Quantcast
Tectos salariais pela competitividade
You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Tectos salariais pela competitividade
0 Respostas
1075 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Arsenalista
Arsenalista Equipa Principal
  • *****
  • 1900
  • Uma cidade, Um clube!
  Tectos salariais pela competitividade
« em: 31 de Janeiro de 2007, 10:27 »
Bom dia a todos,

Deparei hoje com um artigo que li n'OJogo e que pensei ser interessante para colocar aqui à discussão. Nos tempos que correm o futebol tem-se tornado cada vez mais negócio o que tem dilatado as assimetrias entre alguns clubes, uns a ficar mais ricos outros mais pobres. Consequência prática deste fenómeno é a falta de competitividade do campeonato.
Agora que foi eleito um novo presidente para a FIFA será que vai olhar para estas questões? Será que se podem tomar algumas medidas para dar ao futebol outra dinâmica competitiva?


"Tectos salariais pela competitividade
Diferentes formas de melhorar o futebol e travão no "tráfico de jogadores” foram temas abordados ontem em conferência
JOANA REI

A criação de um sistema eficaz para assegurar o equilíbrio competitivo das equipas, mediante o estabelecimento de tectos salariais, e a adopção de medidas que sustenham o “tráfico de jogadores jovens”. São estas algumas das recomendações propostas no relatório da Comissão Independente do Desporto Europeu, da qual José Luís Arnaut é o presidente.

O antigo ministro do Desporto apresentou as principais conclusões num colóquio sobre “Futebol e Identidade Cultural”, que teve lugar ontem na Federação Portuguesa de Futebol. Segundo o documento, a subida indiscriminada dos salários dos jogadores tem contribuído para alimentar desigualdades competitivas e comprometer a situação financeira de alguns clubes. Assim, a UEFA deveria estabelecer tectos máximos salariais, para que os clubes com maior poderio económico não pudessem concorrer com os outros de forma tão desigual no que toca a contratações, e assegurar um nível mais elevado de competitividade. A contratação de jovens jogadores, menores, que num curto espaço de tempo transitam entre vários clubes estrangeiros é outra das preocupações. Pretende-se que os serviços nacionais de imigração e inspecção do trabalho examinem a concessão de vistos de curto prazo e certificados de transferência internacionais para minimizar o risco de “tráfico de jogadores”.

Outra das sugestões é a regulamentação do sistema de apostas que financia ainda muitos clubes, para que as que existem na Internet se legalizem e cumpram as suas obrigações fiscais. Para além disto, o relatório manifesta ainda a necessidade de criar testes de idoneidade e um código de ética para todos os que interferem com o fenómeno futebolístico, em nome de uma maior transparência.
"
Bracara Avgvsta Fidelis et antiqva
 

Anuncios M
Anuncios M