Olá, Visitante. Por favor Entre ou registe-se se ainda não for membro.
Perdeu o seu e-mail de activação?

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
 


Autor Tópico: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL  (Lida 217269 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1440 em: 05 de Outubro de 2016, 21:26 »
Achei curioso apenas:

CÓRSEGA DE COMBOIO

Por José Luis Abreu a 5 Outubro 2016 12:44



O Mundial de Ralis é uma competição que se realiza em diversos continentes, com países cada um com a sua cultura, e as provas são quase todas muito diferentes umas das outras. Já andámos muitas vezes por aqui e por ali, mas nunca num rali tínhamos assistido a uma coisa assim. É verdade que a Córsega nunca quis ser muito francesa, mas em muitos anos de ralis foi a primeira vez que vimos um troço do Rali da Córsega ter ficado cheio de gente, de um minuto para o outro, quando chegou… o comboio.

“Há um comboio que parte de Calvi, Ajaccio ou Bastia e que passa numa estação de montanha que serve a localidade de Novella, mesmo no meio da Novella-Pietralba que começou três minutos depois. E que belo local para se ver um troço de ‘lá Corse’, bem lá do alto da estação dá para ver 10km de especial, desde a subida do vale até a Novella que é trespassada pelo som forte dos WRC, de seguida dois ‘epingles’, um para a esquerda, outro para a direita e sempre a subir rápido até correr ao lado do comboio, passar-lhe por cima e agora por trás dele até ao Col, onde começa a descida alucinante até Pietralba. Este troço usado no antigo Tour de Corse (foi corrido pela primeira vez neste novo figurino da Volta à Córsega). A parte final deste troço, mesmo antes de Pietralba é usada por todas as equipas em testes e diz-se que um carro que andar aqui bem, anda em toda a ‘volta’.

Mal o pequeno comboio chega, abrem-se as portas e saem primeiro os aficionados, de mochila às costas e máquina em punho, depois os curiosos, simples utentes da linha que vão dar uma olhada, depois para meu espanto sai também o maquinista, e fica… fica até passar um dos grandes daqui, rei Seb ‘II’ (Ogier), só depois de vários minutos parado arranca apitando à concorrência. Neste dia a tabela dos Chemins de Fer de Corse, é aferida pelos desígnios do Tour”, disse Pedro Palheiro, colaborador do Autosport, presente no Rali da Córsega.
Quem não sente não é filho de boa gente.

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1441 em: 26 de Outubro de 2016, 17:43 »
Não é humor, mas simplesmente estúpido.

Tailândia: morreu o rei, já não há futebol
Campeonato acabou com cinco jornadas por disputar. Yannick Djaló e Bruno Moreira vão decidr taças por moeda ao ar

Por Redação       Hoje às 00:39
Facebook  Twitter  Google+
 Tailândia: morreu o rei, já não há futebol
A época acabou subitamente na Tailândia depois de confirmada a morte do rei Bhumibol Adulyadej. A federação local anunciou que o Muangthong United, líder a cinco jornadas do final, é o novo campeão e que o vencedor da Taça da Liga vai ser decidido por moeda ao ar, a mesma receita para a Taça da Tailândia.

O Muangthong United é, assim, o novo campeão, apesar de contar apenas com cinco pontos de vantagem sobre o Bangkok United com cinco jornadas por realizar.

A decisão da federação também impõe a despromoção dos três últimos classificados do campeonato, para desespero do Army United e do Chainat que estavam a apenas um ponto da manutenção.

A interrupção de todas as competições afeta ainda os dois portugueses que jogam na Tailândia. O Buriam United de Bruno Moreira que estava qualificado para a final da Taça da Liga vai decidir o título com o Muangthong United à sorte.

A mesma receita para a Taça da Tailândia, com o Ratchaburi de Yannick Djaló a decidir o título com o Sukhothai, Chonburi e o Chainat sem jogar.


Decisões que não deverão ser aceites pela FIFA que não permite a intervenção dos Estados nas competições.
Quem não sente não é filho de boa gente.

Offline Gallaeci

  • Juniores
  • ***
  • Mensagens: 616
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1442 em: 26 de Outubro de 2016, 19:16 »
Não é humor, mas simplesmente estúpido.

Tailândia: morreu o rei, já não há futebol
Campeonato acabou com cinco jornadas por disputar. Yannick Djaló e Bruno Moreira vão decidr taças por moeda ao ar

Por Redação       Hoje às 00:39
Facebook  Twitter  Google+
 Tailândia: morreu o rei, já não há futebol
A época acabou subitamente na Tailândia depois de confirmada a morte do rei Bhumibol Adulyadej. A federação local anunciou que o Muangthong United, líder a cinco jornadas do final, é o novo campeão e que o vencedor da Taça da Liga vai ser decidido por moeda ao ar, a mesma receita para a Taça da Tailândia.

O Muangthong United é, assim, o novo campeão, apesar de contar apenas com cinco pontos de vantagem sobre o Bangkok United com cinco jornadas por realizar.

A decisão da federação também impõe a despromoção dos três últimos classificados do campeonato, para desespero do Army United e do Chainat que estavam a apenas um ponto da manutenção.

A interrupção de todas as competições afeta ainda os dois portugueses que jogam na Tailândia. O Buriam United de Bruno Moreira que estava qualificado para a final da Taça da Liga vai decidir o título com o Muangthong United à sorte.

A mesma receita para a Taça da Tailândia, com o Ratchaburi de Yannick Djaló a decidir o título com o Sukhothai, Chonburi e o Chainat sem jogar.


Decisões que não deverão ser aceites pela FIFA que não permite a intervenção dos Estados nas competições.
Que ridículo!
Só faltava cometerem todos suicídio lá na Tailandia não?! Parece não há mais vida depois do rei morrer...

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1443 em: 26 de Outubro de 2016, 20:49 »
Na verdade aquilo é uma ditadura militar e só o rei conseguia por vezes fazer frente aos militares. Agora estão como querem.
Quem não sente não é filho de boa gente.

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1444 em: 26 de Outubro de 2016, 21:15 »
Acabei de ouvir o Marcelo a falar espanhol. Por momentos pensei ser o JJ
Quem não sente não é filho de boa gente.

Offline Gallaeci

  • Juniores
  • ***
  • Mensagens: 616
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1445 em: 29 de Novembro de 2016, 00:04 »

Offline Grilo 21

  • Juvenis
  • **
  • Mensagens: 198
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1446 em: 29 de Novembro de 2016, 10:43 »

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1447 em: 14 de Janeiro de 2017, 12:49 »

#Sporting. Para Bruno de Carvalho as verdades de hoje são as mentiras de amanhã

No futebol, a verdade depende sempre da cor com que é olhada. E isso explica muito da esquizofrenia com que a arbitragem é tratada

“Se apenas houvesse uma verdade, não poderiam pintar-se cem telas sobre um mesmo tema”

Pablo Picasso

A história seria quase anedótica se não fosse lamentável. Em outubro, o jornalista Rui Miguel Tovar lançou em Alvalade o “Almanaque do Leão”, que o Sporting lhe tinha encomendado. Bruno de Carvalho apresentou a obra, louvando “a paixão e o carinho” com que foi escrita e vaticinando que esta iria “cada vez engrossar mais, sem grandes necessidades de correções”. Mas o que parecia uma certeza foi afinal fogo fátuo. Respondendo a uma questão de um colega jornalista, Tovar assegurou que o Sporting tinha mesmo 18 títulos de campeão nacional e não os 22 que o presidente do clube vinha reclamando. Ao que parece, ninguém em Alvalade se dera ao trabalho de ler o livro. O que fazer então? Simples: Bruno de Carvalho, tão empenhado em reescrever a história dos “leões”, ordenou que a obra fosse emendada para incluir os 4 títulos. O jornalista recusou-se a alinhar nesta farsa e a notícia do lançamento foi até apagada do site do Sporting. Semanas depois, a Federação Portuguesa de Futebol arrumou a questão, incluindo as quatro conquistas do antigo Campeonato de Portugal (uma prova jogada a eliminatórias) no palmarés da Taça de Portugal.

Este episódio diz muito sobre Bruno de Carvalho. Para o presidente do Sporting só uma verdade interessa: a dele. Mesmo que ela seja uma grande mentira. Quando, na semana passada, o líder leonino anunciou que era a última vez que o Sporting iria ter “uma intervenção calma e ponderada” sobre a arbitragem, só um tolo poderia acreditar – há um mês que em Alvalade não se fala de outra coisa, sobretudo depois da derrota na Luz e, mais recentemente, do desaire em Setúbal, para a Taça da Liga.

As críticas do Sporting têm poupado apenas o presidente do Conselho de Arbitragem (CA), José Fontelas Gomes, que segundo os “leões” herdou uma tarefa “minada” pelo seu antecessor, Vítor Pereira. Fontelas Gomes é também o pai de um jovem que, no início da época, reforçou a equipa de sub-16 do Sporting. O rapaz não tem obviamente culpa de o pai ser o responsável da arbitragem em Portugal, nem este tem culpa de o filho ter jeito para a bola, mas o episódio faz lembrar um velho ditado: “À mulher de César...” O que se diria em Alvalade se, durante a presidência de Vítor Pereira, fosse um filho deste a reforçar o Benfica. Alguém acredita numa “intervenção calma e ponderada”?

Foi Pimenta Machado, antigo presidente do Vitória de Guimarães, quem celebrizou uma expressão que entrou na cartilha dos responsáveis leoninos: no futebol “o que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira”. Jorge Sousa, que era o preferido de Bruno de Carvalho para apitar o jogo com o Benfica, é apontado agora como o responsável pela crise leonina. E alguém ainda se lembra da defesa que o Sporting fazia dos árbitros e dos seus responsáveis no início da época? Em setembro, era assim que Nuno Saraiva, o diretor de comunicação do clube, respondia ao que dizia serem pressões do Benfica e do FC Porto sobre os homens do apito. “Fica o aviso sério de que estamos atentos e não deixaremos vingar este modo de criar ruído para esconder debilidades e de fazer pressão sobre a arbitragem, seja na entidade que a tutela ou na sua associação ou diretamente nos árbitros que a exercem”. Quatro meses, e alguns desaires no terreno de jogo, bastaram para pôr fim a esta lua de mel.

Às vezes não são precisas mais do que algumas horas para pôr a nu a esquizofrenia leonina. Esta semana, no final da reunião que o CA promoveu com os clubes, Bruno Mascarenhas, representante do Sporting, louvou o “espírito” do órgão federativo e lembrou que este tem contado com o apoio do Sporting para pacificar e credibilizar a arbitragem. Alguém acreditou? Se dúvidas houvesse, ficaram desfeitas na manhã seguinte, quando Octávio Machado, diretor do clube para o futebol, manifestou “repúdio” pela análise que o CA fez nessa reunião, entre outros casos, dos dois lances onde os “leões” reclamaram penáltis na Luz por alegada mão na bola de jogadores do Benfica. Na primeira jogada, protagonizada por Pizzi, os responsáveis da arbitragem defenderam que esta resultou de uma "ação involuntária e acidental, pelo que a mesma não constitui infração". Já no caso que envolve Nélson Semedo consideraram tratar-se “de lance difícil e de dúvida”.

O problema do discurso de Bruno de Carvalho e do Sporting é que no futebol não há uma só verdade: esta depende sempre da cor com que é olhada. Um mesmo lance pode ser julgado como involuntário por um especialista e como intencional por outro. E isso não há videoárbitro que resolva.

PS: Já depois desta crónica estar escrita, o Sporting anunciou que não iria falar aos “media” durante uma semana “para além do que está regulamentarmente estipulado”, aquilo a que no futebol se chama ”blackout”. Menos de uma hora depois do primeiro comunicado, o clube enviou outro às redações, onde esclarece que a decisão não se trata de... um “blackout”. Na nova máxima de Bruno de Carvalho, o que é verdade hoje é mentira minutos depois.

Expresso
Quem não sente não é filho de boa gente.

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1448 em: 27 de Fevereiro de 2017, 12:18 »
Jesus diz que ensinou Bas Dost a marcar penáltis, mas o holandês já foi especialista

Técnico do Sporting diz que o holandês nunca tinha marcado penáltis. Mas na Holanda era um hábito e uma especialidade

Jorge Jesus afirmou, após a vitória do Sporting sobre o Estoril (2-0), que foi ele quem ensinou Bas Dost a bater grandes penalidades, afirmando que o holandês nunca tinha marcado um penálti na vida.

"Bas Dost nunca marcou um penálti na vida dele, quando chegou disse que não queria nem sabia. Disse-lhe 'vou-te ensinar' e já está a marcar", garantiu.

No entanto, a carreira de Bas Dost diz o contrário.

Segundo o portal Transfermarkt, Bas Dost, com o golo ao Estoril, já bateu nove grandes penalidades em jogos oficiais na sua carreira... e não falhou nenhuma.

O ponta-de-lança marcou uma grande penalidade pelos sub-21 da Holanda e outra pelo Wolfsburgo, mas foi na época 2011/12, ao serviço do Heerenveen, que mais se destacou: seis penáltis em seis tentativas.

DN
Quem não sente não é filho de boa gente.

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Quem não sente não é filho de boa gente.

Offline rpo.castro

  • Equipa Principal
  • *****
  • Mensagens: 8409
  • Sexo: Masculino
Re: HUMOR NO FUTEBOL NACIONAL E INTERNACIONAL
« Responder #1450 em: 19 de Maio de 2017, 22:38 »
Já ouviram falar daquele individuo que vai casar e pede para que as prendas sejam em dinheiro a transferir para a conta x, e que devem entregar um comprovativo?
Depois como marcou o casamento para o dia de aniversário da colectividade que preside, muda a data da gala da Associação.

Enviado do meu SM-J510FN através de Tapatalk

Quem não sente não é filho de boa gente.