicester campeão

E dizes que em Espanha não temos visto equipas pequenas a ganhar a liga. Eu não considero o Braga uma equipa pequena e se quiser comparar com Espanha, colocava o Braga ao nível do Atlético. Sempre a morder os calcanhares e a intrometer-se no meio dos outros dois
Anuncios M
Anuncios M
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 12962
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1308 em: 02 de Março de 2021, 07:57 »
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 12962
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1309 em: 03 de Março de 2021, 12:52 »
https://sjogadores.pt

Belenenses SAD e Sporting de Braga na Liga NOS e Benfica B e Penafiel na Liga SABSEG são os clubes que utilizam mais jogadores portugueses

Quase dois terços dos jogadores utilizados na Liga NOS são estrangeiros.

Dados do estudo “Utilização de Jogadores Portugueses e Estrangeiros”, desenvolvido pelo Sindicato dos Jogadores, relativo à primeira volta desta época.

(...)

Consulte o estudo na íntegra AQUI:
https://drive.google.com/file/d/18MWN0meJDp9c_U76YQhqh3n6Uv0n433W/view?usp=drive_web

em: https://sjogadores.pt/?pt=news&op=OP_SHOW_DETAIL&id=11292
Eskol Equipa Principal
  • *****
  • 2591
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1310 em: 03 de Março de 2021, 14:04 »
Citar
Liga apresenta hipótese de redução para 16 equipas a partir de 2022/23
Com a premissa de aumentar a competitividade e reduzir a densidade de jogos, bastante falada nos últimos tempos, o organismo, segundo escreve o jornal Record esta quarta-feira, apresentou esta possibilidade aos clubes, tendo em vista a época 2022/23. A hipótese não passa, para já, disso mesmo, já que para avançar terá de ser aprovada em Assembleia Geral (AG). da Liga. E caso a redução surja em 2022/23, a proposta terá mesmo de ser aceite até ao final desta temporada em AG, de forma a que os próximos campeonatos sejam revistos no que a subidas e descidas diz respeito. Esta hipótese já tinha sido levantada por Fernando Gomes, presidente da FPF, recentemente, e a época 2022/23 poderá ser a ideal para este ajuste, já que haverá Mundial no final do ano civil de 2022, obrigando a uma calendarização diferente do habitual. A confirmar-se, a Liga vai voltar a ter o formato que apresentou de 2006/07 a 2013/14, com 16 equipas (30 jornadas) a disputar o campeonato. Nas restantes épocas desta década, a Liga apresentou sempre 18 equipas, com 34 jornadas a serem jogadas.

Texto retirado do zerozero.pt
https://www.zerozero.pt/news.php?id=314973
Anuncios G
RuberAlbus
RuberAlbus Equipa Principal
  • *****
  • 1156
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1311 em: Hoje às 07:35 »
Uma boa proposta. Espero que avance.
(S)oon(C)hampion(B)raga
(S)oon(C)hampion(B)raga Equipa Principal
  • *****
  • 5501
  Re: Futebol português em debate
« Responder #1312 em: Hoje às 12:20 »
Citar
Liga apresenta hipótese de redução para 16 equipas a partir de 2022/23
Com a premissa de aumentar a competitividade e reduzir a densidade de jogos, bastante falada nos últimos tempos, o organismo, segundo escreve o jornal Record esta quarta-feira, apresentou esta possibilidade aos clubes, tendo em vista a época 2022/23. A hipótese não passa, para já, disso mesmo, já que para avançar terá de ser aprovada em Assembleia Geral (AG). da Liga. E caso a redução surja em 2022/23, a proposta terá mesmo de ser aceite até ao final desta temporada em AG, de forma a que os próximos campeonatos sejam revistos no que a subidas e descidas diz respeito. Esta hipótese já tinha sido levantada por Fernando Gomes, presidente da FPF, recentemente, e a época 2022/23 poderá ser a ideal para este ajuste, já que haverá Mundial no final do ano civil de 2022, obrigando a uma calendarização diferente do habitual. A confirmar-se, a Liga vai voltar a ter o formato que apresentou de 2006/07 a 2013/14, com 16 equipas (30 jornadas) a disputar o campeonato. Nas restantes épocas desta década, a Liga apresentou sempre 18 equipas, com 34 jornadas a serem jogadas.

Texto retirado do zerozero.pt
https://www.zerozero.pt/news.php?id=314973

Não concordo com nada disso!!!!

18 é o numero ideal... se nos melhores campeonatos do mundo... os big 5 é 18 ou 20 equipas... somos nos os tuguinhas que encontramos o ouro e vamos baixar para 16 equipas como os campeonatos pequininos para baixar o nivel de competitividade????

nada a ver... 18 tá muito bom!!!
one of the guys some users love to hate here in the forum
 

Anuncios M
Anuncios M