You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.

ESTATUTO EUROPEU REFORÇADO

ESTATUTO EUROPEU REFORÇADO

Os Gverreiros do Minho foram à Turquia e venceram no recinto do Besiktas por 2-1, depois de uma boa exibição, que poderia ter sido derrubada por dois minutos quase fatais, a meio do segundo tempo. Após uma entrada expectante, que poderia ter custado a desvantagem, os comandados de Sá Pinto foram subindo de rendimento e assumiram o controlo do jogo, pelo que não espantou a vantagem conseguida pelo inevitável Ricardo Horta, que corrigiu para a baliza uma bola que o guardião turco defendera a remate de Galeno, numa jogada em que Paulinho foi determinante ao “roubar” a bola a um adversário. A vantagem com que o intervalo chegou deu um conforto à equipa, que em vários momentos mostrou a sua classe e reforçou o seu estatuto europeu. No começo da segunda parte Galeno esteve perto de ser feliz, mas o poste negou o golo que daria mais tranquilidade à equipa. Não ampliando a vantagem, o empate a surgiu por volta do minuto setenta e como um mal nunca vem só, dois minutos volvidos o árbitro viu, mal na minha opinião, motivo para penalti saído de uma abordagem negligente de Pablo Santos, num lance que não oferecia qualquer perigo. Na marcação da grande penalidade Matheus voou e a bola parece ter fugido de si em direção ao poste, permanecendo um empate que possibilitava a busca da vitória no tempo restante. As entradas de Agbo e, principalmente, de Wilson Eduardo colocaram os bracarenses na rota do golo, com o internacional angolano a concretizar na segunda oportunidade que teve, oferecendo o triunfo por 2-1, após assistência de Galeno, que fez uma grande exibição, num estádio que é sempre muito complicado para qualquer adversário. Até ao fim nada de relevante se passou e a equipa controlou o jogo com uma classe que voltou a mostrar a razão de ser a equipa portuguesa que mais pontos para o ranking deu ao país. O SC Braga é, por esta altura, a única equipa das cinco em competição que lidera o seu grupo, num percurso europeu notável, que já deu a Sá Pinto o melhor arranque europeu de sempre. 

O Santa Clara visitou a Pedreira e, à semelhança da maioria das equipas, apostou num bloco baixo (forma simpática de definir “autocarro”), esperando pelo erro bracarense. Vindos de um resultado moralizador além-fronteiras, os Gverreiros do Minho entraram com vontade de decidir o jogo cedo e realizaram uma boa exibição, traduzida numa vitória de 2-0, mas passando ao lado de uma goleada por números gordos devido à ineficácia revelada. O guardião visitante fez uma exibição de luxo e evitou meia dúzia de golos, efetuando diversas defesas difíceis. Os golos de Wilson Eduardo, na primeira parte e de Ricardo Horta, na segunda parte deram os três pontos à equipa liderada por Sá Pinto.

O calendário desportivo continua a um ritmo alucinante, havendo na próxima quinta-feira novo jogo no Bessa, frente ao Boavista e no domingo na Pedreira, frente ao surpreendente Famalicão. Espero que o plantel do SC Braga responda à altura das exigências. Recordo que o futebol português mostrou uma das suas faces miseráveis, com a Liga a negar o adiamento do jogo do Bessa, quando a comissão de horários e os axadrezados concordavam com esse adiamento, mas que por não agradar ao Benfica (não devia entrar neste “filme”) levou à surreal decisão da Liga de manter o jogo na data estipulada. Portuguesices.

O sorteio da Taça de Portugal ditou uma receção do SC Braga ao Gil Vicente, num dérbi que se prevê de festa e onde nós, braguistas, esperamos o apuramento, num percurso que nos possa levar de regresso ao Jamor. Jogar em casa é importante para que os objetivos prossigam intactos, mas havia vários adversários mais apetecíveis. Mas haja seriedade e competência, que o resultado desejado surgirá.

A nível da formação o destaque maior vai para a vitória arsenalista frente ao Porto, que consolidou a liderança e aumentou a distância para os portistas, no escalão de sub19. Prossegue a bom ritmo esta fase de apuramento. A equipa de sub17 garantiu desde já o apuramento para a fase seguinte, ao vencer o Palmeiras na Cidade Desportiva, por 2-1. Os golos do triunfo surgiram apenas nos minutos finais e deram motivo para os primeiros festejos da equipa liderada por Custódio Castro. Com apuramento, igualmente, conseguido está a equipa de sub15, depois de ter vencido por 5-1 em Merelim. Nota negativa para a equipa de sub23 que, depois de um começo bastante positivo, não ganham há algumas jornadas e complicam dessa forma o apuramento para a fase decisiva. Nada está perdido para esta equipa, mas é preciso arrepiar caminho e regressar de imediato aos bons resultados.

Partilhar