You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.

AONDE VAIS, CANDIDATO?

Com mau tempo a marcar presença efetiva, muitos adeptos bracarenses ficaram em casa. Numa altura em que a equipa precisa de todos, seria bom que as pessoas fizessem esse “sacrifício” de ir ao estádio para ajudar a conquistar vitórias, mesmo perante a ameaça de chuva e frio. Parabéns a todos os que estiveram nas bancadas, indiferentes ao estado do tempo, porque sabiam que o SC Braga tinha um jogo muito importante. A Legião fica mais forte com a presença de todos.

Os Gverreiros do Minho entraram em campo com a convicção de que os adversários fazem o jogo da época no confronto com a equipa de Braga. O Vitória de Setúbal não fugiu à regra e apresentou-se em campo disposto a complicar as contas bracarenses. Lito Vidigal armou uma equipa para jogar no campo todo, valorizando o espetáculo e o triunfo arsenalista, por 2-1.

O SC Braga entrou determinado e Fransérgio abriu o jogo com uma bola na barra, que o guardião sadino “defendeu com os olhos”. O golo inaugural haveria de chegar pelo melhor avançado da liga, Dyego Sousa, que correspondeu de cabeça à solicitação do seu capitão, Marcelo Goiano. Em seguida, uma distração de Fábio Martins deu uma transição rápida aos setubalenses que empataram a partida, apenas dois minutos depois. Antes do intervalo, Esgaio cruzou para a área e o “suspeito do costume”, Dyego Sousa, marcava o golo que valeria a vitória final. O segundo tempo não trouxe nada de novo, em termos de placard, pelo que a vantagem alcançada se manteve até final, dando um triunfo justo aos Gverreiros do Minho. O jogo poderia ter ficado decidido mais cedo se o árbitro não tivesse feito vista grossa a dois lances de penálti. Num primeiro lance existe uma cotovelada em Dyego Sousa que passa despercebida ao juiz da partida, mas em que a ajuda do VAR era importante no sentido de sancionar a falta. Era mas não foi, porque não existiu. O segundo lance, em que intervém Ricardo Horta, a infração foi evidente para todos, menos para o árbitro e para o VAR. Os três pontos conquistados mantiveram os comandados de Abel Ferreira na frente da classificação, a par do Porto, com 21 pontos, pelo que se adivinha um grande confronto no dragão, no próximo sábado, numa verdadeira cimeira de líderes. Apetece perguntar a este SC Braga: aonde vais candidato? Espero eu, e esperem os corações braguistas, que este candidato vá a “bom porto” e que esta longa viagem possa terminar bem. O caminho é imenso e muito difícil, com as dificuldades e as críticas a surgirem de todos os lados, uma vez que parece notório que o SC Braga não tem “boa imprensa” e o espaço concedido a todos os candidatos aos primeiros lugares são muito diferenciados, tanto a nível dos jornais como das televisões e, até, mesmo das rádios. É o país que temos e é com ele que temos que lidar, ainda que pouco a pouco as coisas possam mudar.

Equipa B bracarense recebeu e venceu o Famalicão, um candidato à subida, por 2-0. Um golo de belo efeito de Muric e outro de penálti, marcado por Luther Singh, coroaram uma exibição positiva dos comandados de Wender Said. A experiência de Assis nesta equipa e a subida de nível de Muric são as notas de maior destaque após este jogo. Fica agora a sensação de que esta jovem equipa se pode bater com qualquer adversário e em qualquer campo.

A equipa de futebol feminino manteve a liderança isolada, depois de golear fora o Ouriense por claros 6-0. O poderio da equipa de Miguel Santos ficou bem demonstrado neste encontro, pelo que registo com prazer a subida gradual de rendimento de uma equipa que foi muito remodelada esta época. Mas convém não adormecer, pois as dificuldades estão em todo o lado. É preciso manter o foco no objetivo maior, de conquistar o título de campeão nacional.

Ao nível da formação este foi um fim se semana bastante positivo, pois apenas os sub23 não venceram, tendo empatado 1-1 no recinto do leão. Os sub19 (juniores A) venceram fora o Freamunde por 3-0 e ficaram mais perto do apuramento para a fase final. A equipa sub17 (juniores B) triunfou no terreno do Vianense por 7-0 e segue firme na liderança. Os sub15 (juniores C) venceram o rival Vitória de Guimarães por 3-1 e terminaram a primeira fase em primeiro lugar. Neste escalão o calendário deixa muito a desejar, uma vez que esta etapa se disputa a uma só volta, o que carece de algum reflexão no que concerne ao modelo competitivo da prova.

O futsal registou a sua primeira vitória intramuros, por 2-1 frente ao Belenenses. Desejo que seja a primeira de muitas de uma equipa que tem estado bastante aquém do esperado e desejado.

Partilhar