You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anuncios M
Cidade Desportiva do SC Braga
1678 Respostas
221899 Visualizações
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 2727
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1360 em: 05 de Abril de 2020, 15:45 »
A Assembleia Geral da SAD do Sp. Braga, inicialmente agendada para o próximo dia 14 de abril, foi adiada para o dia 5 de maio. A confirmação surgiu em comunicado assinado por António Marques, onde foi explicada a alteração. "Face ao Estado de Emergência decretado em Portugal e à Pandemia gerada pelo vírus Covid-19, fica sem efeito a convocatória da Assembleia Geral Extraordinária de 14 de Abril de 2020", lê-se.

Ora, face às circunstâncias, a reunião de acionistas da SAD será realizada nesse dia 5 de maio, às 17h30, estando prevista realizar-se no auditório do Estádio Municipal de Braga, mas é provável que venha a decorrer através de videoconferência. Certo é que essa questão será avaliada mais perto da data, por forma a serem cumpridas todas as normas de segurança.

"De acordo com as recomendações da CMVM em relação à realização de Assembleias Gerais no contexto decorrente do impacto do novo Coronavirus – Covid 19, caso o Estado de Emergência Nacional se mantenha em vigor na data prevista para a Assembleia Geral esta realizar-se-á através de meios de comunicação à distância, por via telemática com recurso a videoconferência, em conjugação com meios presenciais ou não (dependendo da eventual necessidade dos trabalhos e do que a declaração do Estado de Emergência Nacional permitir)", refere a nota divulgada pela Mesa da Assembleia Geral da SAD.

Na ordem de trabalhos estão dois pontos: a apresentação e aprovação do projeto referente à segunda fase da Cidade Desportiva do Sp. Braga e apresentação do projeto denominado "Estádio Centenário" (um recinto previsto no âmbito da segunda fase da Cidade Desportiva) e aprovação dos custos previsíveis com a obra.

in https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sp--braga/detalhe/assembleia-geral-da-sad-do-sp-braga-podera-ser-realizada-em-videoconferencia?ref=Sp.%20Braga_DestaquesPrincipais
bragaaocomando Juvenis
  • **
  • 104
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1361 em: 06 de Abril de 2020, 01:03 »
Estádio Centenário? Estão a falar do mini estádio da academia,certo?
Anuncios M
Anuncios M
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 6607
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1362 em: 06 de Abril de 2020, 11:15 »
″Tive convites de Barcelona e United, mas optei pelo contrato profissional com o Braga″

ENTREVISTA - Pedro Neto formou-se e estreou-se como profissional pelo Braga. Em conversa com O JOGO, lança um olhar sobre o momento atual do clube minhoto.

Foi lançado por Abel Ferreira na I Liga com apenas 17 anos, tornando-se no jogador mais novo de sempre a marcar num jogo de estreia. O que guarda do seu último treinador em Portugal?
-Ajudou-me muito na transição da equipa B para a principal do Braga. É um treinador muito ambicioso e as equipas dele têm essa matriz. Marcou-me. Queria sempre que eu desse o meu melhor, jogando o meu futebol.

Depois de ter deixado o Braga ainda na fase inicial da carreira, tenciona representar algum clube especial em Portugal se um dia regressar? 
-Há quatro grandes em Portugal: Benfica, FC Porto, Sporting e Braga. Se tiver que regressar a Portugal, admito qualquer hipótese, desde que me sinta bem. Para já, só estou focado no Wolves e em dar um salto na minha carreira.

Qual é a equipa mais forte nesta altura em Portugal? 
-Desde a chegada do Rúben Amorim, é o Braga. É a equipa que está em melhor forma e a praticar melhor futebol. Resta saber como será daqui para a frente, porque o Rúben foi para o Sporting.

O que falta ao Braga para ser campeão nacional? 
-O Braga tem uma equipa muito completa e uma estrutura muito boa. Falta-lhe talvez alguma experiência em discutir títulos e também não é fácil competir com equipas que têm orçamentos superiores. Tem faltado ao Braga ainda aquela sortezinha de campeão. Será uma questão de tempo.

Antes da mudança para a Lázio, teve convites de outros clubes? 
-Tive do Barcelona e do Manchester United, há três anos. O meu pai chegou a visitar as academias desses clubes, mas depois optei por assinar contrato profissional com o Braga e ficar mais uma época.

É um jogador mais influente como suplente utilizado ou como titular? 
-Trabalho sempre para ser útil, de preferência como titular. Quando entro nos jogos, tento sempre ajudar, mas quero conquistar o meu espaço.

Já falou com Trincão depois de ter ficado acertada a transferência para o Barcelona?
-Sim, mas nem temos falado muito sobre isso. Para mim, é um orgulho ver que um amigo vai longe na carreira e que vai para um grande patamar.

Há mais Netos e Trincões nos bês e juniores do Braga?
-O Braga tem uma formação muito boa. Desde que saí, melhorou muito. Está ao nível dos três grandes. É difícil saber se ainda restam jogadores com a qualidade do Trincão ou com a minha, mas é garantido que o clube tem jogadores com muita qualidade. Acredito que não faltarão mais Pedros Netos e Trincões.

em: https://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/braga/noticias/tive-convites-de-barcelona-e-united-mas-optei-pelo-contrato-profissional-com-o-braga-12033162.html
bragaaocomando Juvenis
  • **
  • 104
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1363 em: 06 de Abril de 2020, 11:47 »
Alguém sabe quantos lugares vai ter o Mini Estádio da 2 fase da Cidade Desportiva? E o Pavilhão multiosos?
Anuncios V
Carvalhux
Carvalhux Equipa Principal
  • *****
  • 1580
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1364 em: 06 de Abril de 2020, 16:07 »
Alguém sabe quantos lugares vai ter o Mini Estádio da 2 fase da Cidade Desportiva? E o Pavilhão multiosos?
https://ominho.pt/wp-content/uploads/2018/09/Cidade-Desportiva-SC-Braga.png
Aqui fala de 1500 para o estádio e 1000 para o pavilhão.
Mas acho que o projecto já sofreu alterações e em baixo já falta em 2200 para o estádio. Provavelmente essa alteração deve estar relacionada com o Estádio Centenário, digo eu.
https://scbraga.pt/2a-fase-da-cidade-desportiva/
« Última modificação: 06 de Abril de 2020, 16:09 por Carvalhux »
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 6607
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1365 em: 07 de Abril de 2020, 18:42 »
"OS SUB-19 SÃO UMA PASSAGEM PARA O FUTEBOL PROFISSIONAL"

A época terminou de forma abrupta, mas os resultados dos Sub-19 do SC Braga vão continuar na memória dos que seguem o trabalho da Cidade Desportiva. Vinte e seis jogos sem perder fizeram com que, até o Campeonato ser interrompido, o conjunto treinado por Artur Jorge nunca conhecesse o mais amargo dos sabores dentro de campo.

Fora dele, a notícia do cancelamento da prova foi recebida pelo histórico capitão com tristeza, nada que ponha, ainda assim, em causa a maior vitória da temporada: colocar uma equipa a jogar bom futebol e manter vivo o sonho que dá corda às chuteiras dos miúdos – chegar ao plantel principal. Artur Jorge não tem dúvidas: alguns deles vão mesmo conseguir.


"Há muitos jogadores dos Sub-19 que vão chegar à 1ª e 2ª Ligas"
Como foi recebida a notícia do cancelamento do Campeonato?

São tempos difíceis, principalmente no lado social, estamos privados da nossa liberdade a bem da saúde. Como consequência disto, vimos o nosso Campeonato ser suspenso, agora cancelado. Tínhamos legítimas expectativas de lutar pelo título, lamentamos por isso, mas compreendemos a decisão da Federação.


Que gestão implicou dentro do grupo?

Nós ainda estamos a treinar, até por indicação do Presidente, pois temos mais três plantéis acima que ainda estão a competir (Sub-23, Equipa B e Equipa A). Estamos a tentar fazer o trabalho possível. Vimos com tristeza o facto do Campeonato ser cancelado. Fiquei triste até mais pelos jogadores, este plantel do último ano de formação. Há jogadores que terminaram este período de forma abrupta quando tinham esta última oportunidade para conquistar um título. Mas fica o brilhantismo de uma época onde não tivemos qualquer derrota nos 26 jogos que fizemos.


Surpreendeu a forma como a equipa se comportou?

A equipa de sub-19 não esteve sempre na máxima força porque tínhamos jogadores a competir num contexto mais desafiante, mais exigente. (sub-23 e B).  Os que ficaram no plantel souberam dar uma grande resposta, fizeram pela vida, sempre muito competentes e comprometidos e estamos muito orgulhosos. O balanço são os números, mas o verdadeiro balanço desta temporada será o aproveitamento que poderemos ter daqui para frente destes jogadores.


"Há muitos jogadores dos Sub-19 que vão chegar à 1ª e 2ª Ligas" 1
"Há muitos jogadores dos Sub-19 que vão chegar à 1ª e 2ª Ligas" 2


Qual foi o ‘segredo’ para manter a equipa sempre motivada?

Mais de metade dos jogadores são juniores de primeiro ano. Acima de tudo, tiveram a capacidade de interpretar o que lhes era pedido. Nunca faltou o trabalho e a sinceridade, importante na relação dentro do grupo e entre treinador e jogadores. Depois, claro, os objetivos que fomos criando ao longo da época para que nos fossemos superando. Tínhamos um objetivo coletivo, muito mais importante que os individuais.


O que sentiu ao ver jogadores deste escalão competirem noutros escalões?

Para mim é uma grande satisfação, os Sub-19 são uma passagem para o futebol profissional sénior. Temos o exemplo do Schurrle, que foi o único com idade de júnior que não jogou pelos Sub-19. Mas não fico triste por isso, pelo contrário, muito contente. Ele afirmou-se na Equipa B e eu gosto de o ver jogar na Equipa B com aquele nível. Dei o meu pequeno contributo para que isso fosse possível e é algo que me deixa feliz.

 em: www.scbraga.pt
bragaaocomando Juvenis
  • **
  • 104
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1366 em: 07 de Abril de 2020, 20:16 »
Off Topic
Alguém sabe qual foi a maior goleada de sempre do Braga na primeira divisão?
Fui interrogado sobre isso,mas não encontro em lado nenhum. Alguém sabe?
Carvalhux
Carvalhux Equipa Principal
  • *****
  • 1580
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1367 em: 07 de Abril de 2020, 21:57 »
Off Topic
Alguém sabe qual foi a maior goleada de sempre do Braga na primeira divisão?
Fui interrogado sobre isso,mas não encontro em lado nenhum. Alguém sabe?
Em casa 7-0 ao Belenenses e ao Torreense na década de 50.
Fora 7-1 ao Belenenses esta época e 6-0 ao Estoril em 17/18
De resto os pasteis têm sido um doce para nós  ;D Ainda me lembro do 5-0 no restelo com o Jesus ao comando ( jogaço ) e do 7-1 com o Conceição para a taça.
https://www.zerozero.pt/team_competition.php?op=r&id_equipa=15&id_comp=3
Anuncios M
Anuncios M
bragaaocomando Juvenis
  • **
  • 104
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1368 em: 07 de Abril de 2020, 22:28 »
Off Topic
Alguém sabe qual foi a maior goleada de sempre do Braga na primeira divisão?
Fui interrogado sobre isso,mas não encontro em lado nenhum. Alguém sabe?
Em casa 7-0 ao Belenenses e ao Torreense na década de 50.
Fora 7-1 ao Belenenses esta época e 6-0 ao Estoril em 17/18
De resto os pasteis têm sido um doce para nós  ;D Ainda me lembro do 5-0 no restelo com o Jesus ao comando ( jogaço ) e do 7-1 com o Conceição para a taça.
https://www.zerozero.pt/team_competition.php?op=r&id_equipa=15&id_comp=3

Obrigado!
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 6607
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1369 em: 08 de Abril de 2020, 14:43 »
DINIS GAMA, O "PREDESTINADO"

Por trás de uma família existem grandes  histórias e a estória que aqui trazemos junta a curiosa e duradoura relação entre uma família e um clube: o SC Braga. Falar dos “Gama” é falar do passado, do presente e futuro de um elo que, de geração em geração, se mantém bem vivo. Do avó aos cinco tios, é agora sobre Dinis Gama que recaem as maiores esperanças e é do talentoso jovem que nasce o motivo desta conversa.


Será coisa do destino? Talvez. Somos naturalmente levados a pensar num trajeto óbvio, mas a verdade é que não foi bem assim. Por vezes até o destino exige uma tomada de ação, de desvio ou escolha. Aos seis anos, Dinis estava no FC Porto e optou por percorrer outro caminho; hoje, brilha tanto ao serviço do SC Braga como da Seleção Nacional, venceu uma lesão que o afastou meio ano dos relvados e, num 2020 de realidade social atípica, os primeiros meses foram para nunca mais esquecer.

Preparem-se para a viagem, pois da assinatura do contrato profissional à entrega do Galardão Gverreiro Cidade Desportiva ela vai até fora das quatro linhas e só para na licença da carta de caçador…


Um dia cheguei ao treino e disse: “Pai, nunca mais entro aqui”
 

Recuando até ao início de tudo, quando nasceu a tua relação com o futebol?

Comecei a jogar no clube da terra, o Vilaverdense FC, com apenas quatro anos e ingressei logo no escalão acima. Continuei por dois anos até que o FC Porto veio fazer uma captação e chamaram-me. Fui para o FC Porto, mas estive lá apenas dois meses.


Como correu a experiência?

Foi muito difícil… Uma adaptação muito complicada, mentalmente fui-me desgastando. O meu pai levava e trazia-me todos os dias para os treinos, chegava a casa sempre às 23h30/meia-noite. Era longe, estava constantemente cansado e desisti. Entretanto tinha dois primos meus que se encontravam nas escolinhas do SC Braga e acabei também por entrar. Um deles é o Afonso Gama, que joga comigo nos Sub-17.
 

A decisão de vir para o SC Braga deveu-se mais à influência dos teus primos ou dos teus pais?

De nenhum dos dois, foi uma iniciativa minha, completamente. Até porque nem falava muito com o meu pai sobre aquilo que estava a sentir no FC Porto, mas um dia cheguei ao treino, entrei no Vitalis e disse: “Pai, nem sequer vou treinar, nunca mais entro aqui”. Cheguei a meio do campo, vim para trás e não mais lá apareci. O meu pai ainda tentou convencer-me, falava: “Vai, vai, não faças isso”, mas não houve volta, não havia nada que me conseguisse dar a volta. Quem tomou a decisão fui eu.


E as reações?

Na altura os meus pais não aceitaram muito bem a minha saída do FC Porto, queriam que tivesse ficado lá, mas com o tempo perceberam que foi o melhor para mim. A minha família sempre foi ligada ao SC Braga e concordaram que foi a decisão acertada, tanto em termos de distância como de adaptação. Não me cansava tanto e estava muito mais motivado.

 
Voltando ao teu passado familiar, conta-nos essas ligações ao clube:

Para além do meu primo Afonso Gama, com quem estou nos Sub-17, todos os meus tios passaram pelo SC Braga, uns com mais sucesso do que outros, como é natural. Foram eles o meu tio Rui Gama, que chegou até à equipa A e à Seleção Nacional, o Bruno Gama, que também passou pela equipa principal e continua a jogar na Grécia, o Augusto Gama, que neste momento é adjunto do Rio Ave FC, o José Alberto Gama, que jogou até à equipa B, o meu tio Feliciano Gama e ainda o meu avô Alípio Silva, que atuaram ambos até aos juvenis do SC Braga.


Foto de grupo superior: Alípio Silva (primeira fila, segundo jogador a contar da direita)
Foto de grupo inferior: José Alberto Gama (segunda fila, sexto jogador a contar da direita)
Foto superior individual: Augusto Gama
Seguem-se, na sequência, Rui Gama, Feliciano Gama e, por último, Bruno Gama.
 

Eles são pessoas presentes e atentas ao teu percurso?

Infelizmente os meus tios não podem acompanhar os meus jogos tanto quanto gostariam, mas tentam fazê-lo nem que seja através da transmissão facebook. Ao domingo costumamos todos ir almoçar à minha avó e eles felicitam-me, dizem-me se joguei bem, se não joguei, o que podia melhorar… há sempre um ou outro conselho, claro, são pessoas muito atentas e importantes no meu percurso.


E agora és tu quem está a traçar o seu caminho…

Sim, é um facto, e claro que eu gostava muito de dar continuidade a esta história. Eles depositam alguma esperança em mim para que esse legado de família continue, mas acima de tudo para que chegue mais longe do que eles chegaram. E eu também quero: tenciono alcançar metas mais elevadas e ser melhor do que eles foram, é um objetivo para mim.


Com tantos homens na família ligados ao futebol, como é que a tua avó lida com isso?

Ela tem muito orgulho, guarda tudo. Há um armário na casa dela com todos os troféus dos meus tios, sejam prémios, camisolas deles e de outros jogadores, chuteiras que usaram, está tudo naquele armário. Posso dizer que a grande maioria pertence ao meu tio Bruno, que foi campeão europeu pela seleção Sub-17 e muitas recordações dessa altura estão na casa da minha avó. 99% do que eles ganharam encontra-se lá guardado.


És também um dos nosso jovens internacionais. As chamadas sucederam-se e entretanto participaste na CONCACAF em Agosto de 2019. Portugal venceu o Torneio mas para ti teve um sabor agridoce…

Sem dúvida… Não é fácil vir de um momento tão bom, quando tudo estava a correr tão bem, e de repente ficar tanto tempo lesionado. Existiram momentos em que pensei que já nem sequer ia recuperar, mas tive de me manter otimista, com mentalidade correta, de que tudo ia passar.
 

Quando é que a lesão aconteceu?

No jogo da final, a disputar um lance de cabeça. caí mal, bati com o cóccix e ele partiu. Fiquei em campo até ao final, pois no primeiro dia não senti dor. Quando comecei a sentir foi na viagem, tive dores insuportáveis no avião, não me consegui sentar, nem mesmo quando cheguei a casa. Quando regressei ao SC Braga treinei logo no primeiro dia e não aguentei. Falei com a equipa médica no fim do treino, fiz a radiografia e deu o cóccix faturado.


E depois?

Parei um mês e após esse tempo joguei vinte minutos contra o Rio Ave FC. Na segunda semana fui titular contra o Moreirense FC, marquei um golo mas logo na primeira parte tive uma dor muscular, vim a descobrir que era uma rotura do efemural. Foi tudo demasiado rápido, devia ter ido com mais calma… O meu corpo ressentiu-se.


Seguiu-se novamente outra recuperação…

Sim, foram vários meses só a tratamento, em seguida passei ao ginásio, depois corridas até que voltei ao relvado. Mas tudo com muita calma, a fazer as coisas devagar. Quando recuperei comecei a jogar pouco a pouco o que também não foi fácil, pois fisicamente estava muito em baixo. Com 10 minutos de corrida parecia que caía para o lado.


A ‘bonança’ veio com a assinatura do teu contrato profissional e a distinção na Gala Legião de Ouro. O que é que isto significou para ti?

Quando soube que ia assinar contrato ainda estava lesionado, ajudou muito saber que, mesmo com os problemas que estava a atravessar, o clube continuava a confiar em mim. Quanto ao Galardão foi um orgulho enorme, um reconhecimento do meu trabalho ao longo destes anos no SC Braga e não poderia ficar de outra forma que não fosse muito, muito feliz. Há todo um processo desde que cheguei ao SC Braga, de altos e baixos, mas esse está certamente nos pontos mais altos que já vivi.


Sentes que alguma coisa mudou desde aquele dia?

Nada, esse troféu não acrescentou nada. Só acrescentou mais responsabilidade e ambição. Foi bom, já passou e agora ambiciono cada vez mais.
 

Para além do futebol há outra parte que não nos podemos esquecer: os estudos. Como está a ser conciliar as duas coisas?

Neste momento estudo no 10º ano do curso de Ciências em Tecnologias e o que posso dizer é que meti-me num inferno… (risos). Era muito mais fácil mudar para outro curso, mas eu gosto muito de Ciências e acho que é das áreas que me dá mais opções para o futuro. No futebol nada é garantido, neste momento está a correr bem mas de repente pode tombar, portanto, tenho de ter sempre uma alternativa. Claro que conciliar as duas coisas a um alto nível exige muito, mas também acho que não se consegue nada sem um pouco de sacrifício.


Quanto a hobbies, há algum que nos queiras contar?

Sim, por acaso tenho um hobbie muito estranho e que muitos treinadores sabem, que é a caça. O mister César chama-me ‘caçador’, o meu avô caça há muito tempo e desde pequeno, desde os meus quatro anos, que ele me leva com ele para o monte. Mesmo com 76 anos, o meu avô sempre foi o meu companheiro nesta aventura. Este hobbie é das coisas que mais gosto de fazer, tanto que estou à espera para tirar em breve a carta de caçador.
 

Ou seja, se não tivermos jogador de futebol vamos ter alguém ligado à área da ciência ou da caça, correto?

Exatamente (risos). Primeiro está o futebol e a escola, mas a verdade é que a cada ano que passa é mais difícil. Neste ano letivo tentei tirar alguma pressão porque sou um aluno com boas notas, com média de 16 valores, alguém que gosta de ter bom rendimento escolar e essa pressão que eu próprio coloco para conciliar tudo prejudica-me muitas vezes. Agora retirei alguma pressão nesse sentido, coloquei o futebol como a minha prioridade e depois os estudos. São dois mundos distintos, mas sinto que ainda tenho muito para viver dentro do futebol e que o futuro me reserva muitas coisas boas.

em: www.scbraga.pt
 
Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 6607
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1370 em: 09 de Abril de 2020, 10:50 »
Os jogadores do futebol português que estão na base de dados de Luís Campos

Entrevista do Maisfutebol a Luís Campos, diretor desportivo do Lille, que fala dos jogadores que segue atentamente em Portugal e revela que esteve perto de contratar Trincão quando estava no Mónaco


Luís Campos, em entrevista ao Maisfutebol, não tem problemas em nomear os jogadores que mais o encantam em Portugal e diz que seguramente vai voltar a contratar no futebol português em breve, depois de nos últimos anos ter garantindo nomes como Bernardo Silva, João Moutinho, James, Rafael Leão ou Xadas, e já esta época Onana e o treinador Jorge Maciel na Liga Revelação. Pelo caminho, o diretor desportivo do Lille revela que esteve perto de contratar Trincão quando estava no Mónaco, chegou a reunir com o jogador, com a família e com os agentes, pelo que reconhece um talento extraordinário ao jovem agora adquirido pelo Barcelona.

Que jogador do campeonato português gostava de levar para o Lille?

Toda a gente percebe que o Lille não pode comprar os melhores jogadores do Benfica, do FC Porto ou do Sporting, são extremamente caros, têm cláusulas de rescisão altíssimas. Depois há clubes como o Sp. Braga, o V. Guimarães, o V. Setúbal, o próprio Moreirense, têm excelentes jogadores. Pelo nosso ADN, procurámos sempre jovens talentos e há muitos em Portugal.

Pode ir aí à sua base de dados...?

No FC Porto posso falar de Romário Baró, do Fábio Silva, do Tomás Esteves, no Benfica posso falar de Florentino, Tomás Tavares, David Tavares e o Jota, no Sporting Joelson Fernandes, Nuno Tavares e Rodrigo Fernandes. Depois o Sp. Braga é um dos clubes que melhor tem trabalhado a formação, consegue ter sempre jovens muito interessantes. O trabalho do António Salvador tem permitido ao Sp. Braga ter frescura económica e bons resultados desportivos, é um clube que não se preocupa apenas em fazer a gestão económica a partir dos direitos televisivos, mas tenta gerar outro tipo de receita, formando bons jogadores e vendendo-os mais tarde.

Portanto continua a haver muitos jogadores do campeonato português na sua base de dados...

Sim, estes são os mais conhecidos, são quase todos internacionais portugueses, mas existem outros, em equipas mais pequenas. Recordo que uma das contratações que fizemos em janeiro foi o Onana, de 19 anos, que estava no Leixões sub-23. E já foi titular na equipa principal do Lille.

Surpreendeu-o que o Trincão fosse já para o Barcelona?

É uma decisão que respeito dele, da família dele, dos agentes dele. O Barcelona está entre os cinco melhores clubes do mundo. É um desafio alto que ele coloca a ele mesmo, mas ele é de facto um jogador com um imenso potencial. Já o conheço há muito tempo, já me sentei com ele, com a família dele e com os agentes à mesa, para o tentar convencer a ir na altura para o Mónaco. Foi por muito pouco que não aconteceu. Aliás, só não aconteceu porque eu acabei por sair do Mónaco nesse ano. Portanto é um jogador que conheço bem e ao qual reconheço um potencial extraordinário. Espero que ele tenha capacidade de dar resposta já num clube de altíssimo grau e altíssima exigência, como é o Barcelona.

Se não tivesse saído do Mónaco naquela altura, acredita que o trajeto do Trincão teria passado por aí?

Penso que sim, penso que sim. Naquela altura fizemos uma aposta grande em jovens jogadores portugueses e penso que o Trincão teria acontecido. Foi alvo de discussão, foi alvo de reuniões com o jogador e com os agentes, mas por outras razões acabou por não acontecer. Portanto é um jogador que já conheço e aprecio há muitos anos.

em: https://maisfutebol.iol.pt/entrevista/fc-porto/os-jogadores-do-futebol-portugues-que-estao-na-base-de-dados-de-luis-campos


--------------


Os princípios de scouting de Luís Campos para encontrar jovens craques

Luís Campos deu nas vistas no Mónaco com vendas de quase mil milhões de euros e agora tenta fazer o mesmo no Lille. Na última época vendeu Pélé por 80 milhões de euros, depois de o contratar por 8 milhões. Em entrevista ao Maisfutebol explica como faz para eleger o reforço que acredita ser o tal: como ele trabalha, como se organiza, qual é o seu modelo de scouting e do que sente que é preciso para se poder trabalhar nesta área. Por fim, e apesar de ter sete scouts a trabalhar para ele, garante que nenhuma decisão é tomada sem ele próprio ver o jogador várias vezes em ação.



Um processo de contratação de um jogador tem muitos passos até de facto se fazer a contratação?

Sim, é um processo complexo. Afinei esta minha veia para a área do scouting quando comecei a trabalhar no Real Madrid, com José Mourinho. Fui desenvolvendo a minha própria base de dados e o Mónaco foi a minha caixa de pandora, onde pude colocar em prática todo o manancial de informações que eu tinha e onde me fui desenvolvendo cada vez mais.

Geralmente por onde começa?

Há passos extremamente importantes. Não é difícil ser scout. Se eu for ao futebol com um dos meus irmãos, porque gostam de futebol, eles vão conseguir dizer-me se um jogador é bom ou não. Ainda para mais hoje existem aplicações que nos dão todos os dados estatísticos dos jogadores, existem aplicações que nos dão imagens vídeo dos jogadores, por isso não é difícil. Mas é preciso gostar de futebol. Viajar, ver, observar, ler, estudar as estatísticas e utilizar os algoritmos ajuda imenso na primeira fase. Depois, o que faz a diferença para mim, tem a ver com avaliar e projetar um jogador dentro do nosso próprio clube. Às vezes vejo um jogo e não é aquele jogador que está a fazer vibrar toda a gente que me interessa. Construir uma equipa é conseguir fazer que os jogadores combinem entre eles, fazer com que se liguem. Por isso é preciso avaliar e projetar os jogadores no nosso puzzle. A peça tem de chegar lá e fazer clique. E isso já não é para todos.

É preciso um talento especial?

É preciso conhecer muito bem o país, o a região, o clube, o modelo do nosso treinador, o estilo de jogo da equipa. Por exemplo é impossível contratar um lateral direito sem perceber o ala direito, o central pela direita e o médio pela direita que jogam na nossa equipa. Depois há um último passo que tem tanta importância como este: podem escolher a peça certa, mas se não criarmos um clima ou condições para estes jogadores jogarem e se exprimirem, não valeu a pena todo o trabalho. Muitas vezes há bons jogadores mal projetados no contexto da equipa para onde vai. E muitas vezes o clube não cria condições para que o jogador possa se exprimir. Existem três velocidades: a velocidade de adaptação – chegar e ter capacidade de se adaptar -, a velocidade de maturação – há jogadores que amadurecem muito mais depressa e por vezes é preciso esperar pela maturação -, e por fim a velocidade da oportunidade: muitas vezes contratamos um jogador para ser número dois naquela posição e ele afirma-se rapidamente, ou o contrário, que também acontece.

Depois o seu modelo de scouting tem vários planteis de possíveis contratações, não é?

Fui criando o meu próprio modelo de scouting. Não gosto de scouting locais, gosto de scouting universais, porque o mundo tem-se tornado cada vez maior e o futebol não fugiu à globalização. Se vamos discutir um lateral direito, e vamos imaginar que é espanhol, todos os meus sete scouts têm de não só de conhecer as estatísticas dele e vê-lo inúmeros vezes em vídeo, como de ir vê-lo várias vezes ao vivo e dar um veredicto se é ou não o jogador que procuramos. Eu utilizo o método comparativo: o scout tem de comparar esse jogador com outro que viu em Portugal, em França, no Mali, no Brasil ou na Noruega. Os meus scouts são obrigados a viajar imenso e têm que mudar de zona quase mensalmente para que possam conhecer outro tipo de jogadores.

E os planteis de reforços como funcionam?

Como diretor desportivo tenho de ter várias soluções. Porquê? Porque mais uma vez entra o fator económico. Todos gostávamos de contratar só jogadores de quinze, vinte e trinta milhões. Mas se o meu presidente me diz que só tenho trinta milhões para investir no mercado todo, só tenho trinta milhões. Se um ponta de lança me custa dez milhões, sobram-me vinte milhões para os outros jogadores todos. E já não posso comprar o guarda-redes que custa dez milhões. Por isso crio com os meus scouts lista de nove jogadores por posição: três jogadores de zero a três milhões, três jogadores de três a seis milhões e três jogadores de seis a dez milhões. Isto porque o nosso gap de contratações geralmente vai do zero a dez milhões. Portanto fazemos uma lista de nove jogadores por posição, que no final da época discutimos com o treinador e com o presidente, para que possamos tomar a melhor decisão desportiva, mas também económica, para que possamos manter o Lille um clube estável e financeiramente equilibrado.

E nenhuma contratação é feita sem que o Luís Campos observe esse jogador ao vivo, não é?

Sim. Eu uso muito o fast scouting: tenho gente que trabalha comigo que só faz análises rápidas, para que o funil vá começando a selecionar. Depois os meus scouts afunilam ainda mais e, portanto, sou um privilegiado: vou ao trabalho destes, sem eles saberem quais foram os outros jogadores indicados pelos outros scouts, porque nunca sabem, acabo por, através do método comparativo, porque todos observaram os mesmos jogadores, chegar ao jogador correto. Depois vou ver ao vivo e analisar se é a peça correta, se é a peça que faz o clique no nosso puzzle. Não colocando nunca em causa o futuro do clube do ponto de vista económico.

É muito difícil aturar, entre parêntesis, os empresários sempre a tentar vender os jogadores deles?

Não, faz parte. Os empresários tentam vender sempre os jogadores deles como sendo os melhores. Às vezes têm razão, outras vezes não têm.

E é importante dar-se bem com os empresários?

Claro que sim, claro que sim. Os empresários acabaram por se tornar peças importantes e que nos ajudam muitas vezes a tomar as melhores decisões. Eu não olho para os empresários como inimigos. Os empresários defendem os direitos dos jogadores, o que é normal. Os jogadores têm direitos e quando assinam com um empresário é para este defender os direitos deles. É normal que eu me relacione bem, os trate bem, os considere e os ouça, até para eles me darem boas informações. E bons preços.

Acredita que pode fazer no Lille o que fez no Mónaco, sendo campeão?

Quando o Mónaco foi campeão o PSG já era forte. Mas acho que a equipa atual do PSG é a que tem o plantel mais forte de sempre. Por isso existe uma grande diferença no budget que o PSG e o Lille têm. O ano passado ser segundo na liga francesa foi quase como ser primeiro, e ainda conseguimos ganhar por 5-1 ao PSG. Porque eles são de facto uma equipa extraordinária, um clube enorme e para o Lille ser campeão teriam de estar reunidas condições extraordinárias, como aconteceu no ano em que o Mónaco foi campeão.

em: https://maisfutebol.iol.pt/entrevista/internacional/os-principios-de-scouting-de-luis-campos-para-encontrar-jovens-craques
Anuncios G
Guerreiro03 Equipa Reservas
  • ****
  • 767
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1371 em: 09 de Abril de 2020, 19:07 »
Estádio Centenário? Estão a falar do mini estádio da academia,certo?

São coisas distintas, pelo que me parece. No entanto, as pouquíssimas informações divulgadas na comunicação social não são claras. O mini estádio da Cidade Desportiva estará incluído no projeto da segunda fase desta infraestrutura, sendo que, tendo em conta o referido anteriormente em Assembleias Gerais e em outras ocasiões esta segunda fase terá um custo estimado de 11 milhões de euros , incluindo o miniestádio com capacidade para acolher os jogos da equipa B, Feminina (terá 2200 lugares , supostamente), áreas residenciais para o futebol profissional e para o futebol de formação,  um pavilhão multiusos, um novo espaço de trabalho do futebol profissional, serviços administrativos, loja do associado e do museu, entre outras valências. . O "Estádio Centenário" será outro projeto sobre o qual não se sabe nada, a não ser que será discutido , tal como a segunda fase da Cidade Desportiva, na Assembleia Geral da SAD em Maio, e que terá segundo a informação que um forista referiu que estava num jornal , o custo de 25 milhões de euros. Não se sabe em que consiste, nem a localização. As informações relativas, quer à segunda fase da Cidade Desportiva, quer ao Estádio Centenário, já estão disponíveis no site , mas apenas com a acesso autorizado aos acionistas.
bragaaocomando Juvenis
  • **
  • 104
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1372 em: 09 de Abril de 2020, 22:07 »
Estádio Centenário? Estão a falar do mini estádio da academia,certo?

São coisas distintas, pelo que me parece. No entanto, as pouquíssimas informações divulgadas na comunicação social não são claras. O mini estádio da Cidade Desportiva estará incluído no projeto da segunda fase desta infraestrutura, sendo que, tendo em conta o referido anteriormente em Assembleias Gerais e em outras ocasiões esta segunda fase terá um custo estimado de 11 milhões de euros , incluindo o miniestádio com capacidade para acolher os jogos da equipa B, Feminina (terá 2200 lugares , supostamente), áreas residenciais para o futebol profissional e para o futebol de formação,  um pavilhão multiusos, um novo espaço de trabalho do futebol profissional, serviços administrativos, loja do associado e do museu, entre outras valências. . O "Estádio Centenário" será outro projeto sobre o qual não se sabe nada, a não ser que será discutido , tal como a segunda fase da Cidade Desportiva, na Assembleia Geral da SAD em Maio, e que terá segundo a informação que um forista referiu que estava num jornal , o custo de 25 milhões de euros. Não se sabe em que consiste, nem a localização. As informações relativas, quer à segunda fase da Cidade Desportiva, quer ao Estádio Centenário, já estão disponíveis no site , mas apenas com a acesso autorizado aos acionistas.

Se fosse o tal novo estádio falado pelo Salvador seria a meu ver uma péssima notícia. O Municipal serve perfeitamente até 2034, claro que não é o mais acessível ,mas mais vale do que gastar milhões noutro e ainda acabar como o Boavista...o Boavista era um grande clube,o Braga das antiguidades...depois do estádio ficou cheio de dívidas,ganhou um estádio e perdeu o sucesso desportivo...
Guerreiro03 Equipa Reservas
  • ****
  • 767
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1373 em: 09 de Abril de 2020, 22:37 »
Estádio Centenário? Estão a falar do mini estádio da academia,certo?

São coisas distintas, pelo que me parece. No entanto, as pouquíssimas informações divulgadas na comunicação social não são claras. O mini estádio da Cidade Desportiva estará incluído no projeto da segunda fase desta infraestrutura, sendo que, tendo em conta o referido anteriormente em Assembleias Gerais e em outras ocasiões esta segunda fase terá um custo estimado de 11 milhões de euros , incluindo o miniestádio com capacidade para acolher os jogos da equipa B, Feminina (terá 2200 lugares , supostamente), áreas residenciais para o futebol profissional e para o futebol de formação,  um pavilhão multiusos, um novo espaço de trabalho do futebol profissional, serviços administrativos, loja do associado e do museu, entre outras valências. . O "Estádio Centenário" será outro projeto sobre o qual não se sabe nada, a não ser que será discutido , tal como a segunda fase da Cidade Desportiva, na Assembleia Geral da SAD em Maio, e que terá segundo a informação que um forista referiu que estava num jornal , o custo de 25 milhões de euros. Não se sabe em que consiste, nem a localização. As informações relativas, quer à segunda fase da Cidade Desportiva, quer ao Estádio Centenário, já estão disponíveis no site , mas apenas com a acesso autorizado aos acionistas.

Se fosse o tal novo estádio falado pelo Salvador seria a meu ver uma péssima notícia. O Municipal serve perfeitamente até 2034, claro que não é o mais acessível ,mas mais vale do que gastar milhões noutro e ainda acabar como o Boavista...o Boavista era um grande clube,o Braga das antiguidades...depois do estádio ficou cheio de dívidas,ganhou um estádio e perdeu o sucesso desportivo...
Isto é a interpretação da pouca informação que está disponível . Pode estar errada . Acho que 25 milhões é demasiado para a segunda fase da Cidade Desportiva , quando se falou inicialmente num valor de 11 milhões. Até pela lógica da informação disponível na convocatória da Assembleia Geral, dá a entender que são coisas distintas. Como é óbvio , temos que penso no futuro , no pós- Estádio Municipal , até porque ele é um grave entrave ao nosso crescimento . Este Projeto não deve ser para avançar no imediato. O Boavista ficou na situação em que ficou , por diversas fatores , não só por esse.

Enviado do meu Redmi Note 7 através do Tapatalk

Lipeste
Lipeste Equipa Principal
  • *****
  • 6607
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1374 em: 10 de Abril de 2020, 13:46 »
SAMUEL COSTA: "VOU TRABALHAR PARA CHEGAR ONDE EU QUERO"

Trabalho e dedicação, são as palavras com que Samuel Costa descreve a fase de ascensão que atravessa ao serviço do Sporting Clube de Braga.

A competição, os treinos e o toque na bola são já sinónimo de saudades para o jovem de 19 anos que cumpre a quarta temporada ao serviço do clube.

Ambicioso, garante ter muitas metas para alcançar, vendo com bons olhos o futuro desafiante que tem pela frente.


Adaptação à nova realidade

“É uma situação complicada, não podemos sair de casa e para nós futebolistas é difícil visto que não podemos competir. Mas tenho que me habituar, fazer o meu treino em casa e esperar que esta situação se resolva.”


Planos de Treino

“Tenho feito os planos que a equipa técnica manda, planos de trabalho em casa. Trabalho todos os dias e sei que quando a competição voltar estarei preparado fisicamente.”


O médio com ADN Gverreiro

“Sou um jogador muito trabalhador, agressivo e que dá a vida em campo pelos colegas de equipa. Um jogador sério e empenhado que também gosta de ter bola, impor o ritmo e controlar o jogo. Por vezes quando dou um carrinho no treino festejo como se fosse um golo e os meus colegas até se riem, mas para mim é mesmo assim, um carrinho equivale a um golo e é essa a minha mentalidade.”


Primeira convocatória pela equipa principal

“É um orgulho imenso porque desde que cheguei que o meu sonho é jogar pela equipa principal. Conseguir ser chamado é uma satisfação enorme. É ver o meu trabalho ser recompensado e é uma felicidade representar este clube.

 

Trabalho representa evolução e crescimento

“Estou numa fase boa da minha carreira, mais confiante e melhor jogador. Não quero parar por aqui, quero continuar a evoluir porque tenho objetivos para cumprir. Tenho de ajudar a equipa e continuar a trabalhar para chegar onde eu quero. “


Momentos marcantes com a camisola do SC Braga

“Lembro-me que quando cheguei ao SC Braga à experiência nem conseguia dormir, porque a diferença em relação ao clube onde estava era muito grande. Ligava ao meu pai a dizer que achava que não ia ficar. Nessa fase tivemos um jogo de treino e eu fiz golo, depois disseram-me que queriam contar comigo. Fiquei muito feliz na altura, assim como na minha estreia serviço do clube.”


A Seleção Nacional

“É o sonho de todos os jogadores conseguir chegar à Seleção Nacional. Sentimos que temos o país a torcer por nós e é uma grande responsabilidade. Não podemos vacilar. Conseguir participar em competições como o Europeu de Sub-19, onde chegamos à final, é um orgulho enorme.”

 
O exemplo de Francisco Trincão e Pedro Neto

“Vejo neles uma inspiração porque é graças ao trabalho deles que hoje estão onde estão. E é onde eu também quero chegar. Tenho de continuar a trabalhar, porque e sei que também vou conseguir”.


Objetivos para o futuro

“Chegar à equipa principal do SC Braga. No futuro tenho outros sonhos, jogar a Liga dos Campeões, jogar um campeonato do Mundo, mas o objetivo mais curto é claro e passa por representar o SC Braga ao mais alto nível.”

em: www.scbraga.pt
NightHawk
NightHawk Equipa Principal
  • *****
  • 2727
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1375 em: 10 de Abril de 2020, 13:58 »
Estádio Centenário? Estão a falar do mini estádio da academia,certo?

São coisas distintas, pelo que me parece. No entanto, as pouquíssimas informações divulgadas na comunicação social não são claras. O mini estádio da Cidade Desportiva estará incluído no projeto da segunda fase desta infraestrutura, sendo que, tendo em conta o referido anteriormente em Assembleias Gerais e em outras ocasiões esta segunda fase terá um custo estimado de 11 milhões de euros , incluindo o miniestádio com capacidade para acolher os jogos da equipa B, Feminina (terá 2200 lugares , supostamente), áreas residenciais para o futebol profissional e para o futebol de formação,  um pavilhão multiusos, um novo espaço de trabalho do futebol profissional, serviços administrativos, loja do associado e do museu, entre outras valências. . O "Estádio Centenário" será outro projeto sobre o qual não se sabe nada, a não ser que será discutido , tal como a segunda fase da Cidade Desportiva, na Assembleia Geral da SAD em Maio, e que terá segundo a informação que um forista referiu que estava num jornal , o custo de 25 milhões de euros. Não se sabe em que consiste, nem a localização. As informações relativas, quer à segunda fase da Cidade Desportiva, quer ao Estádio Centenário, já estão disponíveis no site , mas apenas com a acesso autorizado aos acionistas.

Se fosse o tal novo estádio falado pelo Salvador seria a meu ver uma péssima notícia. O Municipal serve perfeitamente até 2034, claro que não é o mais acessível ,mas mais vale do que gastar milhões noutro e ainda acabar como o Boavista...o Boavista era um grande clube,o Braga das antiguidades...depois do estádio ficou cheio de dívidas,ganhou um estádio e perdeu o sucesso desportivo...
Isto é a interpretação da pouca informação que está disponível . Pode estar errada . Acho que 25 milhões é demasiado para a segunda fase da Cidade Desportiva , quando se falou inicialmente num valor de 11 milhões. Até pela lógica da informação disponível na convocatória da Assembleia Geral, dá a entender que são coisas distintas. Como é óbvio , temos que penso no futuro , no pós- Estádio Municipal , até porque ele é um grave entrave ao nosso crescimento . Este Projeto não deve ser para avançar no imediato. O Boavista ficou na situação em que ficou , por diversas fatores , não só por esse.

Enviado do meu Redmi Note 7 através do Tapatalk

E tu a dares-lhe com o estádio.... O estádio do Centenário é o mini-estádio. Ponto.

Na ordem de trabalhos estão dois pontos: a apresentação e aprovação do projeto referente à segunda fase da Cidade Desportiva do Sp. Braga e apresentação do projeto denominado "Estádio Centenário" (um recinto previsto no âmbito da segunda fase da Cidade Desportiva) e aprovação dos custos previsíveis com a obra.

in https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sp--braga/detalhe/assembleia-geral-da-sad-do-sp-braga-podera-ser-realizada-em-videoconferencia?ref=Sp.%20Braga_DestaquesPrincipais
« Última modificação: 10 de Abril de 2020, 14:07 por NightHawk »
Guerreiro03 Equipa Reservas
  • ****
  • 767
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1376 em: 10 de Abril de 2020, 16:17 »
O Record não é propriamente o meio de comunicação mais fiável . Repara que são dois pontos distintos na ordem de trabalhos da AG.
Para além disso , o valor que se fala na comunicação social , supostamente 25 milhões , não faz sentido nenhum para um mini estádio. Para além disso, o Record acrescenta aí a informação que está entre parêntesis, não está em mais lado nenhum. Mas posso estar errado. Para além disso, acho que não tem muita lógica chamar " Estádio Centenário" , a um mini estádio. Acresce ainda o facto de a cerca de um ano o Presidente ter falado da questão do Estádio que me parece que ver resolvida rapidamente.
Não estou a dizer que o que estás a dizer está errado, se calhar até está certo. Esta é a interpretação que eu faço da informação que está disponível .
Tens que perceber que uma pessoa nesta conjuntura tem muito tempo livre para pensar sobre estes assuntos  e equacionar todas as possibilidades

Enviado do meu Redmi Note 7 através do Tapatalk
« Última modificação: 10 de Abril de 2020, 16:43 por Guerreiro03 »
SCB_1921
SCB_1921 Equipa Reservas
  • ****
  • 820
  • sócio 4199
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1377 em: 11 de Abril de 2020, 19:49 »
O crente dentro de mim ainda acredita na remodelação do 1º de Maio (passei lá no outro dia, o estado de degradação do estádio é uma vergonha, em particular na bancada atrás da baliza). Nunca de lá devíamos ter saído.
Guerreiro03 Equipa Reservas
  • ****
  • 767
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1378 em: 12 de Abril de 2020, 20:15 »
Pode ser que aconteça um milagre e um dia regressemos a esse local de onde não devíamos ter saído.

Enviado do meu Redmi Note 7 através do Tapatalk
« Última modificação: 13 de Abril de 2020, 01:04 por Guerreiro03 »
Cão Vadio
Cão Vadio Equipa Reservas
  • ****
  • 760
  Re: Cidade Desportiva do SC Braga
« Responder #1379 em: 13 de Abril de 2020, 15:40 »
Pode ser que aconteça um milagre e um dia regressemos a esse local de onde não devíamos ter saído.

Enviado do meu Redmi Note 7 através do Tapatalk
Adorava. Mas quando esse dia chegar, se chegar, já devo estar esticado coma língua de fora a dar pisca.
 

Anuncios M
Anuncios M