Olá, Visitante. Por favor Entre ou registe-se se ainda não for membro.
Perdeu o seu e-mail de activação?

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
 


Autor Tópico: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03  (Lida 486 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline JotaCC

  • Moderador Global
  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 29946
  • Sexo: Masculino
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« em: 12 de Março de 2017, 08:57 »
SC Braga sem alma guerreira e capacidade ofensiva em Chaves

E o regresso de Jorge Simão a Chaves não correu da melhor forma. Aos comandos da armada Guerreira do Minho, o timoneiro não conseguiu levar a equipa aos golos e, perante uma formação flaviense muito concentrada a nível defensivo, o empate a zero foi o resultado final, ditando a divisão de pontos entre Chaves e SC Braga, na partida da 25.ª jornada da I Liga.

Num jogo que já se esperava complicado para a formação bracarense, uma vez que a equipa de Chaves tem realizado, no seu reduto, uma exibição quase incólume (apenas o Benfica conseguiu conquistar a vitória, até ao momento, em terras flavienses), os bracarenses também não conseguiram impor-se na partida e assumir de forma total o encontro, principalmente no que diz respeito às acções ofensivas.

Jorge Simão voltou a apostar no mesmo onze e na mesma táctica, mas desta vez a receita que permitiu derrotar o Arouca, em casa, não surtiu efeitos. Os bracarenses mostraram-se sempre algo amorfos no que concerne à organização ofensiva, com Rui Fonte, muito isolado na frente de ataque, a não ser suficiente para conseguir levar o perigo à baliza defendida por Ricardo. No sentido inverso, a grande ocasião de golo do primeiro tempo surgiu dos pés de Patrão que, aos 19 minutos, rematou de muito longe levando o esférico a embater com estrondo na trave da baliza de Marafona. A resposta bracarense surgiu apenas aos 32 minutos, com um remate perigoso de Cartabia que Ricardo defendeu para canto.

Ainda antes do apito para o intervalo, Davidson, com um remate colocado, obrigou Marafona a uma intervenção apertada para evitar o golo.
No segundo tempo, o jogo perdeu ainda mais qualidade e viu o equilíbrio aumentar substancialmente, tornando-se muito combativo, principalmente a nível do meio campo, sem que qualquer uma das equipas conseguisse superiorizar-se de forma definitiva e lograsse chegar com perigo às balizas contrárias.

Marafona voltou a estar em evidência, com duas boas defesas a evitar golos dos flavienses que viram o seu guarda-redes a praticamente nã o ser chamado a intervir, pelo menos com intervenção de elevado grau de dificuldade.
E o apito final da partida chegou mesmo sem que o resultado acabasse por sofrer qualquer tipo de alteração. E confirmou-se também que com Jorge Simão ao comando, na I Liga, o SC Braga ainda não venceu fora de casa.

Jorge Simão: “Fica o registo da atitude dos jogadores”

Não era, obviamente, um homem satisfeito, o Jorge Simão que ontem se apresentou, no final do jogo, na sala de conferências de imprensa do Chaves, tendo considerado que o jogo foi muito complicado, como já tinha sido referido na antevisão, e que os seus jogadores estavam de parabéns devido à atitude que apresentaram ao longo de toda uma partida disputada num “terreno muito difícil”.

“Obviamente que este é um terreno muito difícil, num estádio complicado, com um ambiente e uma envolvência muito difícil para os adversários. É muito difícil jogar aqui e só o Benfica ganhou e passou por muitas dificuldades”, considerou o treinador, acrescentando que “com estas condicionantes todas, nós queríamos ganhar muito o jogo e fizemos por isso. Tivemos ascendente, tivemos domínio e vontade de pegar no jogo e assumi-lo, mas reconheço que houve oportunidades para o Chaves fazer o golo. Fica o registo da atitude dos jogadores neste estádio difícil. Tiveram um trabalho duro, de compromisso grande com a equipa e isso traduz-se num ponto conquistado que não sendo o esperado foi o possível”.

E com este empate, o SC Braga continua a não conseguir ganhar fora de casa, mas Jorge Simão desvaloriza: “gosto de pensar que nos preparamos para jogar em casa e fora exactamente da mesma maneira. Não gosto de pensar que há um campeonato em casa e outro fora. O facto de não ganharmos fora de casa deve-se a um conjunto de condicionantes. De positivo há o facto de não sofrermos golos e isso é um ponto importante. Isso é positivo pois não sofrendo ficamos mais perto de ganhar. Faltou finalizar uma das situações criadas”

CORREIO DO MINHO

Offline JotaCC

  • Moderador Global
  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 29946
  • Sexo: Masculino
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #1 em: 12 de Março de 2017, 09:07 »
ENTRADA DIRETA NO PURGATÓRIO
EMPATE No regresso de Jorge Simão e companhia a Trás-os-Montes, o Chaves deu boa réplica ao Braga

O Braga continua metido num carrossel de altos e baixos. Teve mais posse de bola mas descurou a finalização, pondo-se demasiado a jeito de um Chaves de poucos amigos



Por mais que o Braga enfraqueça o Chaves, levando Jorge Simão, Paulinho, Rafael Assis e Battaglia, como se verificou em janeiro, ou então tirando partido da lei que impede jogadores emprestados de defrontarem o clube de origem (Pedro Tiba e Rafael Martins), os transmontanos reinventam-se, cerram os dentes e fazem questão de não perder em casa – a última vez que tal aconteceu foi à sexta jornada, contra o Benfica. Acabou em empate o confronto com os arsenalistas, mas não causaria espanto se os três pontos tivessem ficado em Chaves, de tal forma flagrantes foram as oportunidades criadas pela equipa comandada por Ricardo Soares, apesar do domínio (relativo) imposto pelos visitantes, apoiados por mais de 1300 adeptos. Valeram a barra da baliza do Braga, num remate estupendo de João Patrão, escalado para compensar a ausência de Tiba, e também a atenção do guarda-redes Marafona, que salvou os minhotos de sofrer pelo menos dois golos, primeiro a remate de Davidson, em cima do intervalo, e depois de Bressan, já nos descontos.
De volta a um palco onde muitas vezes tinha sido feliz, Jorge Simão passou por um mau bocado, e não foi porque “a coisa” se tornou muitas vezes pessoal a partir das bancadas onde se situavam os adeptos flavienses (o técnico fizera votos para que tal não sucedesse), sendo ruidosamente brindado por sonoros assobios, a exemplo de Paulinho e Rafael Assis, ou porque acabou expulso. O que aconteceu foi que o Chaves foi crescendo e arranjou sempre forma de responder de forma perigosa às investidas dos bracarenses, que muitas vezes não passaram de atos falhados. Em 4x3x3, com Pedro Santos na posição 10 (disfarçou bem a ausência de Battaglia), faltava pontaria e mais gente na frente e, por isso, Jorge Simão achou por bem prescindir do ala Cartabia, o mais perigoso no primeiro tempo, para recuperar o “tradicional” 4x4x2. Efeitos práticos: muito pouco de relevante.



FILME DO JOGO

19’ João Patrão resolve encher o pé de longe. Acerta na barra.
26’ Servido por Braga, Davidson aparece solto pela esquerda a rematar de primeira. Para as nuvens.
28’ Num livre à direita, Pedro Santos levanta para a área. Rosic aparece a desviar de cabeça, à malha lateral da baliza.
32’ Cartabia dispara de longe com potência. Ricardo defende a custo, para canto.
45’ Rafael Assis complica em zona proibida e perde o lance para Braga, que cruza rasteiro para o interior da área. Davidson remata de primeira para grande defesa de Marafona.
54’ De costas para a baliza, Rui Fonte domina uma bola lançada do meio campo e dá para Stojiljkovic. O sérvio atira para defesa de Ricardo.
60’ Assistido por Braga, João Patrão volta a arrancar um grande remate. A bola passa ao lado.
73’ No seguimento de um cruzamento de Nélson Lenho, Rafael Batatinha desvia de cabeça; Marafona segura. 90’ Pedro Santos escapa pela esquerda e tira o cruzamento. Rodrigo Pinho desvia de cabeça ao lado.


Jorge Simão “Não foi bom resultado”

O técnico do Braga sublinhou as dificuldades de jogar em Chaves

O técnico do Braga, Jorge Simão, não escondeu o desgosto pela divisão dos pontos. “Não foi um bom resultado e é impensável afirmar que estamos contentes com um ponto”, disse.
No regresso a Trás-os-Montes, o treinador não estranhou o ambiente nas bancadas. “É um clima muito próprio de apoio à sua equipa, o que torna difícil jogar aqui”, referiu, recordando de seguida a prestação do Chaves em casa: “Até agora, só o Benfica ganhou aqui.”
Apesar das dificuldades sentidas, Jorge Simão destacou a postura da sua equipa. “Tivemos mais domínio e fizemos por ganhar o jogo, mas reconheço que o Chaves também teve boas oportunidades, pelo que registo o trabalho duro e o compromisso dos meus jogadores com a equipa.”
Expulso do banco a sete minutos do fim, o técnico considerou injusta a decisão do árbitro. “Quando o árbitro se dirigiu ao nosso delegado, apenas lhe disse que ele tinha razão naquilo que estava a dizer. Só por isso, fui expulso”, esclareceu.


Miguel Pedro
Lá encravámos mais uma vez

1
Finalmente, uma vitória!!! Foi este o pensamento dominante nas hostes braguistas no final do jogo do passado fim de semana contra o Arouca. Um jogo que até foi parecido com alguns dos anteriores do mandato de Jorge Simão, nos quais a equipa até já tinha evidenciado alguns sinais de melhoria (por exemplo, a exibição contra o Benfica). A diferença principal (embora não a única) foi a de que, neste jogo, ganhámos e nos outros não. Uma vitória tanto mais importante por ser na sequência do deprimente final do jogo de Setúbal, um empate com sabor a derrota, tal a maneira como o jogo acabou. Ou seja, esta foi uma vitória que moraliza ainda mais. Por outro lado, foi um jogo que também teve contrariedades, como os anteriores: marcámos um golo e sofremos o empate logo a seguir, o que, com o moral em baixo, podia ter significado um baixar de braços, o que felizmente não sucedeu. Além disso, mesmo depois de estarmos a ganhar o jogo, surge a lesão de Hassan, que nos deixou a jogar com dez até final do encontro. Mas apesar destas contrariedades, o Braga lá conseguiu alcançar a almejada vitória, que procurava há seis jogos. Vitória justa e incontestável, sem dúvidas. De salientar que, neste jogo, Jorge Simão arriscou e venceu (por isso arriscou bem, claro). Abdicou de jogar no seu sistema preferencial, passando do 4x4x2 para um 4x3x3 de manifesto intuito atacante (tirou o central Artur Jorge para lá colocar Assis). Gostei muito de ver Battaglia e Vukcevic juntos, sendo que este último (ao contrário do que se poderia pensar) jogou bem adiantado no terreno, a servir os avançados. Um sistema que, aproveitando algum cansaço dos adversários, se mostrou altamente eficaz. Esperemos agora que esta senda vitoriosa continue fora de portas... segue-se o Chaves.
2
E lá encravámos outra vez, em Chaves. Voltámos aos empates, na sequência de uma exibição mediana. Um grande Marafona, muita luta, muito equilíbrio. Um empate justo. E segue renhida a luta pelo quarto lugar. Não há descanso.
3
Com a oficialização da candidatura do Pli, de seu nome batismal António Pedro Peixoto, parece estar aberta a pré-campanha eleitoral no SC Braga. Li duas entrevistas, esta semana, em dois jornais distintos: uma a António Salvador e outra ao Pli. Saúdo honestamente o tom cordial e positivo de ambas. Isto é, em nenhuma se falou muito do passado, mas mais do futuro e das preocupações de cada um dos candidatos. Registo dois aspetos que resultam da leitura das entrevistas: o primeiro é que o Estádio Municipal de Braga, apesar de ser uma boa peça arquitetónica, é um mau estádio para ver futebol; os dois candidatos são unânimes neste ponto. O outro aspeto é que ambos se mostram preocupados com o facto de o SC Braga ainda não ter o número de adeptos (assistência aos jogos) que verdadeiramente merece. Ambos propõem medidas para ultrapassar tal fenómeno negativo. Eu, mais pessimista, penso que esta questão é essencialmente cultural e, de certa forma, geracional: sabemos que, em Portugal, os três clubes ditos grandes monopolizam as simpatias dos adeptos, e só numa próxima geração de adultos (daqui a dez ou 15 anos) é que isso poderá mudar. Mas fico esperançoso com o otimismo dos candidatos de que, com medidas concretas, esta questão se possa atenuar. A ver vamos.


Rio Ave dá a volta em casa do Braga

Vitória do Rio Ave em Braga, por 2-1, depois de ter entrado no jogo praticamente a perder. Os locais entraram bem e abriram o ativo, por Didi, mantendo a supremacia sobre o adversário até ao intervalo e dispondo de ocasiões várias para dilatar a vantagem. No recomeço, os vila-condenses surgiram com outra disposição ofensiva e conseguiram dar, com mérito, a volta ao marcador. Primeiro foi o defesa-central a empatar e depois apareceu o ponta de lança Rogério a dar a cambalhota no marcador. O Braga, que ocupa o último lugar, tentou o empate, mas pecou demasiado na finalização.

O JOGO

Offline JotaCC

  • Moderador Global
  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 29946
  • Sexo: Masculino
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #2 em: 12 de Março de 2017, 09:13 »
PERDERAM A CHAVE PARA O CADEADO
Flavienses sempre mais perto de ganhar e minhotos a controlar um bom empate

O FILME DIZ TUDO: PATRÃO ACERTOU COM ESTRONDO NA BARRA E MARAFONA FEZ TRÊS GRANDES DEFESAS

Diga-se que o Chaves esteve sempre bem mais perto de rasgar este colete de forças e basta registar todos os grandes momentos do jogo para se perceber perfeitamente isso.
Não é por mero capricho que Marafona, guarda-redes do Sp. Braga, ganhou com facilidade o estatuto de melhor em campo, pois foi ele a evitar, em três grandes defesas, o golo que os flavienses mais se esforçaram por cantar. Curiosamente, o guardião bracarense destacou-se no início, a meio e no fim, desviando sempre com grande elasticidade os remates de Braga (15’), Davidson (44’) e Batatinha (90’+3). Mas além destes três momentos, ainda há que destacar dois tiros de Patrão, o primeiro a esbarrar com estrondo na barra (19’), deixando todo o bem composto Estádio Municipal de Chaves com as mãos na cabeça.
Por tudo isto, entende-se perfeitamente que o Sp. Braga conseguiu, minimamente, controlar este empate com a certeza de que a equipa de Jorge Simão, expulso aos 81 minutos, só conseguiu ganhar mesmo na posse de bola, justificando claramente a teoria que o próprio treinador já celebrizou. Não basta ter bola e faltou profundidade aos minhotos, principalmente na 1ª parte.


Precaução afastou Wilson

Wilson Eduardo estava nos planos de Jorge Simão para Chaves, mas o extremo acabou por ser preterido por precaução, nem sequer se sentando no banco. O jogador, que regressa de lesão e está apto há uma semana, queixou-se de um “desconforto”, após o treino de sexta-feira, que não conseguiu superar.



PEDRO SANTOS
“Não foi bem conseguido”

O capitão Pedro Santos reconheceu as dificuldades que o Sp. Braga sentiu em Chaves. “Sabíamos que ia ser muito complicado porque o Chaves só perdeu em casa frente ao Benfica”, começou por referir o extremo arsenalista, salientando que “o Sp. Braga deu o máximo” para garantir o triunfo: “Não foi um jogo bem conseguido. Procurámos chegar ao golo, houve ocasiões para os dois lados e temos de retificar este resultado já no próximo jogo.”
Simão para a bancada
Jorge Simão recebeu ordem de expulsão, aos 81’, depois de protestos pelo amarelo a Paulinho, reiterados quando Vasco Santos se dirigiu ao diretor arsenalista Rui Casaca. O adjunto Luís Vilela rendeu o seu chefe de equipa. Entretanto, adeptos do Sp. Braga causaram desacatos junto à ponte romana de Chaves.



JORGE SIMÃO
“Só disse ‘ele tem razão’

Jorge Simão foi à sala de imprensa e explicou a sua expulsão. “O árbitro dirigiu-se ao banco e quando ele está a falar com o meu diretor desportivo aproximei-me e a única coisa que disse foi ‘ele tem razão naquilo que diz’. Não disse mais nada, nem antes nem depois de me expulsar”, garantiu o treinador do Sp. Braga. Simão analisou ainda o jogo, lembrando a dificuldade que é jogar em Chaves: “É impensável dizer que fiquei agradado com um ponto ganho, pois queria vencer, mas este é um campo difícil para os adversários do Chaves e recordo que só o Benfica aqui venceu e teve muitas dificuldades.”

RECORD

Offline JotaCC

  • Moderador Global
  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 29946
  • Sexo: Masculino
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #3 em: 12 de Março de 2017, 09:15 »
ABC ultrapassa encarnados

Com 9 golos de Miguel Sarmento, o campeão ABC regressou às vitórias, ao triunfar (29-28) ontem na Cidade da Horta (Faial, Açores) perante o Sporting local, em partida adiada da 16ª jornada. Face ao resultado, a turma de Braga ultrapassou o Benfica e fixou-se no 3º lugar, quando falta disputar apenas uma jornada (quarta-feira) da fase regular.

RECORD

Offline JotaCC

  • Moderador Global
  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 29946
  • Sexo: Masculino
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #4 em: 12 de Março de 2017, 09:16 »
Sp. Braga junta mais um empate à colecção do Desp. Chaves
Em Trás-os-Montes, Jorge Simão foi expulso e os transmontanos somaram a 12.ª igualdade da época

No primeiro confronto entre Sporting de Braga e Desportivo de Chaves, um golo de Pedro Santos desequilibrou os pratos da balança a favor dos minhotos, mas ontem, no reencontro de Jorge Simão com a sua antiga equipa, os flavienses fizeram o que melhor sabem nesta temporada: empatar. Pela 12.ª segunda vez em 25 jornadas, os transmontanos ficaram-se pela conquista de um ponto e a igualdade sem golos no acabou por não agradar a nenhuma das equipas. De regresso a Chaves, Jorge Simão acabou expulso e o Sp. Braga, que está mais longe do quarto lugar, pode ser hoje alcançado pelo rival V. Guimarães.
Com apenas uma vitória nas últimas sete jornadas, o Sp. Braga de Jorge Simão apresentou-se em Chaves com apenas um jogador no centro da área. No reencontro com a equipa que treinou na primeira metade da época, Jorge Simão apostou numa frente de ataque mais móvel, com Pedro Santos e Federico Cartabia nos flancos, e Ricardo Horta no apoio a Rui Fonte. A estratégia acabou por não surtir efeito.
Com o Desp. Chaves privado de Pedro Tiba e Fábio Martins, jogadores emprestados aos flavienses pelos bracarenses, as duas equipas entraram receosas no jogo e apenas aos 19’ surgiu a primeira oportunidade de perigo, com Patrão a acertar na barra da baliza defendida por Marafona. Inoperante, o Sp. Braga só incomodou o Desp. Chaves aos 32’, quando o argentino Cartabia, à entrada da área, rematou para boa defesa de Ricardo.
Ao intervalo, Jorge Simão procurar dar mais profundidade ofensiva à sua equipa, com a troca de Ricardo Horta por Stojiljkovic, mas o jogo manteve-se com pouca intensidade de parte a parte, e voltou a ser Patrão o mais inconformado em campo: com mais um remate forte, o ex-bracarense obrigou Marafona a aplicar-se.
Com as duas equipas insatisfeitas com o resultado, mas mostrando demasiado respeito mútuo, o jogo tornou-se quezilento e Jorge Simão, aos 81 minutos, acabou expulso por palavras dirigidas ao árbitro Vasco Santos, após um cartão amarelo mostrado ao defesa direito Paulinho, que também regressava a Chaves.
E foi já em período de descontos, após um lance de bola parada, que Marafona acabou por fazer a defesa da noite, garantindo um ponto para os “arsenalistas”. Nem marcar golos, nem ganhar jogos. Vitória de Setúbal e Feirense não estavam a ter a melhor das relações com estes dois aspectos nos últimos tempos, já que os sadinos não venciam há cinco jogos e os fogaceiros há três. E acertar com as balizas adversárias também não vinha a ser tarefa fácil para os homens de José Couceiro (quatro remates certeiros em cinco jogos) e especialmente para os jogadores de Nuno Manta (três nos mesmos cinco encontros). Ontem, no Bonfim, foi o Feirense a sair do “buraco” ao ganhar por 2-1, graças a uma reviravolta no marcador.
O jogo, marcado pelo vento forte que se fazia sentir junto ao relvado, começou bem para o Vitória que sem jogar muito bem, chegou à vantagem na sequência de um canto (28’).
Até ao intervalo pouco ou nada mudou e foi já no segundo tempo que a reviravolta no marcador se consumou. Um autogolo de Frederico Venâncio deu ânimo ao Feirense (67’) e Luís Machado saiu do banco para injectar a dose de irreverência que a linha avançada da equipa de Santa Maria da Feira necessitava, marcando a sete minutos dos 90’.
Com o triunfo do Feirense no Bonfim, a equipa de Nuno Manta fica agora a apenas um ponto da mítica meta dos 30 pontos, considerada suficiente para assegurar a manutenção.

PUBLICO

Offline Bruno3429

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 10336
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #5 em: 12 de Março de 2017, 09:17 »
Desp. Chaves-Sp. Braga, 0-0 (crónica)
Houve mais emoção que razão
Diogo Caldas

O Sp. Braga teve mais bola mas o Desportivo melhores situações de golo. Partida de reencontro com carga emotiva. No regresso a Chaves, Jorge Simão acabou expulso do banco.
 
O nulo no marcador acaba por penalizar os flavienses, que somaram mais situações de golo, frente a um Sporting de Braga que teve mais bola, mas pouco ou nenhum proveito tirou.
 
Por mais que os treinadores das duas equipas tenham desviado as atenções do jogo para a carga emotiva, os adeptos dos flavienses trataram de criar um ambiente fervoroso no jogo. Jorge Simão, treinador que saiu de Chaves para o Sp. Braga no decorrer da época, e os jogadores Assis e Paulinho foram assobiados ao longo de todo o encontro. Na bancada visitante a moldura humana dos adeptos bracarenses também impressionou.
 
Nos flavienses Ricardo foi a grande novidade na baliza, regressando após um mês e meio de ausência por lesão e opção. Mas Ricardo Soares fez ainda regressar ao onze Nuno André Coelho para o centro da defesa, Patrão para o meio campo e Perdigão e Rafa para o ataque.
 
Na equipa bracarense Jorge Simão fez apenas uma mexida, forçada, por lesão de Battaglia, com Ricardo Horta a voltar ao onze.
 
Talvez por esses nervos à flor da pele, ou por falta de acerto, a partida ‘demorou’ a arrancar e os lances de perigo só surgiram para lá do quarto de hora. Antes, equilíbrio e algum ascendente bracarense com Pedro Santos a comandar as operações.
 
Aos 17 minutos, a primeira situação de golo surgiu pela esquerda, com Djavan a subir, a deixar para Vukcevic que serviu Pedro Santos, mas este, ‘estorvado’ por Nélson Lenho atirou para fora ao segundo poste.
 
A resposta não podia ser mais rápida e chamativa, pois no minuto seguinte Patrão aproveita uma bola perdida à entra da área de Marafona e atira com o pé direito (o seu pior pé) uma bola teleguiada, mas à barra.
 
No melhor período dos flavienses, aos 25 minutos Braga ganhou a bola junto à linha de fundo pela direita, serviu Davidson mas o brasileiro disparou perto, mas por cima.
 
Parada e resposta e no minuto seguinte responde o Braga. Livre na direita com a bola a cair ao segundo poste, com Rosic a ganhar nas alturas mas a atirar às malhas laterais.
 
Em cima da meia hora o golo esteve à vista novamente para o Braga, com o argentino Fede Cartabia a disparar de meia distância e Ricardo a ter de intervir com dificuldade.
 
Já com o intervalo à vista houve novo ‘frisson’ para os adeptos flavienses, com Braga a roubar a bola a Assis em plena grande área, a assistir Davidson mas o brasileiro a não conseguir disparar para golo, com um defensor a fazer o corte.
 
Os bracarenses assumiram definitivamente o jogo no arranque da etapa complementar, mas as situações de golo eram parcas. Do outro lado, em ataques rápidos, os flavienses demonstravam não ter desistido da vitória.
 
Aos 60 minutos, numa dupla situação, Patrão disparou com muito perigo rente ao poste direito de Marafona e Braga atirou em estilo mas à figura.
 
Com o passar dos minutos a equipa bracarense começou a mostrar-se cansada, ou pelo menos, sem ideias, e o Desportivo de Chaves aproveitou para voltar a apertar com o adversário.
 
Lançado em altura certa no encontro por Ricardo Soares, o extremo Batatinha atirou aos 67 para defesa de Marafona mas aos 73 teve melhor situação servido por Nélson Lenho, cabeceando ao lado.
 
Respondia Jorge Simão com a entrada de Rodrigo Pinho, à procura de mexer com a sua equipa, e esta também foi uma mexida acertada, pois o Braga recuperava ascendente para os 15 minutos finais.
 
Mas para o caso de alguém se ter esquecido que este era um jogo com ‘carga emotiva’, Jorge Simão tratou de lembrar isso. Aos 80 minutos desentendeu-se com Vasco Santos, foi expulso, e levou o estádio a mais uma enorme assobiadela ao antigo treinador.
 
O jogo aqueceu de imediato mas nem por isso as redes abanaram em Trás-os-Montes. Do lado bracarense, a situação mais perigosa foi construída por Pedro Santos, com a ajuda de Djavan, com o cruzamento a parar na cabeça de Rodrigo Pinho que atirou muito torto. Do outro lado através de um livre de Bressan, Rafael Lopes quase enganava Marafona, mas a bola foi sacudida da defensiva minhota.


Desp. Chaves-Sp. Braga, 0-0 (destaques)
Mais Patrão do que Sp. Braga de Simão
Diogo Caldas

HOMEM DO JOGO: Patrão

De regresso à titularidade e no seu 101º jogo com a camisola do Desp. Chaves, João Patrão fez uma boa exibição, preponderante na manobra defensiva, onde recuperou muitas bolas, e não descurou o ataque, onde atirou à barra aos 18 minutos e aos 60 disparou muito perto. Correu muito e fez jogar a sua equipa, frente ao Sp. Braga, clube que já representou.
 
MOMENTO DO JOGO: minuto 90+2

Foi o último momento de perigo, mas podia estar aqui qualquer outra situação de golo que a partida teve. No último lance Rafael Lopes esteve perto de ser o herói da partida mas a bola não entrou após livre. No somatório a equipa da casa esteve mais vezes perto de marcar, mas os minhotos também colecionaram ataques perigosos.

OUTROS DESTAQUES

Davidson:

 uma seta apontada à baliza bracarense, o avançado brasileiro procurou repetir o que fez ao serviço do Covilhã em Braga, já esta época, quando foi decisivo para a eliminação dos minhotos da Taça de Portugal. Não marcou, mas bem que tentou e teve duas excelentes situações aos 25 e 44 minutos.

Batatinha:
já tinha feito uma boa partida quando foi titular na semana passada em casa do Belenenses e hoje, lançado no encontro frente aos bracarenses Rafael Batatinha voltou a demonstrar bons pormenores. Entrou com todo o gás, teve duas situações e perigo e ficou perto de resolver o encontro.

Pedro Santos:
um autêntico patrão da equipa de Jorge Simão. Sem medo de assumir o jogo, mesmo em maus períodos da sua equipa, Pedro Santos foi o grande responsável pela manobra ofensiva do Braga. Dono das bolas paradas também aí assumiu um papel importante.

Djavan:
jogo seguro do lateral esquerdo arsenalista. Teve pela frente Perdigão e Batatinha e teve de lidar com a velocidade dos extremos o que não foi tarefa fácil, mas acabou por levar a melhor. Ainda assim, teve pulmão para correr pelo corredor esquerdo e ser alternativa ao ataque, mostrando inconformismo com o resultado.


Jorge Simão: «Registo a atitude dos jogadores neste estádio difícil»
Desp. Chaves-Sp. Braga, 0-0 (reportagem)
Diogo Caldas

Jorge Simão, treinador do Sp. Braga, na sala de imprensa do Estádio Municipal Engº Branco Teixeira, em Chaves, após  o empate frente ao Desportivo de Chaves.
 
«Já tinha algumas saudades desta sala de imprensa. Obviamente que este é um terreno muito difícil, num estádio complicado, com um ambiente e uma envolvência muito difícil para os adversários. O publico transmontano tem esta virtude de criar um ambiente próprio de apoio à sua equipa e é muito difícil jogar aqui. Só o Benfica ganhou e passou por muitas dificuldades.»
 
«Com estas condicionantes todas, nós queríamos ganhar muito o jogo e fizemos por isso. Tivemos ascendente, tivemos domínio e vontade de pegar no jogo e assumi-lo, mas reconheço que houve oportunidades para o Chaves fazer o golo.  Fica o registo da atitude dos jogadores neste estádio difícil. Tiveram um trabalho duro, de compromisso grande com a equipa e isso traduz-se num ponto conquistado que não sendo o esperado foi o possível.»
 
[Braga continua sem ganhar fora…] «Gosto de pensar que nos preparamos para jogar em casa e fora exatamente da mesma maneira. Não gosto de pensar que há um campeonato em casa e outro fora. O facto de não ganharmos fora de casa deve-se a um conjunto de condicionantes. De positivo há o facto de não sofremos golos e isso é um ponto importante. Isso é positivo pois não sofrendo ficamos mais perto de ganhar. Faltou-nos finalizar uma das situações que tivemos, ou materializar o domínio que tivemos. Para a semana temos nova oportunidade pois jogamos fora.»
 
[Pergunta sobre se nunca se deve voltar a um lugar onde se foi feliz] «Não fui feliz, pois além de não conseguirmos ganhar ficou o registo da expulsão. E acho importante esclarecer o porquê de ter sido expulso, e vou ser o mais honesto possível. O árbitro dirigiu-se para o banco para falar com o delegado, eu juntei-me à conversa e apenas disse ‘ele fala e tem razão naquilo que diz’ e o árbitro virou-se para mim expulsou-me. Depois nem abri o bico, tal como não tinha aberto antes.»

Maisfutebol

Offline JotaCC

  • Moderador Global
  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 29946
  • Sexo: Masculino
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #6 em: 12 de Março de 2017, 09:18 »
Braga empata no regresso de Jorge Simão a Chaves
Treinador dos arsenalistas foi expulso por palavras dirigidas ao árbitro. No outro jogo, o Feirense venceu o V. Setúbal no Bonfim

I LIGA Desportivo de Chaves e Sporting de Braga empataram ontem sem golos em Trás-os-Montes, num jogo marcado pela expulsão do treinador Jorge Simão no dia em que regressou ao campo do clube que orientou precisamente antes de se se transferir para os bracarenses.
Depois de ter colocado termo a um ciclo de seis jogos sem vencer no campeonato, ao ganhar na receção ao Arouca, por 3-1, o Sporting de Braga voltou aos empates, o quarto nos últimos seis jogos, que pode permitir ao Vitória de Guimarães, caso vença hoje o Estoril, apanhar os arsenalistas no quarto lugar. Já o Desp. Chaves somou o terceiro jogo consecutivo sem vencer e segue no sétimo lugar, com os mesmos 33 pontos que o Rio Ave, que recebe este domingo o Moreirense.
Os flavienses tiveram mais oportunidades de golo frente a um adversário que teve mais tempo de posse de bola. Mas a verdade é que nenhuma das equipas foi capaz de fazer golos. Aos 80 minutos surgiu o lance polémico. Jorge Simão dirigiu algumas palavras ao árbitro Vasco Santos e este expulsou-o.
“Este é um terreno muito difícil, num estádio complicado, com um ambiente e uma envolvência muito difícil para os adversários. O publico transmontano tem esta virtude de criar um ambiente próprio de apoio à sua equipa e é muito difícil jogar aqui. Só o Benfica ganhou e passou por muitas dificuldades. Fica por isso o registo da atitude dos jogadores neste estádio difícil”, considerou no final Jorge Simão.
No outro jogo disputado ontem, o Feirense colocou um ponto final numa série de três jogos sem vencer, batendo o V. Setúbal por 2-1, no Bonfim. A equipa de José Couceiro foi para o intervalo em vantagem, graças a um golo de Vasco Fernandes, aos 27’. Mas na segunda parte, um autogolo de Frederico Venâncio (67’) e um golo de Machado (83’) permitiram à equipa de Santa Maria da Feira deixar o Sado com os três pontos. “Perdemos por responsabilidade nossa. Estivemos desatentos em momentos cruciais. Há que assumir essa responsabilidade”, expressou José Couceiro.

DN

Offline Bruno3429

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 10336
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #7 em: 12 de Março de 2017, 09:22 »
Um nulo onde ninguém merecia perder

Duelo equilibrado, intenso e sempre bem disputado aquele a que se assistiu no Estádio Municipal Engenheiro Branco Teixeira. Em Chaves, no coração da região de Trás-os-Montes, GD Chaves e SC Braga empataram a zero num jogo onde ninguém merecia perder.

Em jogo de duas metades extremamente equilibradas, foi no primeiro tempo que o SC Braga conseguiu explanar o seu melhor futebol. Com a calma e paciência necessárias, a equipa liderada por Jorge Simão foi produzindo combinações interessantes no ataque, embora carecesse de uma maior clarividência para as finalizar. Os Gverreiros, através de Rui Fonte, Cartabia e Rosic, levaram muito perigo à baliza flaviense, mas Ricardo e a falta de pontaria foram impedindo o golo dos bracarenses. Por sua vez, apostado em jogar no erro do adversário, o GD Chaves também foi assustando Marafona, sobretudo através de remates de longa distância.

O intervalo parece ter feito mal à turma bracarense, que regressou para o segundo tempo com menores índices de clarividência e inspiração, não conseguindo ligar o seu jogo ofensivo da forma que o fez no primeiro tempo. Nesse sentido, o SC Braga não foi capaz de produzir verdadeiros lances de perigo, mesmo após as alterações de cariz ofensivo efetuadas por Jorge Simão. Do outro lado, o GD Chaves foi criando algum freesom, mas os Gverreiros do Minho acabaram por ter sempre o controlo da partida. O encaixe das peças manteve-se até final do encontro, acabando por justificar o nulo que se verificou quando Vasco Santos deu o apito final.

Com este empate o SC Braga mantém-se isolado no 4.º lugar da Liga NOS com 43 pontos. Na próxima ronda, os Gverreiros do Minho deslocam-se ao terreno do CF “Os Belenenses”.

Ficha de Jogo

Onze inicial: Marafona, Paulinho, Artur Jorge, Rosic, Djavan, Assis, Vukcevic, Pedro Santos, Cartabia (Rodrigo Pinho, 74′), Ricardo Horta (Stojiljkovic, 45′), Rui Fonte

Onze inicial: Matheus, Lucas, Marcelo Goiano, Gamboa, Alan, Rodrigo Pinho, Stojiljkovic

Triunfo premiou quem mais procurou

O SC Braga B regressou, na manhã deste sábado, aos triunfos na Ledman LigaPRO. Depois de dois empates nos últimos dois encontros, os comandados de Abel Ferreira receberam e venceram (2-1) o Gil Vicente FC, em jogo a contar para a 31.ª jornada. Joca (42′) e Leandro (72′) fizeram os golos de um triunfo tão complicado quanto justo.

Como o título deste artigo indicia, este acabou por ser um triunfo amplamente justo para o SC Braga B. Os bracarenses foram a equipa que mais fez por merecer a felicidade, num encontro que se revelou bastante disputado, equilibrado e nem sempre bem jogado. Os Gverreiros acabaram por sentir algumas dificuldades em ligar o seu jogo no primeiro tempo, em face do bloco baixo apresentado pelo Gil Vicente FC. Numa etapa inicial órfã em reais oportunidades de golo, os ‘Galos’ acabaram por chegar à vantagem quando nada o fazia prever. Num lance de pura infelicidade, Bruno Wilson introduziu a bola na própria baliza. O SC Braga B reagiu da melhor forma possível ao golo sofrido e, apenas um minuto depois, chegou ao empate por Joca.

A equipa liderada por Abel Ferreira surgiu mais fresca e mais clarividente no segundo tempo, mostrando maior capacidade e inspiração para produzir jogadas de ataque. O técnico bracarense foi lançando novas peças e o jogo tornou-se de sentido único. De tanto procurar, o SC Braga B acabou mesmo por encontrar o caminho para a vitória. Edelino Ié saltou do banco para servir de bandeja Leandro que, na cara de Vozinha, não perdoou e fez o golo que deu mais uma preciosa vitória aos Gverreiros do Minho.

Os Gverreiros voltam a entrar em campo já na próxima quarta-feira, pelas 15H00, recebendo o Leixões SC.

Ficha de Jogo

Onze inicial: Tiago Sá, Anthony, Bruno Wilson, Inácio, Simão, Didi, Jordão, Xadas, Martínez, Joca, Leandro

Suplentes: Tiago Pereira, Thales, Loum, Edelino Ié, Rúben Alves, Ogana, Piqueti

Golos: Bruno Wilson (p.b 41′), Joca (42′) e Leandro (72′)


E tudo a segunda parte levou

Os Sub-19 do SC Braga voltaram a escorregar na Fase Final do Campeonato Nacional. Os Gverreiros do Minho saíram derrotados (1-2) da receção ao Rio Ave FC, em jogo referente à 5.ª jornada. A equipa liderada por José Carvalho Araújo até foi a vencer para o intervalo com um golo de Didi (16′). Contudo, os vila-condenses acabaram por consumar a reviravolta no segundo tempo, com golos de Rúben Pereira (51′) e Rogério (67′). Na próxima ronda, o SC Braga desloca-se ao terreno da Académica.

Susana Silva: “Juntas, vamos à luta”

O Estádio 1º de Maio recebe, este domingo, mais um jogo da equipa feminina do SC Braga. O conjunto liderado por João Marques defronta o Viseu 2001 com a ambição de vencer a partida, tal como projetou Susana Silva. “As expectativas são as de sempre: vencer.  Focadas nesse objetivo que trabalhamos diariamente e esta semana não foi exceção. Tivemos o fim de semana para recuperar energias e voltamos mais fortes e com vontade de trabalhar para obter os 3 pontos.”

A lateral das Gverreiras do Minho afirma que o jogo em Alvalade já é passado e que a união esteve e estará sempre presente nesta equipa. “Nunca deixamos de estar unidas. É claro que perder aquela batalha doeu bastante, mas ainda há muitas jornadas para disputar e juntas vamos à luta, afinal é isso que as guerreiras fazem.”

Susana Silva regressou, esta época, à primeira divisão nacional, após ter representado o Ovarense no campeonato de promoção na última época. “É verdade que na época transata disputei o campeonato de promoção, mas esta é a minha quarta época na primeira divisão. Penso que está a ser um campeonato renhido graças à aposta de clubes grandes, como é o SC Braga, que trará muita evolução e crescimento ao futebol feminino.”

A camisola 3 das Gverreiras do Minho mostrou-se feliz por ter sido chamada à Seleção Nacional de sub-19 por Susana Covas. “É a oportunidade para a qual tenho trabalhado estes últimos anos. Ainda tem mais significado por ir com uma colega de equipa, Ana Rita, que também já representou Portugal ao meu lado. Representar Portugal foi das melhores coisas que já fiz na vida e quero agradecer às minhas colegas e equipa técnica que me têm feito crescer a todos os níveis e me ajudaram a tornar esta convocatória uma realidade. Mas, até segunda feira ainda falta muito e, neste momento, estou motivada e focada no trabalho para o jogo de domingo”


SCBraga

Offline JotaCC

  • Moderador Global
  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 29946
  • Sexo: Masculino
  • Allez Braga Allez nos somos a tua voz...
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #8 em: 12 de Março de 2017, 09:22 »
Leandro selou ao som de Ié-Ié

O Gil Vicente foi superior na fase inicial, criando várias ocasiões, mas foi Bruno Wilson a dar justiça ao dérbi através de um autogolo. O Sp. Braga B, com dificuldades, chegou ao empate num desvio de Joca. No segundo tempo, a entrada de Edelino Ié foi decisiva, tendo sido o guineense a assistir Leandro para a reviravolta (72’). A reação dos galos revelou-se tardia e só uma saída precipitada de Tiago Sá causou perigo.

RECORD

Offline Bruno3429

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 10336
Re: NOTICIAS DO ENORME DO DIA 12/03
« Responder #9 em: 12 de Março de 2017, 12:32 »
Salvador e Pli viram jogo em Chaves no mesmo camarote

Poucos dias depois de ter anunciado a candidatura à presidência do SC Braga, António Pedro Peixoto, mais conhecido por Pli, foi a Chaves assistir ao jogo que acabou empatado a zero.

O opositor de António Salvador nas eleições de maio sentou-se no camarote presidencial do Chaves, não muito longe do atual líder dos guerreiros.

A Bola